Jornalista esportivo assume homossexualidade em sua coluna Resposta

Muitos questionam sobre homossexuais no esporte. Digo muitos porque várias pessoas quando descobrem que tal jogador de futebol ou algum lutador de boxe seja gay, se espantam e acabam esquecendo que em nada influencia o atleta, quem ele ama ou deixa de amar.

O jornalista esportivo do Boston Herald nos EUA, Steve Buckley, decidiu assumir em sua coluna de ontem (06/01), que é homossexual. Segundo ele, que tem 54 anos, depois de ver os recentes suicídios de jovens gays em decorrência da perseguição e do bullying, estes trágicos eventos o ajudaram se orientar e acreditar que, quanto mais as pessoas forem capazes de serem honestas sobre quem elas são, menos elas vão se sentir pressionadas¨.

Depois dessas declarações, a comunidade esportiva especula se isso pode prejudicar a carreira dele. O fato é que existe preconceito no esporte, como em qualquer outra área da sociedade, e se uma pessoa sempre fez  o correto em sua carreira, se tem sucesso no que faz, o fato de assumir a homossexualidade não vai mudar o desempenho do profissional, porque ele já era gay antes, mas não contava para ninguém.

Ter o conhecimento de que dentro dos times de futebol ou em algum outro esporte que requer força existem homossexuais, deixa algumas pessoas meio desconfiadas. No entanto, de acordo com um artigo no ESPN.com, ¨a crença de que em algum lugar entre cinco e dez por cento da populaçao geral é homossexual, sugere que 75 a 150 dos 1.500 jogadores da Liga de Futebol Americano são gays enrustidos.¨ A razão desses jogadores não assumirem a homossexualidade é o medo de que esse ato possa arruinar suas carreiras e possíveis trabalhos publicitários.

E, infelizmente, esse medo pode muito bem ser uma possibilidade. Nunca ninguém soube, por exemplo, de algum jogador de futebol americano que se assumiu gay enquanto ainda estava jogando. Um jogador que se assumiu gay depois do fim de sua carreira, disse que este fato fez com que ele perdesse a chance de um dia trabalhar como treinador na liga de futebol americano.

Boate dos anos 90 voltada para lésbicas reabre em SP 1

Uma das poucas e mais tradicionais boates de São Paulo nos anos 90 voltada para o público lésbico vai reabrir as portas em novo endereço.

O Clube Z, que no passado funcionava na região dos Jardins e depois no Itaim Bibi,  volta com nova estrutura em um dos endereços mais badalados da cidade, a Rua Augusta. A nova casa tem capacidade para até 900 pessoas e é dividida em dois ambientes diferentes. Com três bares, lounge, camarote e área para fumantes, o Clube Z conta ainda com uma iluminação toda em LED, que muda de cor.

A boate abre às sextas e sábados a partir das 23:30h com muita música eletrônica e espaço para sucessos da MPB e dos anos 80 e 90 em um dos ambientes. E detalhe, mesmo sendo permitida a entrada de homens, eles serão vigiados o tempo todo para que não haja constrangimentos, afinal a festa é só para elas.

Serviço:

Club Z

Endereço: Rua Augusta, 430 – Consolação

Sextas e Sábados – 23h30

Telefone: (11) 2239-8764

Cartões: Todos, exceto Amex

Acesso para deficientes físicos e área para fumantes.

Exponoivos com artigos para casamento homossexual começa hoje em Lisboa Resposta


Começa hoje, em Lisboa, o primeiro Exponoivos desde que o casamento entre pessoas do mesmo sexo foi legalizado no país. De fato, o evento que traz as novidades para as festas de casamento, no ano passado começou no mesmo dia em que a lei que permite o casamento entre pessoas do mesmo sexo foi aprovada no parlamento, e por isso, já levou algumas (poucas) novidades voltadas para o público LGBT, já que apenas meses mais tarde a lei foi oficialmente promulgada.

Para este ano, os organizadores vão levar em primeira mão as maiores novidades do ramo de casamento voltada para os homossexuais.

Campeão da patinação artística ¨sai do armário¨ em livro Resposta


O tri campeão de patinação artística dos EUA, Johnny Weir, assumiu sua homossexualidade no seu recente livro, entitulado ¨Welcome to My World¨ (Bem Vindo ao Meu Mundo).

Weir, que patinou longe dos boatos sobre sua sexualidade ao longo de sua carreira, finalmente decidiu admitir que ele era gay e escreveu:

– Eu não tenho vergonha de ser eu. Mais do que ninguém eu sei, eu amo minha vida e me aceito. O que há de errado em ser único? Tenho orgulho de tudo o que eu sou e vou me tornar.

O patinador disse que todos os sites gays o achavam um idiota por ele não assumir sua homossexualidade, mas segundo ele, a pressão é a última coisa que faz ele querer participar de uma comunidade, e continua:

– A reação maciça contra mim na mídia gay e na comunidade LGBT só me fez cavar ainda mais meus ¨saltos enrustidos¨.

Weir disse ele admitiu para sua mãe que ele era gay quando tinha 18 anos. 

Confira uma apresentação de Johnny com a música de Lady Gaga:


TV mexicana vai produzir novela com temática gay Resposta

A TV Azteca, do México, está interessada na produção de uma novela com temática gay. A novela vai contar a história de um jovem que não é aceito pelo pai machista e não apóia o filho gay.

Com isso, a TV espera poder ajudar e esclarecer jovens homossexuais no país que passam pela mesma situação do personagem. Ainda não existe uma data oficial para a estréia e nem o elenco, mas a emissora já anunciou o projeto.

Há comentários que produtores estariam de olho no ex RBD e ator homossexual assumido, Christian Chávez, para ser um dos atores da novela.

Presidente português veta lei sobre mudança de sexo Resposta

O presidente de Portugal, Cavaco Silva, vetou a lei que simplificaria o procedimento de mudança de sexo e de nome próprio na certidão de nascimento, afirmando que existem ¨graves insuficiências de natureza técnico-jurídica¨. Segundo ele, após consultar vários especialistas, o projeto estaria mal feito.

O presidente disse que, como não existe um critério explícito dos diagnósticos da perturbação da identidade de gênero, a interpretação da norma é deixada por inteiro à apreciação livre da entidade responsável por proceder a alteração da identidade no registro civil. Esté é o 14º veto do presidente a projetos do governo desde o início do mandato.

Paulo Corte-Real, presidente de um grupo de defesa LGBT, disse que considera lamentável a decisão de Cavaco, por entender que vai contra todas as recomendações dos Direitos Humanos, e diz que o presidente desconhece a realidade e que a atitude ataca a minoria mais discriminada da sociedade.