Adolescentes gays e héteros não são tão diferentes assim, aponta pesquisa nos EUA 1

Uma nova pesquisa contradiz algumas antigas crenças sobre ser um adolescente gay. Basicamente, de acordo com o artigo de Jane Brody no New York Times, os adolescentes gays não são muito diferentes dos heterossexuais.

Pesquisas recentes encontram mais semelhanças do que diferenças entre os adolescentes gays e heterossexuais. Por exemplo, estudos em Salt Lake City feitos por Lisa Diamond, professora associada de psicologia e estudos de gênero da Universidade de Utah, descobriu que jovens gays tinha tantos amigos e eram tão populares e socialmente conectados como outros adolescentes.


Ela observa, porém, que a composição de suas amizades é um pouco diferente. Os adolescentes homossexuais tendem a fazer amizade com jovens de outras raças ou aqueles que são estigmatizados por sua aparência. Mas para os adolescentes gays e heterossexuais, ela acrescenta que, a principal fonte de estresse é a mesma: “a ansiedade de estar sozinho como um adulto, sobre encontrar o tipo de parceiro que eles querem.”

O artigo também apontou que o bullying não acontece exclusivamente para as crianças gay, mas qualquer um que seja percebido como diferente, dizendo que o bullying reage à não-conformidade, e pega as fraquezas das pessoas.”

Segundo comentador americano, Hollywood afasta atores que assumem homossexualidade Resposta

Um comentador americano reacendeu uma polêmica sobre atores gays em Hollywood depois de afirmar que os estúdios afastam as estrelas que tornam pública a sua sexualidade.

O escritor da revista americana Newsweek, Ramin Setoodeh, foi amplamente criticado em abril, quando ele escreveu um artigo afirmando que a estrela de TV gay Sean Hayes, mais conhecido por seu papel como o extravagante Jack em Will and Grace, não faz um personagem hétero convincente na peça da Broadway Promises, Promises.

Em um novo artigo, Setoodeh, que também é gay, sugere que os homens gays não são ainda capazes de desempenhar papéis gays porque Hollywood prefere entregá-los aos atores héteros. 

“As lésbicas adoráveis em The Kids Are All Right (Minhas Mães e Meu Pai) foram interpretadas pelas atrizes heterossexuais Annette Bening e Julianne Moore”, escreve Setoodeh. “O casal peculiar em Eu te amo Phillip Morris foi retratado pelos héteros Jim Carrey e Ewan McGregor.


“Você poderia dizer que é por isso que é chamado de ¨atuação¨. Mas isso é pouco conforto para os atores gays, que são rotineiramente distanciados do sistema de estúdio, apesar de Hollywood ser supostamente uma das cidades mais” gay-friendly ‘. Filmes precisam atrair a maior audiência possível, e os cineastas se preocupam que se escalarem um gay para um papel romântico, o público vai achar ruim. Em vez disso, os atores héteros ganham os papéis, e a audiência fala como eles são corajosos.


Os comentários de Setoodeh também ecoaram em cima das recentes declarações do ator Rupert Everett, que disse que ele tem sido completamente excluído dos estúdios de Hollywood depois que assumiu sua homossexualidade. Em entrevista, Everett elogiou a atuação de Colin Firth como um gay no filme ¨A Single Man¨, mas disse que essas escolhas de elenco, deixa ele e outros atores com oportunidades limitadas. 

E, recentemente, o ator Richard Chamberlain, estrela dos anos 70, alertou aos atores que não saíssem do armário, porque segundo ele, que se assumiu gay em 2003, ainda existe uma enorme homofobia em Hollywood.