Confira os vencedores do "Triângulo Rosa" e do "Troféu Pau de Sebo" Resposta

O jornalista, âncora do telejornal “Brasil Urgente” (Band), o deputado federal ultradireitista Jair Bolsonaro (PP-RJ) e a torcida organizada do time de futebol São Paulo foram os grandes vencedores do Troféu “Pau de Sebo” na 21 edição do Oscar Gay (cacófato proposital), sempre anunciado após a festa de Hollywood. Os três são apontados pelo grupo como inimigos dos homossexuais pelo Grupo Gay da Bahia (GGB), responsável pelo prêmio.
Bolsonaro receberá o “Pau de Sebo” em retribuição à sua campanha contra “a presença de gays no exército, contra o Programa Escola sem Homofobia” e por estimular aos pais agredirem filhos homossexuais como corretivo para impedir tais tendências.
A torcida organizada do São Paulo, Dragões da Real, receberá o troféu por “matéria homofóbica veiculada no site da torcida”.
Datena, após ser condenado por homofobia pela Justiça, agora receberá o prêmio em resposta à sua prática discriminatória contra travestis”, denunciada pela Defensoria Pública de São Paulo.
O fundador do GGGB, Luiz Mott, lembra que o Pau de Sebo está integrado ao folclore brasileiro e serve para ridicularizar os inimigos dos LGBT (lésbica, gay, bissexuais e transgêneros)”. “Por mais que queiram destruir o movimento de libertação homossexual, nunca chegam aos seu objetivo, caindo e se lambuzando no pau de sebo da intolerância”, diz Mott.
Entre as personalidades que se destacaram, em 2010, na defesa dos direitos dos LGBT, estão a cantora Adriana Calcanhotto, “por tornar público seu casamento no cartório com Susana de Moraes”), a atriz Cláudia Raia e o escritor Luis Fernando Verissimo, defensores da legalização do casamento gay, e a atriz Suzana Vieira, “por condenar as manifestações de homofobia no Big Brother Brasil 10”.
Confira os vencedores do “Troféu Triangulo Rosa:

1) Na área Federal: os Governadores da Bahia, Piauí, Goiás, São Paulo, Pernambuco e Paraíba, pela institucionalização da Coordenadoria/Comitê LGBT, do Dia Estadual de Combate a Homofobia, Oficialização do uso Nome social para travestis, Ambulatório de saúde para transexuais, Delegacia para crimes homofóbicos. Também foram agraciados a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) por determinar que planos de saúde privados incluam como beneficiários os parceiros do mesmo sexo; Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) por incluir informações sobre casais homossexuais no Censo Demográfico e a Infraero, por conferir benefícios trabalhistas aos parceiros de funcionários; a Procuradoria Geral da República, por solicitar ao Supremo Tribunal Federal convocação de audiência pública para discutir o reconhecimento da união entre pessoas do mesmo sexo e o Tribunal de Justiça de Mato Grosso por conceder direito a retificação de registro civil de transexual; o Banco do Brasil por autorizar emissão de cartões com nome social das Travestis e Transexuais; Ministério da Educação e Cultura por permitir que o contrato de união estável entre pessoas do mesmo sexo sirva de comprovação de renda familiar para participação no ProUni; Exame Nacional de Ensino Médio (ENEM), por elaborar uma questão específica sobre homofobia na prova de Ciências Humanas; Ministério Público de SP, por autorizar a uma transexual o direito de mudança de nome em todos os documentos sem necessidade da cirurgia de transgenitalização, Ministério Público Federal do Piauí, por ajuizar ação para incluir o direito de inclusão do companheiro LGBT como dependente na declaração do Imposto de Renda; Vara de Registro Civil da Bahia, pela sentença favorável à mudança de nome da vereadora transexual Leo Kret do Brasil e 6ª Vara Cível da Comarca de Aracaju, por autorizar a mudança de prenome e sexo de transexual.

2) Na área municipal: a Prefeitura e Câmara Municipal de Maringá (PR), São Paulo (SP), Barra do Piraí e Maricá (RJ), Penedo (AL), Joinville (SC), Teresina (PI), Feira de Santana e Simões Filho (BA), pela Instituição do Programa Escola Sem Homofobia, Oficialização de 17 de Maio como Dia Municipal de Combate a Homofobia, Uso do nome social por transgêneros, Lei contra Homofobia, Coordenadoria e Conselho da Diversidade Sexual e da População LGBT, Oficinas sobre Diversidade Sexual, Reconhecimento de Direitos Previdenciários do Parceiro de funcionário público.

3) Na área da Justiça: o Supremo Tribunal Federal, Tribunal de Justiça do Amazonas, 3ª Câmara Civil do Rio Grande do Norte, Superior Tribunal de Justiça do RJ, 3ª Vara da Família de Porto Velho (RO), 1ª Vara Cível de Belo Horizonte (MG), Tribunal Regional Federal da 3ª região (SP/MS), Advocacia Geral da União (AGU) por reconhecerem o direito à união entre pessoas do mesmo sexo para o recebimento de benefícios previdenciários, pela aprovação de regras para lavratura de Escritura Pública de Declaração de Convivência e União Homoafetiva; por dar ganho de causa à adoção por casal gay em oposição à negativa do Ministério Público; a Superintendência do Sistema Penitenciário do Pará, por garantir o direito a visitas íntimas à detentos homossexuais e Justiça Federal de Goiás, por autorizar a um gay americano o direito de permanecer no Brasil com seu parceiro brasileiro; 5ª Vara de Fazenda Pública (SP), pela condenação do Estado a indenizar um gay agredido por grupo de skinheads no centro da capital; Juizado da Infância e Juventude de Goiânia, 4ª Turma do Superior Tribunal de Justiça (RS), Superior Tribunal de Justiça (RJ), Tribunal de Justiça de Bagé (RS) e Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul, por conceder a adoção de criança por casal de lésbicas e gays, por conceder registro civil de adoção e paternidade a casal gay e de lésbicas; 5ª Câmara Civil do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul, por determinar a destruição de 289 exemplares da obra, “A Maldição de Deus sobre o Homossexual” de autoria de um pastor evangélico homofóbico de Campo Grande; Ministério Público Federal e 20ª Vara Federal de São Paulo (SP), por acatar ação contra o Plano de Saúde Omint por discriminar parceiro homossexual e Polícia Civil e Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (SP), pela quebra dos sigilos de “O Parasita”, jornal homofóbico produzido por alunos da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da USP; Tribunal Regional da 1ª Região (MG), por manter a inclusão de um funcionário aposentado da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) como beneficiário de pensão vitalícia de seu finado companheiro e 19ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça (RJ), por reconhecer o direito de herança à professora após morte da companheira.

4) Conselhos: Conselho Federal de Medicina, por liberar cirurgia de redesignação genital para transexual maculino; Conselho Estadual de Educação de Alagoas, pelo apoio ao respeito do nome social das travestis e transexuais em documentos escolares; Conselho de Moradia Universitária da UFMG, por expulsar aluno homófobo que agrediu residente gay; Ordem dos Advogados do Brasil, pela criação da Comissão especial de Diversidade Sexual, Combate à Homofobia e Uniões Homoafetivas.

5) Secretarias: Secretaria de Trabalho, Cidadania e de Assistência Social do Piauí, pela criação do primeiro Conselho LGBT do Nordeste; Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos de Manaus, Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos da Bahia, Secretária Municipal de Assistência Social em Fortaleza, pela defesa e institucionalização do uso do nome social (feminino) para travestis e transexuais em diferentes instâncias públicas e particulares; Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública de Mato Grosso, pela criação do Centro de Referência de Combate à Homofobia LGBT.

6) Defensoria Pública: de Mato Grosso, Defensoria Pública de Bauru (SP) pela ação de retificação de registro civil a um transexual, sem que o mesmo precisasse se submeter à cirurgia de redesignação sexual; Defensoria Pública do Estado do Pará pela defesa do casamento gay.

7) Personalidades públicas: O Senador Eduardo Suplicy e Presidente da OAB Ophir Cavalcante, por condenarem as declarações homofóbicas do general Raimundo Nonato contra a presença de homossexuais nas Forças Armadas; Coronel Afonso Henrique Pedrosa, comandante do Forte de Copacabana do Exército brasileiro, por declarar não admitir qualquer conduta homofóbica entre seus comandados; Pedro Abramovay, Secretario Nacional de Justiça, por afirmar que o Ministério da Justiça não faz restrição de exibir beijo gay e cenas do tipo, em obras de dramaturgia na televisão, em qualquer horário.

8) Religião: Igreja Episcopal Anglicana de Goiânia, pela criação da Pastoral da Diversidade Sexual; Pastoral Carcerária da Arquidiocese de Olinda e Recife, por denunciar que 16 presos homossexuais tiveram suas cabeças raspadas no Presídio Aníbal Bruno; Padre Fábio de Melo, da TV Canção Nova, por acolher cordialmente a um jovem gay que queria se matar e pela denúncia contra o “moralismo cego, que nos impede de ver o outro”.

9) Academia: Universidade de São Paulo (USP), pela criação do Programa de Estudos da Diversidade Homossexual; Universidade do Estado da Bahia, Núcleo Diadorim de Estudos de Gênero e Sexualidade pelo projeto e ações de combate à homofobia; a Fundação Mineira de Educação e Cultura (BH), por disciplinar aluno que injuriou professor homossexual.

10) Artistas e cultura: Cantora Adriana Calcanhotto, por tornar público seu casamento no cartório com Susana de Moraes, diretora de cinema e filha de Vinicius de Moraes; Atriz Cláudia Raia e jornalista Luiz Fernando Veríssimo, por declarar apoio a legalização do casamento gay; Atriz Susana Vieira, por condenar as manifestações de homofobia no Big Brother Brasil 10; Escritor Walcyr Carrasco, pelo livro “Meus dois pais”, obra pioneira com temática homossexual para crianças; Cartunista baiano Tomas M. pelo lançamento de tiras com personagens gays; Ator Buza Ferraz (1950-2010), in memoriam, por representar o primeiro casal gay da tv brasileira, ao lado de Ziembinski, na novela Rebu (Globo, 1975); Escola de Samba Imperatriz do Forte, (Vitória, ES), por incluir uma travesti como portabandeira.

11) Imprensa e TV: Site de pesquisa Google, pelo alerta de noticias contra homofobia; Folha de São Paulo, pelo editorial “Uma questão de justiça”, em defesa da cidadania LGBT; Clipping de Notícias do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde, pela seleção de reportagens ligadas à temática homossexual; Jornalista Mahomed Saigg, do jornal O Dia (RJ), pela matéria sobre os danos da homofobia no abandono escolar de jovens LGBT; Jornalista Keka Werneck, de Cuiabá, pela defesa da cidadania das travestis; Programa Qual é o seu Talento (SBT), por exibir beijo de um casal gay de dançarinos; Programa Troca de Famílias, (TV-Record), por mostrar uma família que aceita com naturalidade um filho gay adolescente; apresentador Faustão Silva, por defender repetidamente o respeito à população LGBT; Rede de TV Globo, por exibir diversas entrevistas e matérias simpáticas à militância gay, pela cobertura do Fantástico sobre Homofobia em Uganda, pelas reportagens sobre agressões homofóbicas na Avenida Paulista.

Confira os vencedores do “Troféu Pau de Sebo:

1) Deputado Federal Jair Bolsonaro, por diversas declarações contra a cidadania homossexual e estimular aos pais darem palmada em seus filhos como corretivo para impedir tendências homossexuais

2) Câmara Municipal de Salvador, por ter dado nome de rua ao maior homófobo do Brasil dos anos 90, o jornalista baiano Berbert. “O mais chocante, diz Luiz Mott, é que na Câmara há uma vereadora transexual, uma “frente parlamentar LBGT” e nem por isto, impediram este acinte aos gays da Bahia. O homófobo homenageado defendeu duas vezes no principal jornal baiano: “Mantenha Salvador limpa, mate uma bicha todo dia!” A Bahia por dois anos consecutivos foi a campeão nacional de assassinados de LGBT, 30 homocídios em 2010!

3) Apresentador Datena, programa Brasil Urgente (TV-BAnd) condenado pela Defensoria Pública de SP por “prática discriminatória contra travestis” e o Apresentador Augusto Canário (Rede Massa-SBT, Paraná), por declarar-se contra a candidatura de gays a cargos eleitorais.

4) Justiça Militar do Exército pela condenação dos sargentos Laci Araújo e Fernando Alcântara, casal militar que se assumiu sua união homossexual em rede nacional; Superior Tribunal Militar, pela exclusão e aposentadoria compulsória de um tenente-coronel das Forças Armadas, por motivo de sua homossexualidade

5) 7ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo por defender a impossibilidade jurídica do reconhecimento da relação estável homoafetiva e a 3ª Turma do Superior Tribunal de Justiça do RS, por negar o reconhecimento da união estável de dois casais gays; o Presídio Aníbal Bruno, Olinda e Recife por raspar a cabeça de 16 presos homossexuais.

6) Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) pela oposição da instalação de máquinas de camisinhas em escolas de Ensino Médio da rede pública.

7) Torcida organizada do São Paulo Futebol Clube, Dragões da Real, por matéria homofóbica veiculada no site da torcida

8) Centro Acadêmico dos Estudantes da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da USP, por incentivar estudantes através, de e-mail e do Orkut de “O Parasita”, a jogar fezes em homossexuais na USP ;

9) Doceria Ofner, (SP), pela discriminação praticada por um segurança constrangendo um casal gay por se abraçarem.

10) Alexandre Frota e Gloria Perez por apoiarem declarações homofóbicas de Dourado, vencedor do programa Big Brother Brasil 10.”

O que você acha disso?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s