Assassinato de ativista de Direitos Humanos em Goiás pode ter sido crime homofóbico Resposta

Sebastião: assassinado com requintes de crueldade
A Associação Grupo Ipê Amarelo Pela Livre Orientação Sexual (Giama) denunciou na tarde da última segunda-feira (14/03) que o assassinato do ativista dos Direitos Humanos, Sebastião Bezerra da Silva, seria um crime homofóbico. Segundo o presidente da Giamma, Sivanio Mota, um dos irmãos teria declarado o envolvimento com o ativista ao programa “Balanço Geral” da TV Record de Goiás.
A prisão dos irmãos Ricardo José Gonçalves, 20 anos e Janes Miguel Gonçalves Junior, 19 anos, suspeitos de serem autores do assassinato de Sebastião, no dia 27/02, repercutiu na imprensa goiana na última segunda.
Em contato telefônico com o site “Roberta Tum”, o presidente do Giama, Silvânio Mota, diz sustentar, desde o início, que o crime tenha sido cometido por homofobia, “devido à tortura”. O presidente do Giama diz ainda ter apurado com pessoas próximas à vítima que ele seria bissexual.
O resultado do laudo que aponta a causa da morte indica que o ativista teria morrido de asfixia por estrangulamento e amassamento do crânio. Segundo email do Giama, o ativista foi morto “com requintes de crueldade e teve o dedo do polegar esquerdo e uma das pernas quebrados. Pela forma que morreu, tem todas as características de ter sido tortura de morte, portanto, vingança”, destacou.
De acordo com Silvano, este seria o segundo caso de crime por homofobia no estado de Goiás (GO), apenas este ano. “Desde 2002, quando o Giama vem monitorando os crimes dessa natureza no Estado, já somam 25, todos com requinte de crueldade. Daí, pelas evidências, denunciamos mais esse crime com claras motivações homofóbicas”, afirmou.
O titular da Delegacia Especializada em Investigações Criminais (Deic), de Gurupi (GO), Jacson Ribas, informou ao site Patrulhaweb que os irmãos Ricardo José e Janes chegaram na cidade por volta de 1h desta terça-feira (15/03).
De acordo com o delegado, os acusados que já se encontram na Casa de Prisão Provisória do Gurupi (CPPG), serão interrogados ainda nesta manhã. “As oitavas serão iniciadas nesta manhã. Temos alguns pontos que precisam ser esclarecidos”, explicou Ribas, acrescentando que logo que o interrogatório seja concluído, eles serão apresentados a imprensa.
No último domingo (13/03) Ribas informou ao Patrulhaweb que, além de Ricardo José e Janes, foi presa na tarde de sábado (12/03) uma terceira pessoa acusada de participar do crime.
Por questões de segurança, de acordo com o delegado, o nome do terceiro acusado não foi divulgado.
Ainda no domingo, Ribas disse que a prisão dos três supostamente envolvidos no crime ocorreu após escutas telefônicas autorizadas pela Justiça indicar o local onde os suspeitos se escondiam.
*Com informações do “Vermelho”, “Roberta Tum”, “Balanço Geral”, “RT” e “Cleber Toledo”.

Campanha publicitária de shampoo muda após ser acusada de homofóbica Resposta

Em Portugal, a Proctel & Gamble decidiu mudar o comercial do shampoo H&S, após o site “Dezenove” acusá-lo de homofóbico.
No site de divulgação do shampoo, existia uma brincadeira onde o internauta digitava uma palavra para ver se ela estaria na cabeça dos homens.
Quando o internauta digitava a palavra “gay”, aparecia uma professora de cara feia, dizendo que ele nunca deveria ter escrito aquilo. Quando o internauta digitava a palavra “homem”, duas mulheres apareciam na tela e faziam o sinal de não com os dedos.
Após a denúncia do “Dezenove”, a Proctel & Gamble mudou a ação publicitária. A empresa ainda disse que possui um trabalho extenso na área LGBT (lésbica, gay, bissexual e transgênero) por meio da entidade Gable.

Papa pede que católicos brasileiros se posicionem contra o casamento gay 1

O Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) divulgou uma carta em que o papa Bento XVI pede que os católicos brasileiros se posicionem contra o aborto e o casamento gay.
“Sem clara defesa da vida humana, desde sua concepção até a morte natural; sem uma defesa da família baseada no matrimônio entre um homem e uma mulher; sem uma verdadeira defesa daqueles que são excluídos e marginalizados pela sociedade, sem esquecer, neste contexto, daqueles que perdem tudo, vítimas de desastres naturais, nunca se poderá falar de uma autêntica defesa do meio-ambiente”, conta no documento escrito por ocasião do lançamento da Campanha da Fraternidade, na última quarta-feira.

Rapaz é vítima de homofobia dentro de universidade dos EUA Resposta

Um aluno da Universidade George Washington, localizada em Washington, capital dos Estados Unidos da América (EUA), foi atacado em um crime com características homofóbicas.
A vítima, um estadunidense estudante do último ano, foi espancada e xingada de “bichinha de merda”. O rapaz agredido é heterossexual e teve ferimentos na cabeça. Ele não quis se identificar. O agressor, identificado como Ross Richardson está preso e vai responder na Justiça por crime de ódio.

Religiosos querem criar um ¨código de conduta¨ para homossexuais em uma ilha do Caribe Resposta

Porto de Saint Maarten
Um grupo de pastores da pequena ilha caribenha de Saint Maarten disse que ¨a influência corruptora de turistas homossexuais deve ser impedida¨. Por isso, eles querem que o parlamento local imponha um “código de conduta” para evitar que novos visitantes que vêm através de navios de cruzeiro gay cometam demonstrações públicas de afeto. Os pastores se reuniram ontem com a Comissão do Parlamento do turismo para apresentar suas reivindicações. 

O pastor Wycliffe Smith, que chefiou a delegação, disse que o grupo foi guiado pela palavra de Deus e não tem sido motivado politicamente ou manipulado por alguém para defender estas questões. Ele disse que as igrejas estão seguindo a regra de Deus, amando o pecador, mas odiando o pecado. 
Smith disse que os homossexuais estão indo para a ilha todos os dias através do aeroporto e do porto, além dos muitos que já vivem lá. Ele alega que os gays não devem impor seu modo de vida e devem se conter mais nas demonstrações públicas de afeto. E completa:
– Como uma nação cristã, nós amamos os homossexuais, mas não amamos o seu estilo de vida. 
Um outro pastor disse que a preocupação era que o cruzeiro gay seria uma ¨avalanche¨ de homossexuais na ilha, e que, ¨se St. Maarten não parar este fluxo, provavelmente em 15 anos no futuro a ilha vai ter que expandir as suas prisões e hospitais por causa dos gays¨. 
Um membro do parlamento registou as preocupações dos pastores, mas disse que qualquer alteração à lei local teria que estar em consonância com os tratados de direitos humanos que a ilha tem com a Holanda.

Candidato da África do Sul vence Mr. Gay Mundo pelo segundo ano consecutivo Resposta

Francios Nel – Mr. Gay Mundo 2011
Depois de uma intensa semana de sessões fotográficas, desfiles e competições ao ar livre com concorrentes do mundo inteiro, um sul africano venceu o Mr. Gay Mundo pelo segundo ano consecutivo. 

Francios Nel tem 28, e é um maquiador de Centurión, no norte da África do Sul. Por conta da vitória dele, o concurso de Mr. Gay Mundo de 2012 será em, Joanesburgo. 
Nel recebe um troféu de prata, jóias e roupas, além de um pacote de viagem no valor de 50 mil reais para visitar os cinco continentes onde ele vai pdoer ir a vários eventos do Orgulho Gay e dos direitos humanos.
O Mr. Gay World este ano foi realizado nas Filipinas. O evento de quatro dias não foi apenas uma chance para os candidatos posarem para fotos e mostrar seus corpor. Todos os participantes passaram um dia inteiro visitando um projeto de restauração das favelas de Manila, onde foram doados suplementos para ajudar a revitalizar uma biblioteca e uma sala de informática. Os competidores também levaram livros, jogos e brinquedos para um crianças povres da pré-escola.

Cantora Paula Fernandes fala da identificação das lésbicas com seu trabalho 50


A cantora Mineira Paula Fernandes, 27 anos, em 25/12, encantou o cantor Roberto Carlos e provocou a curiosidade do público: será que ela estaria namorando o Rei? Mesmo após o cantor negar o relacionamento com ela, o assunto ainda rende. Paula ficou conhecida nacionalmente e despertou a atenção de uma parcela considerável de lésbicas.
Em entrevista à revista “Billboard Brasil” deste mês, Paula fala sobre o assédio das lésbicas: “A mulher se identifica com as músicas, porque é linguagem feminina. Então atrai muito mais”.

Ex-marido deverá afirmar em biografia que Sandra Bullock é lésbica 1

A revista estadunidense “National Enquirer” desta semana traz uma matéria sobre a biografia que o motoqueiro Jasse James, ex-marido da atriz Sandra Bullock, está prestes a lançar. Jesse pretende contar detalhes dos cinco anos em que viveu com Sandra.
Segundo a revista, Jesse está prestes a dizer ao mundo que Sandra é lésbica. No livro, ele contará que a atriz era ruim de cama e que evitava ter relações sexuais, pois sempre dormia abraçada a um livro ou script de cinema e rodeada de cinco ou seis cães. Baixaria total, não?
Uma fonte disse à revista que Jesse desabafou com um amigo que Sandra não sentia atração física por ele e que meses antes do fim do casamento eles já não praticavam sexo. Mas só por isso ela seria lésbica? Essa história está mal contada. Vai ver, Jesse não é bom de cama.

Lady Gaga rompe contrato com rede de lojas que apoiou candidatos homofóbicos Resposta

Atitude: é isso que muitas pessoas precisam ter. E funciona, principalmente quando pesa no bolso. Boicotar empresas que veiculam ou assinantes que patrocinam programas homofóbicos, por exemplo. Temos que, além de reclamar, agir. E foi pensando nisso que Lady Gaga rompeu um contrato milionário com a rede de lojas departamento Target. A Target teria monopólio sobre uma versão exclusiva do novo álbum da cantora, “Born This Way”, que será lançado em 23/05.
Após ser criticada pela parceria entre ela e a rede de departamentos, por fãs LGBT (lésbica, gay, bissexual e transgênero) e por ativistas, Gaga anunciou que a empresa mudaria de posição: ela apoiava ações contra o casamento gay e candidatos homofóbicos.
A Target doou e apoiou campanhas pró-gays, mas manteve suas doações e relações com políticos e entidades contrárias aos direitos LGBT. Então, Lady rompeu contrato.

Confira os vencedores do "Triângulo Rosa" e do "Troféu Pau de Sebo" Resposta

O jornalista, âncora do telejornal “Brasil Urgente” (Band), o deputado federal ultradireitista Jair Bolsonaro (PP-RJ) e a torcida organizada do time de futebol São Paulo foram os grandes vencedores do Troféu “Pau de Sebo” na 21 edição do Oscar Gay (cacófato proposital), sempre anunciado após a festa de Hollywood. Os três são apontados pelo grupo como inimigos dos homossexuais pelo Grupo Gay da Bahia (GGB), responsável pelo prêmio.
Bolsonaro receberá o “Pau de Sebo” em retribuição à sua campanha contra “a presença de gays no exército, contra o Programa Escola sem Homofobia” e por estimular aos pais agredirem filhos homossexuais como corretivo para impedir tais tendências.
A torcida organizada do São Paulo, Dragões da Real, receberá o troféu por “matéria homofóbica veiculada no site da torcida”.
Datena, após ser condenado por homofobia pela Justiça, agora receberá o prêmio em resposta à sua prática discriminatória contra travestis”, denunciada pela Defensoria Pública de São Paulo.
O fundador do GGGB, Luiz Mott, lembra que o Pau de Sebo está integrado ao folclore brasileiro e serve para ridicularizar os inimigos dos LGBT (lésbica, gay, bissexuais e transgêneros)”. “Por mais que queiram destruir o movimento de libertação homossexual, nunca chegam aos seu objetivo, caindo e se lambuzando no pau de sebo da intolerância”, diz Mott.
Entre as personalidades que se destacaram, em 2010, na defesa dos direitos dos LGBT, estão a cantora Adriana Calcanhotto, “por tornar público seu casamento no cartório com Susana de Moraes”), a atriz Cláudia Raia e o escritor Luis Fernando Verissimo, defensores da legalização do casamento gay, e a atriz Suzana Vieira, “por condenar as manifestações de homofobia no Big Brother Brasil 10”.
Confira os vencedores do “Troféu Triangulo Rosa:

1) Na área Federal: os Governadores da Bahia, Piauí, Goiás, São Paulo, Pernambuco e Paraíba, pela institucionalização da Coordenadoria/Comitê LGBT, do Dia Estadual de Combate a Homofobia, Oficialização do uso Nome social para travestis, Ambulatório de saúde para transexuais, Delegacia para crimes homofóbicos. Também foram agraciados a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) por determinar que planos de saúde privados incluam como beneficiários os parceiros do mesmo sexo; Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) por incluir informações sobre casais homossexuais no Censo Demográfico e a Infraero, por conferir benefícios trabalhistas aos parceiros de funcionários; a Procuradoria Geral da República, por solicitar ao Supremo Tribunal Federal convocação de audiência pública para discutir o reconhecimento da união entre pessoas do mesmo sexo e o Tribunal de Justiça de Mato Grosso por conceder direito a retificação de registro civil de transexual; o Banco do Brasil por autorizar emissão de cartões com nome social das Travestis e Transexuais; Ministério da Educação e Cultura por permitir que o contrato de união estável entre pessoas do mesmo sexo sirva de comprovação de renda familiar para participação no ProUni; Exame Nacional de Ensino Médio (ENEM), por elaborar uma questão específica sobre homofobia na prova de Ciências Humanas; Ministério Público de SP, por autorizar a uma transexual o direito de mudança de nome em todos os documentos sem necessidade da cirurgia de transgenitalização, Ministério Público Federal do Piauí, por ajuizar ação para incluir o direito de inclusão do companheiro LGBT como dependente na declaração do Imposto de Renda; Vara de Registro Civil da Bahia, pela sentença favorável à mudança de nome da vereadora transexual Leo Kret do Brasil e 6ª Vara Cível da Comarca de Aracaju, por autorizar a mudança de prenome e sexo de transexual.

2) Na área municipal: a Prefeitura e Câmara Municipal de Maringá (PR), São Paulo (SP), Barra do Piraí e Maricá (RJ), Penedo (AL), Joinville (SC), Teresina (PI), Feira de Santana e Simões Filho (BA), pela Instituição do Programa Escola Sem Homofobia, Oficialização de 17 de Maio como Dia Municipal de Combate a Homofobia, Uso do nome social por transgêneros, Lei contra Homofobia, Coordenadoria e Conselho da Diversidade Sexual e da População LGBT, Oficinas sobre Diversidade Sexual, Reconhecimento de Direitos Previdenciários do Parceiro de funcionário público.

3) Na área da Justiça: o Supremo Tribunal Federal, Tribunal de Justiça do Amazonas, 3ª Câmara Civil do Rio Grande do Norte, Superior Tribunal de Justiça do RJ, 3ª Vara da Família de Porto Velho (RO), 1ª Vara Cível de Belo Horizonte (MG), Tribunal Regional Federal da 3ª região (SP/MS), Advocacia Geral da União (AGU) por reconhecerem o direito à união entre pessoas do mesmo sexo para o recebimento de benefícios previdenciários, pela aprovação de regras para lavratura de Escritura Pública de Declaração de Convivência e União Homoafetiva; por dar ganho de causa à adoção por casal gay em oposição à negativa do Ministério Público; a Superintendência do Sistema Penitenciário do Pará, por garantir o direito a visitas íntimas à detentos homossexuais e Justiça Federal de Goiás, por autorizar a um gay americano o direito de permanecer no Brasil com seu parceiro brasileiro; 5ª Vara de Fazenda Pública (SP), pela condenação do Estado a indenizar um gay agredido por grupo de skinheads no centro da capital; Juizado da Infância e Juventude de Goiânia, 4ª Turma do Superior Tribunal de Justiça (RS), Superior Tribunal de Justiça (RJ), Tribunal de Justiça de Bagé (RS) e Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul, por conceder a adoção de criança por casal de lésbicas e gays, por conceder registro civil de adoção e paternidade a casal gay e de lésbicas; 5ª Câmara Civil do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul, por determinar a destruição de 289 exemplares da obra, “A Maldição de Deus sobre o Homossexual” de autoria de um pastor evangélico homofóbico de Campo Grande; Ministério Público Federal e 20ª Vara Federal de São Paulo (SP), por acatar ação contra o Plano de Saúde Omint por discriminar parceiro homossexual e Polícia Civil e Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (SP), pela quebra dos sigilos de “O Parasita”, jornal homofóbico produzido por alunos da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da USP; Tribunal Regional da 1ª Região (MG), por manter a inclusão de um funcionário aposentado da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) como beneficiário de pensão vitalícia de seu finado companheiro e 19ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça (RJ), por reconhecer o direito de herança à professora após morte da companheira.

4) Conselhos: Conselho Federal de Medicina, por liberar cirurgia de redesignação genital para transexual maculino; Conselho Estadual de Educação de Alagoas, pelo apoio ao respeito do nome social das travestis e transexuais em documentos escolares; Conselho de Moradia Universitária da UFMG, por expulsar aluno homófobo que agrediu residente gay; Ordem dos Advogados do Brasil, pela criação da Comissão especial de Diversidade Sexual, Combate à Homofobia e Uniões Homoafetivas.

5) Secretarias: Secretaria de Trabalho, Cidadania e de Assistência Social do Piauí, pela criação do primeiro Conselho LGBT do Nordeste; Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos de Manaus, Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos da Bahia, Secretária Municipal de Assistência Social em Fortaleza, pela defesa e institucionalização do uso do nome social (feminino) para travestis e transexuais em diferentes instâncias públicas e particulares; Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública de Mato Grosso, pela criação do Centro de Referência de Combate à Homofobia LGBT.

6) Defensoria Pública: de Mato Grosso, Defensoria Pública de Bauru (SP) pela ação de retificação de registro civil a um transexual, sem que o mesmo precisasse se submeter à cirurgia de redesignação sexual; Defensoria Pública do Estado do Pará pela defesa do casamento gay.

7) Personalidades públicas: O Senador Eduardo Suplicy e Presidente da OAB Ophir Cavalcante, por condenarem as declarações homofóbicas do general Raimundo Nonato contra a presença de homossexuais nas Forças Armadas; Coronel Afonso Henrique Pedrosa, comandante do Forte de Copacabana do Exército brasileiro, por declarar não admitir qualquer conduta homofóbica entre seus comandados; Pedro Abramovay, Secretario Nacional de Justiça, por afirmar que o Ministério da Justiça não faz restrição de exibir beijo gay e cenas do tipo, em obras de dramaturgia na televisão, em qualquer horário.

8) Religião: Igreja Episcopal Anglicana de Goiânia, pela criação da Pastoral da Diversidade Sexual; Pastoral Carcerária da Arquidiocese de Olinda e Recife, por denunciar que 16 presos homossexuais tiveram suas cabeças raspadas no Presídio Aníbal Bruno; Padre Fábio de Melo, da TV Canção Nova, por acolher cordialmente a um jovem gay que queria se matar e pela denúncia contra o “moralismo cego, que nos impede de ver o outro”.

9) Academia: Universidade de São Paulo (USP), pela criação do Programa de Estudos da Diversidade Homossexual; Universidade do Estado da Bahia, Núcleo Diadorim de Estudos de Gênero e Sexualidade pelo projeto e ações de combate à homofobia; a Fundação Mineira de Educação e Cultura (BH), por disciplinar aluno que injuriou professor homossexual.

10) Artistas e cultura: Cantora Adriana Calcanhotto, por tornar público seu casamento no cartório com Susana de Moraes, diretora de cinema e filha de Vinicius de Moraes; Atriz Cláudia Raia e jornalista Luiz Fernando Veríssimo, por declarar apoio a legalização do casamento gay; Atriz Susana Vieira, por condenar as manifestações de homofobia no Big Brother Brasil 10; Escritor Walcyr Carrasco, pelo livro “Meus dois pais”, obra pioneira com temática homossexual para crianças; Cartunista baiano Tomas M. pelo lançamento de tiras com personagens gays; Ator Buza Ferraz (1950-2010), in memoriam, por representar o primeiro casal gay da tv brasileira, ao lado de Ziembinski, na novela Rebu (Globo, 1975); Escola de Samba Imperatriz do Forte, (Vitória, ES), por incluir uma travesti como portabandeira.

11) Imprensa e TV: Site de pesquisa Google, pelo alerta de noticias contra homofobia; Folha de São Paulo, pelo editorial “Uma questão de justiça”, em defesa da cidadania LGBT; Clipping de Notícias do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde, pela seleção de reportagens ligadas à temática homossexual; Jornalista Mahomed Saigg, do jornal O Dia (RJ), pela matéria sobre os danos da homofobia no abandono escolar de jovens LGBT; Jornalista Keka Werneck, de Cuiabá, pela defesa da cidadania das travestis; Programa Qual é o seu Talento (SBT), por exibir beijo de um casal gay de dançarinos; Programa Troca de Famílias, (TV-Record), por mostrar uma família que aceita com naturalidade um filho gay adolescente; apresentador Faustão Silva, por defender repetidamente o respeito à população LGBT; Rede de TV Globo, por exibir diversas entrevistas e matérias simpáticas à militância gay, pela cobertura do Fantástico sobre Homofobia em Uganda, pelas reportagens sobre agressões homofóbicas na Avenida Paulista.

Confira os vencedores do “Troféu Pau de Sebo:

1) Deputado Federal Jair Bolsonaro, por diversas declarações contra a cidadania homossexual e estimular aos pais darem palmada em seus filhos como corretivo para impedir tendências homossexuais

2) Câmara Municipal de Salvador, por ter dado nome de rua ao maior homófobo do Brasil dos anos 90, o jornalista baiano Berbert. “O mais chocante, diz Luiz Mott, é que na Câmara há uma vereadora transexual, uma “frente parlamentar LBGT” e nem por isto, impediram este acinte aos gays da Bahia. O homófobo homenageado defendeu duas vezes no principal jornal baiano: “Mantenha Salvador limpa, mate uma bicha todo dia!” A Bahia por dois anos consecutivos foi a campeão nacional de assassinados de LGBT, 30 homocídios em 2010!

3) Apresentador Datena, programa Brasil Urgente (TV-BAnd) condenado pela Defensoria Pública de SP por “prática discriminatória contra travestis” e o Apresentador Augusto Canário (Rede Massa-SBT, Paraná), por declarar-se contra a candidatura de gays a cargos eleitorais.

4) Justiça Militar do Exército pela condenação dos sargentos Laci Araújo e Fernando Alcântara, casal militar que se assumiu sua união homossexual em rede nacional; Superior Tribunal Militar, pela exclusão e aposentadoria compulsória de um tenente-coronel das Forças Armadas, por motivo de sua homossexualidade

5) 7ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo por defender a impossibilidade jurídica do reconhecimento da relação estável homoafetiva e a 3ª Turma do Superior Tribunal de Justiça do RS, por negar o reconhecimento da união estável de dois casais gays; o Presídio Aníbal Bruno, Olinda e Recife por raspar a cabeça de 16 presos homossexuais.

6) Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) pela oposição da instalação de máquinas de camisinhas em escolas de Ensino Médio da rede pública.

7) Torcida organizada do São Paulo Futebol Clube, Dragões da Real, por matéria homofóbica veiculada no site da torcida

8) Centro Acadêmico dos Estudantes da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da USP, por incentivar estudantes através, de e-mail e do Orkut de “O Parasita”, a jogar fezes em homossexuais na USP ;

9) Doceria Ofner, (SP), pela discriminação praticada por um segurança constrangendo um casal gay por se abraçarem.

10) Alexandre Frota e Gloria Perez por apoiarem declarações homofóbicas de Dourado, vencedor do programa Big Brother Brasil 10.”

Artistas investem no mundo gay para alavancar suas carreiras Resposta

Reportagem do Correio Braziliense, mostra alguns artistas que vêm investindo no público gay.
A DJ Elenita Rodrigues, costuma tocar em baladas LGBT (lésbica, gay, bissexual e trangênero). Ela ficou conhecida nacionalmente no reality show Big Brother Brasil (BBB), em 2010. Antes de entrar no BBB, Elenita já tocava na balada e tinha uma comunidade no Orkut, que tratava sobre homofobia.
“Não é que vem aumentando o número de gays, ao contrário do que muita gente pensa. Mas as pessoas estão conquistando sua independência financeira e sentindo-se mais à vontade para assumir-se sem o ranço e o preconceito de anos atrás. Ainda há muito para melhorar, mas a sociedade já aceita mais você se o quiser. É um mercado importante que cada vez cresce mais”, acredita Elenita.
Ex-BBBs, aliás, são algumas das personalidades que estão presentes constantemente, segundo o Pernambuco.com, nas baladas LGBT. Ricardo Lucas, um dos produtores da festa “Let’s Club”, que ocorre todas as sextas-feiras na boate Blue Space, diz que os organizadores desse tipo de evento estão sempre antenados em quem está na mídia e analisam se o artista tem ou não a ver com o público gay que frequenta esse tipo de balada.
“Não vou trazer qualquer artista que é bacana, mas que não se identifica com o nosso público. Nã dá para arriscar. A Wanessa é uma das que tem levantado a bandeira do público gay, a Preta Gil também. Quando fazemos festas anos 1980, trazemos as divas daquela época, como Rosanah e Gretchen. Isso sem falar nos BBBs que sempre aparecem para fazer uma presença VIP, especialmente os da edição passada, que se identificaram muito com a questão gay, como a Elenita, o Serginho e o Dicesar (que já se apresentava como a drag queen Dimmy Kieer antes de entrar no programa)”. comenta Ricardo, que se prepara para levar outra ex-BBB, a transexual Ariadna para uma festa, na semana que vem.
Wanessa contou à repórter Ana Clara Brant, do Correio Braziliense, como se tornou um ícone gay:
“Foi algo que ocorreu naturalmente. Sempre tive muitos fãs gays. Eles são animados, adoram dançar, se divertir e identificam-se com minhas novas músicas. Eles vão apra o show com a intenção de ver o artista, mas também de se divertir muito. Percebi que adoram um show cheio de coreografias e performances. Eu acredito nesse mercado”, diz Wanessa.
Uma das divas dos anos 1980, a cantora Rosanah Fienngo, conhecida pela música “O amor e o poder”, que fez sucesso n novela “Mandala” (Globo) e depois nacionalmente, acredita que o público gay é mais exigente e gosta do que é ousado, impactante e encantador:
“As divas do mundo gay, geralmente são artistas que fazem diferença no mercado. Esse público gosta de vozeirão feminino e de quem canta de verdade, acima de tudo”. No caso da Rosanah, acredito que uma parte do público gay goste de artista trash ou escrachado. Rosana virou um ícone trash e, por isso mesmo, quase cult.
Rosanah, que está envolvida em um novo projeto, conta que está um pouco afastada de eventos na noite gay: “O mercado gay, no momento, está sendo das grandes divas. E isso no mundo inteiro. Lady Gaga é uma delas. Os gays sempre foram uma boa parte do meu público, tenho grandes amigos, gosto e me divirto muito com eles”.
Outra pessoa que passou a investir intensamente no mercado gay é a cantora Preta Gil. Por ter nascido em um ambiente liberal e sem preconceitos, Preta afirma que isso facilitou bastante sua aproximação com o público gay.
“Sou como eles, autêntica, tenho espontaneidade, uma personalidade extrovertida, alegre, pra cima. Sou livre de preconceitos, fui criada dessa maneira. Tenho uma liberdade muito grande em mim. Então, essa identificação vem de uma forma natural. Tenho muito orgulho de os gays identificaram-se comigo”, declara Preta.
Lógico que nem todos os gays são iguais. Esse tipo de reportagem pode dar margens a interpretações erradas e criar estereótipos. Mas, se olharmos por outro lado, vamos ver que, de alguma forma, dá visibilidade ao mundo gay.
Por exemplo, a reportagem cita fonte da Câmara de Comércio GLS do Brasil e diz que o mercado consumidor gay corresponde a 10% da população brasileira (30 milhões de pessoas). Os gays gastam 30% a mais do que os héteros. O segmento movimenta no Brasil R$ 150 bilhões. A pergunta que fica é: mesmo assim, por que tantas empresas não querem o seu nome vinculado aos LGBT? Ainda bem que isso está mudando aos poucos.

Justiça de Goiás reconhece união homoafetiva Resposta

Ao reconhecer a união estável apenas entre homem e mulher, a Constituição não excluiu a possibilidade de formação de família composta por pessoas do mesmo sexo. O entendimento é da juíza Sirlei Martins da Costa, da 3ª Vara de Família, Sucessões e Cível de Goiânia, que reconheceu a união homoafetiva entre dois homens como entidade familiar.
O casal, representado pela advogada Chyntia Barcellos, sócia do escritório Edson Barcellos Advogados e Consultoria, entrou com Ação Declaratória de União Homoafetiva de Cunho Etável para que fosse reconhecida a relação jurídica entre eles. Os dois vivem juntos em Goiânia desde 2006 e fizeram a declaração de união homoafetiva por meio de escritura pública. Mesmo sendo a escritura documento capaz de comprovar a união entre casal homossexual, ambos optaram por recorrer à Justiça para se sentirem mais seguros juridicamente.
Em sua decisão, a juíza Sirlei destacou que a jurisprudência tem reconhecido a união afetiva entre pessoas do mesmo sexo, apesar de a legislação brasileira não ter regulamentado as relações homoafetivas. Ela explicou que, graças ao princípio constitucional da dignidade da pessoa humana, a Justiça pode suprir essa coluna na legislação.
A juíza Sirlei citou entendimento de Maria Berenice Dias, na obra “Manual de Direito de Família”, para explicar que o enunciado no artigo 226 da Constituição é cláusula geral de inclusão, ou seja, ao afirmar, em seu caput, que a “família, base da sociedade, tem especial proteção do Estado”, deve ser considerada qualquer entidade que preencha os requisitos de afetividades, estabilidade e ostensibilidade.
Para a juíza Sirlei, é meramente ilustrativo o termo “união estável entre homem e mulher”, descrito no artigo 226 da Constituição, mesmo porque, o dispositivo estabeleceu um novo conceito, o de entidade familiar, atribuindo vínculos afetivos a outros. “O fato de o parágrafo 3º do artigo 226 da Constituição Federal reconhecer a união estável apenas entre homem e mulher não exclui as diversas outras possibilidades de entidades familiares, atee porque não caberia mesmo ao constituinte enumerar na Carta Magna todas as possíveis formas de constituição de entidades familiares que irão compor a nossa sociedade. Prova disso é que no parágrafo 4º do artigo 226 consta a expressão “também”, que é uma conjugação aditiva, evidenciando que se trata de uma enumeração exemplificativa da entidade familiar”, explicou.
Por meio dos documentos apresentados pelo casal, como fotografias e cartas, e do depoimento de duas testemunhas, a juíza entendeu que havia o cuidado recíproco e uma vida em comum entre o casal, reconhecendo, assim, a união dos dois como entidade familiar.
A advogada que representou o casal atribuiu as ações com pedido de reconhecimento de união entre pessoas do mesmo sexo à vulnerabilidade jurídica criada pela falta de uma lei específica. “Os casais homossexuais que têm uma vida em comum e trabalham para a construção de um patrimônio se sentem vulneráveis, mas a inexistência de legislação não quer dizer ausência de direitos. Os relacionamentos entre pessoas do mesmo sexo são uma realidade e o Estado é obrigado a dar proteção às novas configurações familiares, em razão dos princípios da igualdade e da dignidade da pessoa humana”, explicou a advogada Chyntia Barcellos.
*Com informações do Consultor Jurídico

Mister Gay Brasil já está nas Filipinas para a final do Mister Gay World Resposta

O catarinense Eduardo Kamke, Mister Gay Brasil, já está nas Filipinas para a final do concurso
Mister Gay World 2011. Eduardo, 29 anos, e outros 27 rapazes disputarão o título de gay mais belo do mundo.
Eduardo já é o mais votado da internet. Os votos online contribuem, mas para chegar onde deseja o brasileiro precisa se sair bem nas provas ao longo da semana. Uma delas é a gravação de uma campanha contra a homofobia.

Caso seja eleito Mister Gay World, Eduardo fechará um contrato internacional com a organização do evento para fazer campanhas pelo mundo. A final ocorre em Manila, capital das Filipinas, onde os concorrentes estão concentrados. Até lá você pode continuar votando pela internet (clique aqui).
Kamke é natura de Joinville, mas mora em Florianópolis. Foi eleito Mister Gay da Capital, depois Mister Gay anta Catarina e Mister Gay brasil no mês passado. Essa é a primeira vez que um representante do Sul do Brasil irá nos representar internacionalmente. Boa sorte!

Michael Cunningham: Muitos heterossexuais têm paixões por pessoas do mesmo sexo Resposta

Foto: Barbara Znon/Getty Images
O escritor nova-iorquini Michael Cunningham, 58 anos, vencedor do Pulitzer com “As Horas” está em Portugal promovendo o último livro, “Ao Cair da Noite”. O livro, que ele levou três anos para concluir, conta a história de um triângulo amoroso no mundo das artes.
Michael, em entrevista ao “ionline”, vai contra o que muitos escritores dizem e aconselha os seus alunos a escrever para os leitores e não para eles próprios:
“Escrevo todos os meus romances para as mesmas seis pessoas: o meu namorado, o Kenny; o meu editor, o Jonathan; os meus amigos Stacey, Marie, Adam e Joe”.
A repórter Joana Stichini Vilela pergunta a Michel – baseada no novo romance dele – se existe um “DNA gay”, já que um dos personagens pensa sobre isso, em determinado momento do livro, ao avaliar o comportamento do seu irmão.
Michael responde que “não. A nossa sexualidade é, sim, tremendamente complicada. E muito particular. Os termos ‘gay’, ‘bissexual’, ‘heterossexual’ quase não fazem sentido. Eu sou gay, mas a minha homossexualidade é muito diferente da do meu amigo Joe. Não penso no Peter (personagem do livro) como gay. Mas muitas das pessoas que são heterossexuais têm paixões ocasionais por alguém do mesmo sexo. Tal como um gay, que pode ter uma queda por uma mulher. Não significa que não seja gay”.
Sobre o fato de quase todos os livros de Michael terem personagens gays, a repórter pergunta se é um “manifesto”. Ele responde:
“Um escritor que cresceu na Somália escreve sobre crescer na Somália. Enquanto escritor estadunidense, branco e gay, faz parte do material que a vida me deu para escrever. Mesmo assim, a maior parte das personagens são heterossexuais”.
A repórter portuguesa diz que “em Portugal – e talvez noutros países mais conservadores – a temática gay faz alguns homens sentirem-se desconfortáveis” e pergunta se ele tinha noção disto. Michael responde:
“N˜ao. Mas sinto que qualquer leitor que se sinta desconfortável a ler um livro sobre pessoas são diferentes dele, sejam gays ou mulheres, não é um leitor para quem eu escreva”.
Achei bem interessantes as declarações de Michael Cunningham. Nós – por convenções, para nos protegermos etc., temos a mania de colocar rótulos e acabamos criando estereótipos. Na verdade, a sexualidade humana é muito mais complexa e tem muita gente mal resolvida nessa área. As palavras de Michael fazem refletir.

Casal de lésbicas acusa pizzaria de homofobia no Paraná Resposta

Um casal de lésbicas acusa a pizzaria Milão, na Zona 1 de Maringá (PR) de homofobia. No dia 27/02, após trocarem selnhos, as duas jovens foram convidadas a se retirar.
Antes, um garçom abordou as duas, pedindo que elas pararem. Iuska Wolska, umas das supostas agredidas, afirma que foi conversar amigavelmente com o gerente da pizzaria, mas ele foi agressivo e ameaçou chamar a polícia. “Vocês ficam se lambendo e pegando nos peitos uma da outra. Aqui tem criança, você não está vendo? Ficam com esse comportamento inadequado”, teria dito o gerente. Após a discussão, elas foram expulsas do estabelecimento.
A pizzaria Milão respondeu ao site “Maringay”, que recebeu a denúncia de Iuska, dizendo que os casais “começaram a se acariciar e beijar de forma desmedida, causando constrangimento em crianças e familiares que ali estavam”. Wladecir Paim, proprietário da pizzaria Milão, disse que solicitou ao garçom que abordasse o casal. Ele disse que o garçom foi educado na abordagem ao casal.
Segundo Wladecir, a discussão começou na segunda abordagem do garçom: “solicitei a outro garçom que tinha mais amizade com as meninas para convence-las a respeitar, neste momento elas se irritaram e começaram a fazer escândalos, dizendo em gritos que era preconceito e batendo boca e incomodando ainda mais as pessoas, neste momento foi pedido para que elas se retirassem, já que não sabem se comportar em uma pizzaria”.
Apesar da pizzaria Milão dizer que não houve preconceito em função da orientação sexual do casal, mas sim em razão de um suposto comportamento inadequado do casal, Iusk nega e diz que nenhum cliente reclamou do comportamento das duas e que não houve desvio de comportamento delas. “Eu dei uns poucos selinhos na minha namorada”, afirma Iuska.
Esse é o segundo caso de homofobia no Sul do Brasil, em menos de uma semana, ontem o blog noticiou que um casal de gays foi agredido em Florianópolis, com golpes de facão e chineladas, além de xingamentos.
Interessante que sempre que acontecem esses casos, os donos de estabelecimentos alegam que houve um comportamento inadequado do casal (de gays ou lésbicas), mas eu desconheço algum caso de casais heterossexuais que tenham sido expulsos de algum estabelecimento.

Ladrões jogam homem de ônibus em movimento em ataque homofóbico em Salvador Resposta

Mais um caso de violência atinge a capital de Salvador. Desta vez, um homem foi atirado de um ônibus em movimento na madrugada de segunda-feira (07/03) em ataque homofóbico na capital baiana.
Daniel Andrade Sales, 39, voltava da festa circuito Barra-Ondina em um ônibus da linha Estação Pirajá-Barra. Por volta das 04h30, ladrões invadiram o veículo e assaltaram os passageiros.
Ao abordarem Daniel, os ladões teriam suspeitado de sua orientação sexual, então, os bandidos arrancaram uma janela do ônibus e jogaram o homem fora do veículo em movimento. O caso foi registrado no posto policial do Hospital Geral do Estado.
Daniel teve ferimentos leves no rosto e no braço. Ele foi internado, recebeu alta e passa bem.
O Observatório da Discriminação Racial, da Violência contra a Mulher e LGBT (lésbica, gay, bissexual e transgênero) da Prefeitura de Salvador registrou 31 denúncias de agressões contra LGBT durante o carnaval na cidade. As denúncias de racismo lideram a lista, com 135 casos (55% do total), seguidas por 62 registros (27%) de violência contra a mulher).
A Transalvador (órgão de trânsito da cidade) soma 24 furtos a ônibus no município de quinta-feira (03/03) a segunda-feira (07/03), número superior ao de 2010, que teve 14 casos no mesmo período. De quinta a domingo (06/03) foram 243 registros de vandalismo em ônibus. Em 2010, houve 191 ocorrências no período.

Roberta Close parece despeitada e amargurada Resposta

A ex-modelo Roberta Close deve ser respeitada, afinal é a primeira trasexual a ter notoriedade no Brasil. O país acompanhou a sua trajetória com muito carinho, mas o tempo passou , ela continua linda, mas o seu humor parece de uma senhora rabugenta. No início do ano, ela se recusou a falar sobre Ariadna, a transexual mais famosa do Brasil e ex-participante do Big Brother Brasil. Agora, Close – talvez com medo dos holofotes estarem voltados para Ariadna, deixou um baile de carnaval, após encontro com Ariadna.
A saia-justa aconteceu durante o Baile de Gala da cerveja Devassa, no Cais do Porto, Rio de Janeiro. Muita gente famosa circulo por lá. Modelos, atores, socialites e fashionistas. Roberta se incomodou com a presença de Ariadna apenas.
Assim que Ariadna entrou no espaço reservado aos convidados, Roberta pegou sua bolsa e saiu. Ela ainda tentou negociar com alguns produtores sua permanência em outras áreas da festa, explicando que não queria mais curtir a noite no camarote. Ela teria alegado que o espaço estava pequeno demais para o número de pessoas presentes.
Na chegada, Roberta Close fez a linha diva e não falou com a imprensa, só fez caras e bocas. Já Ariadna, atraiu a atenção de todos, ao entrar usando um vestido de renda francesa, avaliado em R$7 mil, confeccionado especialmente para a ocasião. Ariadna esbanjou simpatia.
Não satisfeita com o papelão, Roberta Close ainda resolveu fazer críticas ao comportamento da Ariadna dentro do BBB:
“A garota do BBB foi tirada do programa não por ser transexual, mas por causa do estilo dela. O brasileiro está acostumado com Rogéria e Roberta Close, ou seja, existe algo mais belo e sofisticado”. Roberta ainda disse que no momento não está fazendo nada, pois não recebe convite.
Ariadna, ao ser questionada sobre as críticas da Roberta, disse o seguinte:
“Gente, eu não acho nada da Close. Deixa ela falar o que ela quer. Não se esqueçam de que temos que respeitar os mais velhos”.
Roberta Close perdeu a grande oportunidade de continuar calada. Se é pra falar bobagem, melhor se calar. Com bem disse Lea T, diferente do que Rogéria já disse em outras entrevistas, não é fácil ser transgênero.
Se já existe tanto preconceito, por que não se unir? Se Roberta estivesse bem com ela própria, estaria feliz em ver o sucesso de outra transexual. É mais visibilidade. E outra, Roberta deveria lutar pela diversidade. No mundo LGBT, sempre teve espaço para o escracho. O que não é o caso de Ariadna.
Sempre vi Roberta Close Com bons olhos, por isso estranho tais declarações que parecem de uma mulher despeitada e amargurada.

Edmundo: "Gay ou não, vou amar meu filho" Resposta

O ex-jogador Edmundo foi assistir aos desfiles das Escolas de Samba do Grupo Especial do Rio de Janeiro e, claro, foi abordado por jornalistas a respeito de seu relacionamento com Alexandre Mortágua, filho dele com a ex-modelo Cristina Mortágua. Edmundo disse que, independente da orientação sexual, ama seu filho de maneira incondicional:
“Gay ou não, ele é meu filho e vou amá-lo incondicionalmente”.
O ex-jogador, que nos áureos tempos tinha o singelo apelido de “Animal”, por conta de sua agressividade dentro e fora de campo, disse que assumiria a guarda do filho:
“Meu filho ficou oito anos morando no Japão. Sempre que ele voltava ao Brasil não conseguia abertura para me aproximar, a mãe dele inventava viagens. Por diversas vezes tentei pegá-lo para criar, mas não consegui realizar essa vontade”.
Edmundo disse que, para não conviver com Cristina Mortágua, se afastou do filho. Desde que Cristina foi presa, acusada de agressão a uma delegada – a ex-modelo foi até a delegacia após o filho ter feito uma denúncia de agressão contra ela -, o jogador contou que tem falado, mais com o jovem: “Nós nos falamos mais vezes que naturalmente”.
Edmundo diz que sente falta de não ter convivido mais com Alexandre: “O que me deixa triste é não ter convivido com Alexandre como convivi com os outros (filhos)”. Ainda está em tempo!
Bacana a declaração do Edmundo. Tomara que ele e Alexandre se entendam.