Gay do BBB desconfia, e Ariadna assume que é transexual Resposta

O homossexual Lucival, que se assumiu para os outros jogadores do BBB, disse em conversa na jacuzi que achou que Ariadna era transexual. O baiano que já mostrou ser um ótimo observador, contou que ouviu rumores fora da casa de que haveria uma transexual entre os jogadores e disse para Ariadna:

– Pelo seu jeito de se comportar na entrada, imaginei que fosse você, mas logo tirei isso da cabeça.

Ariadna fez o truque e fingiu nem ser com ela, e rebateu:

– Mas será mesmo que tem?

Logo depois, Lucival continuou dizendo que adora as transexuais, que elas sempre falam muitos idiomas e conhecem vários lugares do mundo. Ariadna disse que fala italiano e espanhol, e nas viagens que fez, conheceu muito gay e muito travesti.


Durante a tarde, Ariadna e Lucival conversavam na piscina e ela assumiu que é transexual para ele. Lucival aconselhou para que ela contasse a verdade para os outros, e que o Brasil tem hipocrisia mas valoriza a honestidade. 


Ariadna contou sobre o sofrimento que passou na vida e que nunca teve um suporte familiar. O diretor da atração, Boninho, afirmou na tarde de hoje que é melhor ela contr toda a verdade antes que seja desmascarada por todos.


Será que o segredo de Ariadna está com os dias contados?

Em "Ti-ti-ti" Thales trocará Jaqueline por Julinho Resposta


Que a novela “Ti-ti-ti” é sucesso de público e crítica, todo mundo sabe. Muita gente considera o personagem Julinho (André Arteche), um dos gays mais bacanas da TV aberta brasileira. Ponto para Maria Adelaide Amaral, a autora, em um passado recente, foi a responsável pelo primeiro beijo entre homens da TV brasileira.
Leia também: Gays na TV

Agora, Maria Adelaide está causando discussões acaloradas em sites e blogs, tudo porque Thales (Armando Babaioff) o marido de Jaqueline (Claudia Raia, a protagonista da trama) a trocará pelo Julinho. Isso mesmo, Thales é gay. Pelo menos é o que garante a coluna “Telinha”, do jornal “Extra”.

BBB: Daniel chora ao falar sobre homossexualidade Resposta

Depois de uma brincadeira na casa do BBB sobre apelidos, Daniel não gostou do apelido atribuído a ele, Billy Pink. Daniel disse que precisa ser respeitado porque as pessoas não sabem da vida dele do lado de fora da casa. 

Daniel disse, que ele precisa ser respeitado onde ele mora, e que as coisas são diferentes para quem mora em grandes cidades, o que não é o caso dele.

Depois, em conversa com Rodrigo e Talula, Daniel chorou dizendo que um monte de coisa veio à cabeça dele depois do apelido:

– A gente escuta coisas ruins a nossa vida toda. Então pra quê ficar ouvindo esses apelidos aqui no BBB? É muito ruim ter um pai homofóbico, que te bate e que mostra preferência pelo outro irmão.

Chorando, Daniel foi consolado por Talula, que mais tarde ouviu que ele apanhava do pai desde criança.

Mais cedo, em conversa com Lucival, Jaqueline e Paula, Daniel afirmou que Ariadna é transexual, mas que ele não tem nada contra isso.

Escola de samba do Amazonas realiza concurso para eleger a Rainha Gay Resposta

Kabriele, da Granda Família: Rainha Gay do Carnaval de Manaus 2010

A escola de samba A Grande Família, da cidade de Manaus, capital do estado do Amazonas (AM), realiza a primeira eliminatória para a escolha da rainha gay.

Vinte e seis candidatas concorrem ao posto. A escolha para o posto máximo da vermelho e branco, como é conhecida a escola, terá duas etapas. Amanhã (15/12), 13 candidatas se apresentarão. Outras 13 se apresentarão no dia 22/01. Em cada eliminatória, somente cinco serão classificadas para a grande final, que acontecerá dia 29/01.



A festa começará às 22h com o grupo Samba da Gente, cantando os maiores sucessos e a partir da 0h de sábado (16/01) transformistas e artistas locais se apresentarão. Em seguida, a bateria nota 10 do carnaval amazonense entrará em cena, cantando muito samba enredo para o desfile das candidatas.

Em 2010, a Grande Família elegeu a rainha do carnaval gay de Manaus, Kabriele.

BBB11: Diana diz que fica com homens e mulheres Resposta

Os comentários a respeito da orientação sexual e identidade de gêneros dos participantes da atual edição do “Big Brother Brasil” (BBB), da Rede Globo não param. É que, por alguma razão desconhecida – já que o assunto deixou de ser tabu faz tempo no programa – eles não revelam de cara quem são.

Primeiro, o assunto era em torno da transexual Ariadna:: ela deve ou não dizer que é transex? Leia aqui: Ariadna: vilã? Depois, Lucival assumiu que é gay: leia clicando aqui. Agora o bafafá é sobre a suposta bissexualidade de Diana.
O amigo da moça, Raphael Lima, embarcando na fama instantânea da amiga, deu declarações afirmando: ela é bi. E ela pode ser mesmo. Bom, pelo que pude entender, pode… É que, durante a festa de quarta-feira ela disse o seguinte:
“Não sou transexual, nem bissexual. Eu sou ‘assexual’. Se eu tiver afim, eu fico com quem eu quiser.” Não entendi, repete?

Música do Dire Staits é banida de rádios por homofobia Resposta

Trinta anos após o lançamento, a música “Money for nothing”, um dos maiores sucessos da banda britânica Dire Straits, foi banida das rádios canadenses por ser considerada homofóbica.

Nesta semana, o Conselho Canadense de Normas de Transmissão determinou que a música saia da programação das emissoras ou seja só executada editada, retirando a palavra “faggot” (algo como veado). O termo pejorativo aparece três vezes em um dos versos.

O jornal “Vancouver Sun” disse que a determinação de banir a música veio depois que um ouvinte apresentou reclamação contra uma emissora de rádio, após ouvir a música, alegando que ela deprecia lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros (LGBT).

O Conselho disse que “os valores da sociedade sobre a causa LGBT mudaram muito em um quarto de século e a difusão da música deve refletir esses valores.

Eu acho que, a música, por ter sido composta há mais de 30 anos, merece um desconto e tenho dúvidas com relação a certos controles do governo. Mas é fato que existem músicas homofóbicas e que é desagradável ouvir certas músicas nas rádios. E você, o que acha disso?

Ex namorado da BBB Ariadna conta detalhes da relação Resposta

Foto: Arquivo pessoal
Que transexual, que nada! Ariadna Thalia, do Big Brother Brasil 11, é mulher. Quem garante é João Gabriel Marques Silva, ex-namorado da cabeleireira. O jovem de 26 anos ainda revela: “Tudo que uma mulher tem ela tem e ainda melhor. Ela conseguiu me satisfazer como homem, mais do que muita mulher. A parte íntima dela não tem nada de diferente. É até mais bonita que a de muitas mulheres”.

Segundo ele, os dois se conheceram pela internet, quando a sister ainda morava na Itália. “Uma pessoa me passou o MSN dela, sem querer. Isso foi há 1 ano e 3 meses. Quando ela veio ao Brasil, ela me ligou, marcamos de nos encontrar. Começamos a ficar. Ela abriu o jogo para mim e falou que era operada. Para mim não tem problema. A Ariadna sempre foi mulher. Ela tem documento de mulher, certidão de mulher, identidade de mulher”, conta Gabriel, que nunca viu foto da sister quando ela ainda era homem e se chamava Thiago. “Acho que a gente pensa aquilo que a gente vê. Se eu visse aquilo, eu ia pensar nela como homem e não como mulher. Preferi continuar vendo ela como mulher, que é o que ela é”.
Feliz com a participação da morena no reality show, João Gabriel espera que a cabeleireira não sofra preconceitos dos colegas de confinamento. “Tenho uma mente mais aberta, mas eles podem encarar de outra forma por estarem na TV. Espero que não role preconceito”, diz o jovem, que está confiante na vitória da ex-namorada. “Ela é uma pessoa meiga, gentil. Sofreu para caramba quando era mais nova. Passou por preconceito de muita gente. Espero que ela ganhe para terminar de fazer a vida dela e ajudar os parentes”, afirma.
João Gabriel revelou ainda que, apesar da cirurgia de mudança de sexo, Ariadna não tinha problemas durante a relação sexual. “Eu acho que ela tem sensibilidade de uma mulher, sim. Ela operou lá fora. Se ela estava fingindo, ela fingiu muito bem”, brinca. 
O ex-casal terminou há cerca de quatro meses, após ficar seis meses juntos. Segundo o jovem, sua família aceitava bem o fato de Ariadna ser transexual. “Desde o início, eu contei para minha família toda. Nunca escondo nada deles. Minha família adora ela. O chip do rádio do meu pai é no nome dela. Minha mãe fala com ela ao telefone. Todo mundo sabia que ela é operada. A Ariadna até viajou no Carnaval comigo para a casa de praia da minha avó em São João da Barra”, conta.
*Com informações de O Dia

Protesto contra ataque a quatro lésbicas no estado de São Paulo Resposta


Ontem (13/01), a Organização Não Governamental (ONG) Diversitas realizou um protesto contra o que ela classifica de “ataque homofóbico” em Taboão da Serra, região metropolitana do estado de São Paulo (SP). Cerca de 50 pessoas estiveram em frente ao Mc Donald’s, onde aconteceu a agressão.

O caso foi noticiado pelo “Entre Nós” (leia detalhes, clicando aqui): dois homens e uma mulher, aparentemente sem motivo, agrediram quatro lésbicas no Mc Donald’s.


Wanderley Bressan, presidente da Diversitas disse que “a homofobia não tem espaço em Taboão da Serra. Esse é o nosso lugar, onde trabalhamos e vivemos. Chega de homofobia e intolerância”.

Os manfestantes levaram faixae e cartazes, também havia um carro de som no local.


“Sou heterossexual, mas acho absurdo o que aconteceu. As pessoas têm o direito de escolher com que elas querem se relacionar. Mesmo não sendo homossexual, eu abraço essa causa, eles merecem nossa solidariedade”, declarou a chefe de Recursos Humanos, Ana Claudia.


O protesto durou pouco mais de uma hora. Lula Ramirez, militante da ONG Corsa, de São Paulo, disse que “a homofobia faz mal, machuca e mata. Chega de intolerância só porque as pessoas amam de uma maneira diferente. Onde estão as autoridades? Não se trata de privilégio, queremos condições iguais”.


As quatro vítimas não compareceram ao manifesto porque continuam hospitalizadas, segundo Bressan. Os suspeitos prestaram depoimento na quarta-feira, no 1º DP de Taboão da Serra.

A prefeitura de Taboão não se manifestou sobre o assunto. A lanchonete Mc Donald’s lamentou o ocorrido e está colaborando com a polícia.

Dica de filme – 8: The Mormon Proposition Resposta


Ontem (13/01) assisti a um documentário muito bom a respeito da proposição 8, lei que protege o casamento na Califórnia, e que tirou os direitos conquistados pelos homossexuais e poderem se casar com seus parceiros. O documentário ¨8: The Mormon Proposition¨, é dirigido por um ex missionário mórmon, e mostra como a Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, os mórmons, fez para que a maioria dos votantes fossem contra ao casamento gay, em eleição realizada no mesmo dia que elegeram Barack Obama como presidente dos Estados Unidos.

Um mixto de lavagem cerebral, doença e fanatismo, a igreja conseguiu arrecadar uma quantia enorme em dinheiro para campanhas publicitárias das mais bizarras possíveis, com a intenção de buscar o maior número de pessoas que apoiassem o fim do casamento gay na Califórnia, além de mostrar como a igreja dos mórmons se uniu com a igreja católica.

Mostra a luta e a tristeza de casais homossexuais pelo reconhecimento e direito ao casamento. O filme estreou no Sundance Festival 2010, e ¨8: The Mormon Proposition¨ é um vídeo que deve ser visto por todos para que as pessoas possam entender como é o mundo em que vivemos e como existe gente capaz de tudo para acabar com os homossexuais, inclusive usando a tortura para mudar o comportamento dos homossexuais. Isso não é uma coisa que aconteceu no passado. Isso aconteceu em 2008.

Assista o trailer:

Portugal contabiliza apenas 1% de casamentos gays realizados em 2010 Resposta

Dos casamentos realizados em Protugal no ano de 2010, apenas 1% foi entre casais do mesmo sexo. De acordo com o Ministério da Justiça no país, no ano passado foram celebrados 30.286 casamentos, e apenas 277 foram uniões entre casais homossexuais.

É importante considerar, portanto, que os casamentos entre pessoas do mesmo sexo em Portugal só começaram a acontecer depois que entrou em vigor a legislação, no dia 7 de Junho de 2010.

Lisboa e Porto foram as cidades que mais realizaram o casamento gay no país.

BBB11: Maria posou nua ao lado de outra mulher Resposta

Maria Melilo, do Big Brother Brasil (BBB) 11 e a modelo Viviane Carlstron posaram nuas e juntas mais de uma vez. O primeiro ensaio foi revista “Vip” e o segundo para a revista “Maxim”. Só que desta vez as cenas foram mais explícitas. Parece ser um ensaio lésbica.

Quem está contente com a repercussão é Viviane que, graças às fotos com a amiga, que alçou o posto de celebridade instantânea no “BBB”, recebeu convites para fazer presenças em eventos. Veja as fotos:



Roberta Close se recusa a dar opinião sobre Ariadna no BBB Resposta

0

A transexual mais famosa do Brasil Roberta Close, se recusou a tecer qualquer tipo de comentário sobre a participação da transexual Ariadna no reality show Big Brother Brasil. Em entrevista feita por telefone, Roberta, que mora em Zurique, na Suíça, não gostou quando foi perguntada sobre a opinião dela a respeito da sister:


– Não tenho nada a comentar sobre esse assunto. Nunca estive no BBB. Se você quiser me perguntar sobre outros temas, falar de trabalho, eu estou aqui.

Mesmo quando foi perguntada se ela não achava importante, como uma personalidade LGBT, a inclusão de Ariadna em um reality de grande sucesso da tv brasileira, Roberta Close foi curta e grossa:

– A transexual do BBB não me diz respeito. Acho que todas as mulheres devem participar. Ainda mais agora que temos uma presidente mulher.

Roberta, que hoje está com 46 anos, fez grande sucesso nas décadas de 80 e 90, quando desfilava no carnaval carioca e posava para revistas masculinas. Em 1989, fez a cirurgia de mudança de sexo na Inglaterra. 

Uma pena Roberta não querer se pronunciar, já que muitas transexuais a tem como exemplo de força e mulher.

Ministro da Educação fala sobre cartilha contra homofobia Resposta

O ministro da Educação, Fernando Haddad, falou na última quinta-feira (13/01) que foi elaborada uma cartilha para orientar os alunos das escolas públicas sobre o preconceito e a aversão a homossexuais, a homofobia. Sobre os filmes que devem ser divulgados nas escolas públicas, para alunos do ensimo médio, ele não falou nada.

Leia também: Deputados fundamentalistas se unem contra kit anto-homofobia


Leia também: Jair Bolsonaro, o deputado homofóbico

Segundo o ministro, por ser “delicado”, o tema será tratado com critério. O material já foi elaborado e ainda passará pela avaliação de um comitê de especialistas.
“O MEC tem sido muito criterioso. As obras que são mandadas para as escolas são clássicas ou passam por uma avaliação. O assunto é delicado, se não fosse, não precisaria ser trabalhado nas escolas. Vamos fazer isso da maneira mais respeitosa com a sociedade”, disse o ministro.
Haddad informou ainda que na fase de aprovação o material será discutido. “Não é uma questão de tomar partido, mas de cumprir uma obrigação constitucional de informar sobre um direito assegurado”, disse.
A necessidade de discutir homofobia nas escolas foi identificada pelo MEC, diante da constatação de que o assunto incita ódio, a violência e a exclusão, e pode até estimular a evasão escolar. Desde 2004, funciona no MEC a Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade, responsável também por tratar assuntos como a homofobia.
*Com informações do G1