Transexual triatleta vence concurso na internet e ganha patrocinador Resposta

Chris Mosier, um triatleta transsexual que entrou em um concurso do YouTube par aganhar um contrato de patrocínio com a formação do sistema TRX, foi um dos dez atletas escolhidos para o prêmio.


De acordo com o site OutSports.com, havia mais de 100 competidores no concurso. Mosier, cujo vídeo recebeu mais de 5.000 acessos, disse que ¨com este patrocínio, estou esperando levar algum conhecimento da prática de esportes para as pessoas trans, e alguns dos problemas que enfrentamos. O primeiro passo é que as pessoas saibam que há transsexuais no esporte.¨

O prémio inclui dinheiro para ser aplicado no treinamento de corrida e despesas, equipamentos de ginástica TRX e uma câmera de vídeo para documentar seu progresso.

A próxima corrida de Mosier acontece em 5 de junho.

Confira o vídeo que Chris Moiser enviou para o concurso:

Diretor proíbe alunos de cantarem música da banda Queen porque Freddie Mercury era gay Resposta

Um diretor de uma escola na Alasca, nos Estados Unidos, tentou impedir que os alunos cantassem uma múscisa da banda Queen na formatura. O motivo? Freddie Mercury era gay. Depois que os alunos, furiosos com essa atitude, ameaçaram ir à público e denunciar o fato, ele voltou atrás na decisão. 


Os funcionários da escola disseram que alguns pais de alunos se queixaram, alegando que a música ¨Bohemian Rhapsody¨, de 1975, era inadequada para o coro de de jazz sinfônico simplesmente porque o vocalista Freddie Mercury era gay. 

O diretor retirou a música do cronograma, irritando os membros do coro que haviam trabalhado por meses afim de aprender a letra e a forma que iriam trabalhá-la.

Um membro do coro procurou o conselho de um grupo de advocacia para gays e lésbicas: 

– Eu senti como se a escola estivesse discriminando por orientação sexual e achei que foi estava errado. É tão estúpido, porque não há nada de sexual na canção. 

O diretor cedeu sobre a proibição no final da semana passada, dizendo que o show poderia continuar se o coro não mencionasse partes da letra que fazem referência a matar um homem.

Confira Bohemian Rhapsody no Rock in Rio 85:

Jornalista da CNN assume que é gay em autobiografia Resposta

O âncora do canal de notícias americano CNN, Don Lemon, revelou em sua autobiografia que ele é gay. Em uma entrevista para o New York Times sobre o livro, entitulado ¨Transparente¨, Lemon diz que adoraria que todos pudessem assumir quem realmente são: 

– Mas é uma escolha muito pessoal. As pessoas têm que fazê-la na sua própria velocidade. Eu respeito isso. Costumo dizer que quanto mais as pessoas se assumem, mais as coisas melhoram para todos, e certamente para os ¨Clementis Tyler¨ do mundo (um aluno de uma universidade de NY que pulou de uma ponte depois de ter seu encontro sexual com outro homem gravado e divulgado na internet). 
Ele diz ainda que se tivesse encontrado mais pessoas como ele, que são assumidas e orgulhosas, ele não levaria 45 anos para se assumir. Mesmo assim, ele afirma que não foi fácil falar sobre sua sexualidade: 
– Eu estou com medo. Estou falando de algo que pode fazer com que as pessoas se afastem de mim. 
Na entrevista, ele ainda diz que essa decisão pode afetar sua carreira na televisão, bem como questões de raça: 
– É completamente diferente para um homem negro americano. É a pior coisa que você pode ser na cultura negra. Você foi ensinado a ser um homem, você tem que ser masculino. Eu acho que isso faz de mim, parte de uma uma dupla minoria agora. 
Lemon foi abordado por uma editora para escrever um livro há vários anos atrás depois de falar em uma conferência chamada “O Homem Negro na idade de Obama.” A idéia era apenas para escrever um panfleto, mas enquanto escrevia, ele percebeu que queria dizer toda a sua história, incluindo a forma de como ele foi molestado quando era criança. Despois que leu o livro finalizado, ele ficou na dúvida se publicava algo tão íntimo e pessoal, mas decidiu ir em frente com suas memórias: 
– Eu abomino a hipocrisia. Eu acho que se você está no ramo das notícias, então você tem que dizer a verdade às pessoas, de tentar lançar luz em locais escuros, então você tem que ser honesto. Você tem que ter as mesmas regras para si mesmo como você faz para todos os outros.

Cerimônia de reconhecimento da união estável homoafetiva e beijo gaya agitam o centro de Teresina Resposta

Após a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que aprovou por unanimidade o reconhecimento da união estável homoafetiva, dois casais de lésbicas promoveram a primeira cerimônia aberta em praça pública por volta do meio dia desta segunda-feira (16/05), no Centro de Teresina, capital do Piauí.

O evento, que faz parte da comemoração ao Dia Internacional de Combate à Homofobia, foi realizado através do Grupo Matizes e da LBL (Liga Brasileira de Lésbicas) como forma de quebrar paradigmas e demonstrar fim ao preconceito ainda existente no que diz respeito a homoafetividade.

Lígia Helena e Anísia Teixeira foram as primeiras a oficializarem sua união, com direito a atraso da noiva, chuva de pétalas, buquê jogado para os convidados e beijo na boca em praça pública. Depois Lúcia Quitéria Silva e Marinalva Santana, que estavam ‘casadas’ há 5 anos através do contrato social, também oficializaram sua união.

As noivas, nitidamente emocionadas, escutaram a leitura do documento pela tabeliã do cartório Themistocles Sampaio, Fernanda Sampaio, que fez o registro formal das uniões.

“Estou muito emocionada, é muita felicidade. Agora já vou começar a fazer um tratamento de inseminação artificial porque queremos ter nossa filhinha”, disse Lígia Helena.

*Com informações do “180 graus”

Dica de filme: Orações para Bobby Resposta

Cena do filme ¨Orações para Bobby¨. ( Reprodução da Internet)
Certo dia, um leitor do Entre Nós (@adrianosmile), sugeriu através do twitter que eu assistisse a um filme chamado ¨Prayers for Bobby¨ que, segundo ele, era um filme que emocionava muita gente e que eu poderia falar sobre a história aqui no blog.

No mesmo dia fiz o pedido do filme e depois de algum tempo pude assistir com calma a uma história que, de fato, me emocionou muito.
¨Prayers for Bobby¨, ou em português Orações para Bobby, é um filme baseado no livro homônimo do jornalista Leroy Aarons, e foi feito diretamente para um canal americano que, basicamente, transmite filmes. Conta a história da luta de um adolescente (Bobby) para que sua família religiosa passe a aceitá-lo como homossexual.
Booby é um jovem como outro qualquer, com suas dúvidas e descobertas. Mesmo namorando uma menina, ele se percebe diferente de seu irmão mais velho e dos outros meninos da escola. Como teve uma educação religiosa, ele demora para aceitar sua condição. Acha que Deus vai castigá-lo e tenta mudar, o que não consegue.
Depois de comentar com seu irmão sobre seus desejos, Bobby tem sua vida escancarada para toda a família, que acredita que seguindo os passos da Bíblia, ele poderia ser curado. Entre lutas, descobertas e brigas familiares, Bobby enfrenta o que eu considero um dos maiores problemas em relação à homossexualidade: a aceitação da família.
Não vou contar o final da história, mas posso dizer que assistindo esse filme, voltei há mais ou menos 10 anos atrás, quando minha família ¨descobriu¨ sobre minha homossexualidade. Foi um ano muito difícil, e pude sentir exatamente o que Bobby estava passando. Acho que de uma certa forma, todos podem se identificar em algum momento com a vida de um adolescente que só quer ser feliz e ver sua família bem.
Mais do que recomendado, ¨Orações Para Bobby¨ deveria ser um filme para todos verem em família, principamente nos lares em que não existe compreensão em relação ao jovem gay. Com uma mensagem forte e emocionante, vale a pena conferir.

Gay é espancado até a morte no interior do Rio de Janeiro Resposta

Neste sábado (16/05), por volta das 8h30, foi encontrado o corpo de um homem identificado como Jonatas Lopes Ferreira. A vítima estava em um terreno localizado na Rua Antonio de Almeida, no bairro Saudade, na cidade de Barra Mansa (RJ), no Sul Fluminense.

De acordo com informações policiais, Jonatas Lopes apresentava ferimentos na cabeça e hematomas pelo corpo, aparentando ter sido espancado até a morte. Foram encontrados na mão da vítima alguns fios de cabelo e um preservativo na embalagem achado a dois metros do corpo.

Policiais militares não conseguiram levantar testemunhas do crime.

Fonte: Diário do Vale

Governador do Rio de Janeiro convoca bombeiros e policiais lésbicas, gays e bissexuais a participarem da Parada do Orgulho LGBT uniformizados 1

O governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB), lançou nesta segunda-feira (16/05) a Campanha Rio Sem Homofobia, que será veiculada por rádios, televisões, cartazes, outdoors, busdoor, mobiliário urbano, folhetos, além de um site e itens promocionais, como camisetas, barracas de praia e blocos. Durante o lançamento, o governador convocou os bombeiros e policiais homosexuais e bissexuais a participarem da próxima Parada do Orgulho LGBT (lésbica, gay, bissexual e trangênero) uniformizados. Ele disse que vai autorizá-los, inclusive, a usarem as viaturas. Cabral também assinou um documento com 125 metas para combater a homofobia até 2014.

A campanha estará nas ruas a partir de amanhã, data em que se comemora o Dia Mundial de Combate à Homofobia. O tema ganhou uma data comemorativa desde 1993, e este ano terá a adesão de 102 países, entre eles o Brasil, que vai marcar a luta dos movimentos LGBTs (lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros).

Além do governador, participaram da cerimônia o vice-governador e secretário de Obras, Luiz Fernando Pezão (PMDB), a senadora Marta Suplicy (PT-SP), que representa a frente parlamentar LGBT no Congresso Nacional, o secretário-chefe da Casa Civil, Regis Fichtner, e o secretário de Assistência Social e Direitos Humanos, Rodrigo Neves (PT).

Segundo o coordenador do Programa Rio sem Homofobia e presidente do Conselho Estadual dos Direitos da população LGBT, Cláudio Nascimento, a luta, agora, é fazer com que o Congresso Nacional aprove o Projeto de Lei da Câmara (PLC) 122/06 que considera crime qualquer ato contra homossexuais:

– Um passo importantíssimo que nós demos foi a aprovação, no Supremo Tribunal Federal (STF), da legalização da união civil de pessoas do mesmo sexo. Uma vitória que foi conseguida por meio de uma ação do governo do estado. Isso dá orgulho ao Rio de Janeiro, que sempre foi vanguarda na história das transformações sociais do país. A próxima etapa é fazer com que o Congresso saia da letargia, da sua covardia em relação a esse debate, e assuma de forma objetiva e sincera um setor da sociedade que está excluído dos direitos plenos de cidadania. É preciso ter uma legislação que torne crime a prática da homofobia – disse.

Cláudio Nascimento informou também que, amanhã, sairão caravanas de 27 estados para pressionar o Congresso Nacional a votar o projeto de lei 122/2006, que criminaliza a prática de homofobia.

*Com informações do Portal do Governo do Estado