Quatro lésbicas são agredidas por dois homens e duas mulheres em SP Resposta

Quatro lésbicas foram agredidas por dois homens e duas mulheres. A agressão ocorreu em uma lanchonete no centro de Taboão da Serra, na Grande São Paulo. As vítimas foram encaminhadas ao pronto-socorro Dr. Akira Tada.

A Secretaria de Segurança Pública (SSP) afirmou que as vítimas – uma auxiliar administrativa, de 32 anos, uma supervisora, de 31 anos, uma ccordenadora, de 30 anos, uma auxiliar de enfermagem, de 21 anos – contaram que uma desconhecida, acompanhada de homens e uma mulher, se aproximou delas e as agrediram. Um professor de 37 anos, que estava com elas, não sofreu violência.

A gerente da lanchonete e as agredidas contaram que não receberam ajuda dos funcionários do estabelecimento. A gerente afirmou que as vítimas não tiveram comportamento inadequado e nem provocativo, o que não poderia servir de desculpa para agressões, em momento nenhum.

Segundo a SSP, a perícia foi prejudicada porque funcionários da lanchonete limparam e arrumaram o local. O celular de uma das agredidas sumiu na confusão e uma aliança foi encontrada e apreendida.

As agredidas disseram à polícia que acreditam terem sido vítimas de homofobia. Elas foram encaminhadas ao Instituto Médico Legal (IML) para exame. O 1ºDistrito Policial de Taboão da Serra investigará o crime, mas ainda não identificou os suspeitos.

Transexual poderá retirar útero e mama pelo SUS em SP Resposta

A Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo vai oferecer gratuitamente, a partir do fim de janeiro, cirurgias para remoção de útero para mulheres que possuem a identidade de gênero masculina. Elas serão atendidas pelo Ambulatório de Saúde Integral para Travestis e Transexuais do Centro de Referência e Treinamento em DST/Aids CRT), na capital paulista.

Os pacientes triados no CRT serão encaminhados para o hospital Pérola Bington, para avaliação e realização de histerectomia (retirada do útero). A secretaria também deverá encaminhar os transexuais para a cirurgia da retirada de mama. O hospital de referência para esse procedimento ainda não foi definido.
O Pérola Byington terá capacidade para realizar até 100 cirurgia de retirada de útero, com atendimento personalizado, quartos individuais e equipe treinada para lidar com as demandas específicas desta população. Já o tratamento de neofaloplastia (construção do pênis) aind anão foi liberado e permanece em caráter experimental no Estado.

Modelo confessou ter assassinado jornalista português em NY Resposta

O jornalista de 61 anos, Carlos Castro e o modelo de 21 anos Renato Seabra
O modelo português, Renato Seabra, confessou ontem (10/01) que matou seu companheiro, o jornalista Carlos Castro, encontrado morto em Nova York. 

Renato disse que matou Carlos ¨para se livrar dos demônios e de vírus¨, e que agrediu o jornalista com pontapés e socos por mais de uma hora, bateu com um monitor de computador na cabeça dele e depois o castrou com um saca rolhas. Ele está internado em uma ala psiquiátrica do Bellevue Hospita, em NY, após tentativa de suicídio.

Testemunhas disseram que, durante a discussão do casal que estavam de férias nos EUA, Renato gritava que só estava namorando o jornalista por causa de dinheiro e fama. Segundo o atestado de óbito, o jornalista morreu por causa de um trauma na cabeça e estrangulamento.

Em Portugal, Seabra chegou a participar de um reality show sobre modelos que buscavam a fama.

Parentes temem que brothers se envolvam com transexual em BBB Resposta

Ariadna, participante transexual do BBB 11

Parentes e amigos dos novos participantes do Big Brother Brasil 11 estão temerosos em relação a um possível relacionamente além da amizade entre os brothers e a transexual Ariadna.


Segundo o diretor do programa, Boninho, Ariadna não vai revelar para as pessoas do jogo que é transexual, facilitando assim um envolvimento com algum (ou alguns) jogadores.

Por conta disso, os amigos e familiares dos novos participantes do BBB temem que eles virem piada nacional. A irmã de Rodrigo Carvalho garante que isso não vai acontecer, porque Ariadna não faz o tipo dele. Juca Pretto, irmão de  Diogo, falou que o contato entre eles pode ser somente de amizade, porque o novo brother se dá bem como todo mundo, mas não existe uma possibilidade de um relacionamento.

Todos garantem que não haverá nenhum tipo de preconceito com Ariadna. O fato é que ela é bonita, feminina e OPERADA!!! Ou seja, Ariadna já é uma mulher, inclusive nos documentos. Nada impede que vários homens se apaixonem por ela. Nós aqui do blog ficamos na torcida!!

O BBB 11 estréia hoje depois da novela Passione, na TV Globo.

Número de assassinatos de homossexuais bate recorde no país Resposta

O número de homossexuais assassinados no Brasil superou 250 casos em 2010, um recorde histórico, conforme o Grupo Gay da Bahia (GGB). O dado faz parte do relatório anual – ainda em fase de conclusão – elaborado pela entidade e que será apresentado oficialmente em março.
Em entrevista a Terra Magazine, o fundador do GGB e decano do movimento homossexual brasileiro, Luiz Mott, destaca que foi a primeira vez que a quantidade de homicídios ultrapassa a casa das 200 notificações. Em 2009, foram 198, cerca de 50 a menos do que registrado no ano passado.
– Na década anterior, matava-se, em média, um homossexual a cada três dias. Nos últimos anos, essa média passou para um assassinato a cada um dia e meio. Há uma escalada que reflete a violência crescente no Brasil, sobretudo, no que se refere aos crimes letais. Em geral, a impunidade é grande, mas é maior quando a vítima é homossexual, já que as pessoas não querem se envolver, testemunhar. Ainda há muito tabu, muito preconceito – detalha o ativista.
Para Mott, o País convive com uma contradição na medida em que apresenta “mais de 150 paradas gays, abriga a maior associação de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais (lgbt) da América Latina”, mas, ao mesmo tempo, é líder mundial de mortes contra essa população. Segundo ele, “a homofobia cultural é forte no Brasil”.
– Na prática, a população continua com o mesmo alto índice de intolerância que se reflete não só nos homicídios, mas no bullying ocorrido nas escolas, por exemplo. Existe toda uma homofobia cultural e institucional que ainda se mantém e que tem, nas igrejas evangélicas e católicas, os grandes centros de fabricação dessas munições ideológicas.
Na avaliação do fundador do GGB, a situação dos LGBTs piorou ao longo dos oito anos de governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.
– Foram anos marcados por muitas declarações e ações afirmativas através do Programa Brasil sem Homofobia, da Conferência Nacional LGBT, da criação do Conselho Nacional LGBT. Porém, poucas propostas saíram do papel. As conquistas importantes, como nome social para travesti, são resultado de uma ou duas décadas de militância do movimento. Em termos concretos, a situação dos gays piorou, apesar da festa. Nunca tanto sangue homossexual foi derramado quanto no governo Lula. A contaminação por HIV aumentou também. Uma situação calamitosa. Apesar de toda boa vontade, declarações e programas, propostas e ações afirmativas, a esperança de vida dos homossexuais diminui.
Mott critica o que chamou de “falta de vontade política”:
– Há mais de uma dezena de leis no Congresso Nacional, orientadas para a cidadania homossexual. Para aprovar essas leis, é necessário vontade política e pressão do poder Executivo junto ao Legislativo. A bancada evangélica e a Conferência Nacional de Bispos do Brasil (CNBB) são extremamente homofóbicas e impedem a aprovação dessas propostas. Lula, infelizmente, não teve coragem e ousadia para pressionar sua base aliada, fazendo com que essas leis fossem aprovadas.
Subnotificação
Luiz Mott enfatiza que os números compilados pelo GGB, baseados em notícias veiculadas na imprensa nacional, não traduzem o real quadro da violência contra homossexuais no Brasil. Para ele, os LGBT são as principais vítimas do ódio cultural, pois “não recebem apoio nem mesmo dentro de casa”.
– No Plano Nacional de Direitos Humanos (PNDH 2), aprovado durante o governo Fernando Henrique Cardoso (PSDB), havia 11 medidas afirmativas que, infelizmente, o governo Lula não cumpriu. A primeira era documentação, a implementação de coleta sistemática de dados sobre violência, assassinatos de homossexuais. Não havendo no Brasil estatísticas oficiais de crime de ódio, que deveriam ser realizadas pelo Ministério da Justiça, Secretaria de Direitos Humanos nacional e dos estados, unicamente o GGB, com toda limitação de recursos é quem tem feito esse trabalho heroico. Com certeza, esse número é muito maior.
Mesmo com a subnotificação, o Brasil supera países como México, que é o segundo lugar no ranking de assassinatos de homossexuais (média de 35 casos/ano) e Estados Unidos, terceiro da lista (cerca de 25 notificações anuais), conforme Mott.
– Juntando todos os países onde há pena de morte para os homossexuais, as execuções não chegam a 20 por ano. O Brasil tem uma pena de morte diluída e, na prática, muito mais severa do que as praticadas nos países mais homofóbicos do mundo.
Denúncia
Mott adianta que o GGB estuda a possibilidade de denunciar o país em função do alto índice de homicídios de LGBT (em 2010, 65% das mortes foram de gays; 32%, de travestis e 3%, de lésbicas).
– No nosso entender, houve prevaricação por parte da Presidência da República por não ter efetivado as 11 medidas propostas pelo PNDH 2. O governo, apesar da boa vontade, não enfrentou o principal, que é a garantia de vida para os homossexuais. Havia previsão de medidas práticas que, se aplicadas, com certeza, teríamos um número mais preciso desses homicídios. Havia propostas para enfrentar a homofobia e os crimes letais.
*Com informações do Terra Magazine

Bancada fundamentalista trabalha no Congresso Nacional contra o kit anti-homofobia do governo federal Resposta

O kit contra homofobia, que o Ministério da Educação (MEC) pretende distribuir em escolas públicas do ensino médio está mobilizando lideranças fundamentalistas no Congresso Nacional. Passados 10 dias da posse da presidenta Dilma Rousseff, os evangélicos agem nos bastidores para barrar o envio do material que tem por objetivo, educar alunos contra práticas homofóbicas, comuns nas escolas brasileiras. Também lideram o grupo, políticos conservadores, como o deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ).


O grupo de políticos religiosos afirma que desempenhou papel decisivo na eleição de DIlma e agora cobra nova fatura. Na reta final da campanha, eles pressionaram a então candidata petista a assumir compromissos de que não formularia políticas públicas sobre temas como casamento gay e aborto. A petista cedeu.

O que podemos fazer contra isso? Nos unir! Está rolando um abaixo-assindado a favor do kit contra a homofobia! Vamos mostrar a nossa força. Se você ficar calada/calado, pode ter certeza de que vamos perder essa luta. A luta que é por educação e contra a homofobia, o ódio que levam a diversas mortes, suicídos e causam traumas para o resto da vida.

Nós, lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros (LGBT), precisamos mostrar a nossa força. É interessante, também, que a gente converse com amigos, familiares, heterossexuais e explique o que esse kit é de verdade. Para isso, precisamos estar informados. Para rebater mentiras. Mentiras que fazem com que a o projeto de lei complementar (PLC) 122/06 esteja arquivado no Senado.

Participe e divulgue. Assine o abaixo-assinado a favor do kit contra a homofobia: clique aqui!

Cristiano Ronaldo recebe prêmio gay em Portugal Resposta


Além de ser um excelente atleta e motivo de delírio para muitos homens e mulheres, o jogador de futebol português, Cristiano Ronaldo, recebeu ontem (09/01) o prêmio Arco-Íris 2010, promovido pela Intervenção Lésbica, Gay, Bissexual e Transgênero (ILGA) em Portugal.

O motivo do prêmio deve-se a uma resposta dada por Cristiano sobre a opinião dele em relação ao casamento gay, quando ele disse que ¨todos os cidadãos devem ter direitos e deveres exatamente iguais¨.

Por conta disso, ele recebeu essa homenagem pelo o trabalho dele na luta contra a discriminação com base na orientação sexual. Para a organização do prêmio, a declaração de Cristiano contribuiu bastante, pois ainda há muito o que ser feito para combater a homofobia no esporte.

A premiação aconteceu no Cinema São Jorge, em Lisboa.