ABGLT envia nota à direção da Rede Globo pedindo liberdade artística dos autores e que permaneçam com casal gay Resposta

A Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transsexuais (ABGLT),enviou nota encaminhada ao Diretor de Entretenimento da Rede Globo, Manoel Martins, a respeito da reportagem do jornal ¨Folha de S. Paulo¨, que publicou que os autores da novela ¨Insensato Coração¨, foram chamados para uma reunião com Manoel Martins, que pediu que os autores ¨esfriasse¨ a relação homossexual do casal ¨Eduardo e Hugo¨ e não fizessem apologia pela criação de uma lei que pune a homofobia.

Na nota,assinada pelo presidente da associação, Toni Reis, é pedido para que a emissora considere a liberdade artística dos autores e diz que os homossexuais também são parte do público que acompanha a novela e merece ser levado em consideração.

Confira a nota de Toni Reis na íntegra:


¨À Direção-Geral da Rede Globo
A/C Sr. Manoel Martins
Diretor-Geral de Entretenimento


Assunto: Novela Insensato Coração


Prezados Senhores, Prezadas Senhoras


A Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais – ABGLT, criada em 31 de janeiro de 1995, rede nacional que atualmente congrega 237 organizações, vem manifestar sua preocupação em relação a notícias veiculadas hoje em relação à novela Insensato Coração.

Segundo informações publicadas na Folha de São Paulo hoje (19/17), os autores da novela, Gilberto Braga e Ricardo Linhares, foram informados na semana passada da determinação da Rede Globo de que a história dos homossexuais Eduardo e Hugo “fosse completamente esfriada” e “foram instruídos a não carregarem bandeira política, a pararem de fazer apologia pela criação de uma lei que puna a homofobia.”

Ora, até agora a novela Insensato Coração tem prestado um grande serviço retratando de forma real diversas situações em que a população gay vive, seja nos relacionamentos e na convivência diária entre si e com a sociedade em geral, seja na manifestação de atitudes favoráveis ou contrárias aos gays por parte de outras pessoas, seja na ocorrência da violência psicológica e física motivada por homofobia.

Entendemos que, longe de estar fazendo uma apologia, a novela está cumprindo um papel importantíssimo como veículo informativo, servindo para desmistificar a homossexualidade perante a sociedade em geral, contribuindo para modificar as atitudes que fazem prevalecer a homofobia. Censurar neste momento parte do teor que já vinha sendo anunciado pela própria emissora mesmo antes da novela ir ao ar, nos parece um recuo que apenas serve para referendar a mensagem que a própria novela estava passando: a homofobia ainda está predominante em nossa sociedade.

O debate sobre a criminalização da discriminação e da violência homofóbicas está bastante presente na sociedade atualmente. A novela tem retratado este fenômeno. Hoje mesmo, foi noticiado que um homem de 42 anos teve metade da orelha decepada após ser agredido por um grupo de jovens que pensaram que ele e o filho de 18 anos fossem um casal gay, pois estavam abraçados (fonte http://oglobo.globo.com/cidades/mat/2011/07/18/pai-filho-sao-confundidos-com-casal-gay-agredidos-por-grupo-em-sao-joao-da-boa-vista-sp-924936932.asp)

Na referida reportagem da Folha de São Paulo, a assessoria da Globo teria informado o jornal que “a televisão é um veículo de massa que precisa contemplar todos os seus públicos e faz parte do papel da direção zelar para que isso aconteça”. Pois, somos um destes públicos e, seguindo a mesma lógica, por isso mesmo não seria desarrazoado contarmos com esta representação na novela.

Em fevereiro deste ano recebemos uma correspondência da Rede Globo que levanta pelo menos dois pontos de relevância para a presente discussão:

“Estimular que os autores abordem causas de interesse da sociedade, promovendo princípios, valores e direitos universais, é sem dúvida papel de uma empresa de comunicação consciente de sua responsabilidade social, uma vez que o convite à reflexão sobre a realidade por meio da ficção contribui com a transformação social… Entretanto, apontar de que maneira exatamente isto deve ser feito…, condicionando a liberdade criativa, é algo que vai além do desejável, sendo a novela uma obra ficcional autoral. É exatamente a livre expressão artística o principal ingrediente da fórmula do sucesso.”

Com base nas considerações acima, vimos por meio deste solicitar à direção da Globo para que prevaleça a livre expressão artística dos autores da novela Insensato Coração, mantendo a trama por eles escrita, preservando o senso de humanidade e a responsabilidade social da emissora rumo a uma sociedade que prime mais para os valores do respeito, da paz e da harmonia entre homens e mulheres, independente da orientação sexual ou identidade de gênero.

Na expectativa de sermos atendidos, estamos à disposição.

Atenciosamente

Toni Reis
Presidente¨



Padre pede que igreja examine seu ânus para provar que ele não é homossexual Resposta

O seminarista sendo abraçado pelo padre: Suspeita.

Um padre espanhol, separado de sua paróquia católica depois de imagens questionáveis dele vieram àtona, está indo ao extremos para provar que ele não é homossexual, afim de salvar sua posição dentro da igreja.
Andreas Garcia Torres, 46, era um padre em uma cidade próxima ao sul de Madrid, chamada Fuenlabrada. Em uma tentativa extravagante paraprovar que ele não é gay, Torres disse:

– Eu disse a eles (da diocese) para medirem o meu ânus e verem se ele está dilatado.

Parece uma comédia, mas não é!
A foto em questão é de Torres comum seminarista cubano de 28 anos de idade. Ambos os homens sãovistos sem camisa com o braço de Torres em torno do aluno. Torres tem uma explicação para a imagem:

-Eu tenho uma amizade normal com este menino. Não há nada. Este foi o único dia que eu estive com ele. E tiramos uma foto de nós mesmos, sem camisas, foi assim que tudo isso começou.

A diocese tem ido a extremos em suas investigações e exigiu que Torres faça exames de HIV e passe por tratamento psiquiátrico.

O casamento do mesmo sexo foilegalizado na Espanha em julho de 2005, tornando-se o terceiro paísdo mundo a realizar a união entre homossexuais. AIgreja Católica se opôs à ratificação da presente lei, e naquele tempo, as manifestações a favor e contra o casamento homossexual atraiu milhares de espanhóis de todo o país.

Quantidade de procura para o primeiro dia de casamento gay em NY faz estado realizar ¨loteria¨ Resposta

Com milhares de pedidos de pessoas querendo participar do primeiro dia de casamentos do mesmo sexo em Nova York, o gabinete do prefeito informou nesta terça-feira (19/07), que estabeleceria uma loteria para selecionar 764 casais. 

A nova lei que permite a união civil entre casais homossexuais em Nova York começará a valer no próximo domingo (24/07), um mês depois que foi aprovada. 

O prefeito Michael Bloomberg, a porta-voz do Conselho Chhristine Quinn e o senador Michael McSweeney disseram em um comunicado conjunto que a loteria seria implementada, ¨devido à alta demanda por serviços de casamento no domingo, 24 de julho, 2011.¨ 

Autoridades da cidade receberam 2.661 pedidos de serviços de casamento, no domingo, incluindo 1.728 de casais do mesmo sexo. A loteria está aberta para entradas ao meio-dia de hoje e até o meio-dia de quinta-feira (21/07), com um desenho separado para cada um dos cinco distritos da cidade. Os vencedores serão notificados na sexta-feira, 22. 

O prefeito comemorou: 

– Vamos fazer história no domingo, com os olhos da nação mais uma vez voltando-se para a cidade de Nova York. Fizemos nossa lição de casa, e é claro que o número de casais que querem casar no domingo é mais do que os escritórios poderiam possivelmente segurar. A última coisa que queremos é fazer os casais esperarem na fila por horas e horas, apenas para afastar a virada sobre o que supostamente seria o dia mais feliz de suas vidas. A melhor maneira de determinar quem tem a chance de casar no domingo e garantir que todos possam planejar adequadamente o seu próprio grande , é através de um sistema de loteria imparcial. 

O estado de Nova York seguiu o caminho de Iowa, New Hampshire, Massachusetts, Connecticut e Vermont em aprovar o casamento gay, após uma enquete realizada em março que revelou que 53 por cento dos americanos são a favor do casamento gay. 

Alguns estados, como a Califórnia oferecem a união civil entre pessoas do mesmo sexo, mas não os direitos do casamento. Isso significa que as partes têm alguns direitos legais como casais casados, mas não todos.

Senado Americano elege primeiro juiz assumidamente homossexual Resposta

J. Paul Oetken é o primeiro gay assumido a ser confirmado como juiz na bancada federal dos Estados Unidos.
O Senado americano fez história na última segunda-feira segunda-feira (18/07), confirmando o primeiro homem homossexual assumido na história a assumir a bancada federal.

Com uma votação de 80 votos contra 3, J. Paul Oetken tornou-se juiz federal. Oetken foi nomeado em janeiro pelo presidente Obama para fazer parte do Tribunal Distrital dos EUA no Distrito Sul de Nova York. Ele não é o primeiro gay no tribunal federal. O juiz Vaughn Walker, da Califórnia, que votou contra a Proposição 8, também assumiu a homossexualidade recentemente.

No entanto, ele não revelou sua sexualidade antes de assumir o cargo. Deborah Batts, lésbica assumida, também faz parte do tribunal federal, mas foi somente nomeada, em vez de confirmada.

Ter pessoas abertamente gays em tais posições de respeito é vital para a aceitação continuada da comunidade LGBT no país. Isso permite que todos nós sejamos vistos como cidadãos da nação, ao invés de uma subcultura misteriosa que deve ser separada das massas.

O senador democrata Chuck Schumer, de NY, elogiou Oetken no plenário do Senado por seu trabalho excepcional legal, ao mencionar sua orientação sexual:

– Como o primeiro homem abertamente gay a ser confirmado como um juiz federal e servir no banco federal, ele será um símbolo do quanto temos conseguido no país apenas nas últimas décadas. E mais importante, ele dará esperança a muitos talentosos jovens advogados que, até agora, pensavam que seus caminhos poderiam ser limitados devido à sua orientação sexual. Quando Paul se tornar o juiz Oetken, ele vai ser a prova viva para todos aqueles jovens advogados que realmente as coisas melhoram (em referência à campanha It Gets Better, destinada a gays que pensam em desistir da vida por causa da orientação sexual).

Como combinar turismo exótico com casamento gay Resposta

(Foto: Binod Joshi/AP)
O Rio de Janeiro pode ter sido considerado o destino mais “gay-friendly” do mundo no ano passado em eleição internacional online, mas o Nepal quer se firmar como o cenário ideal, exótico e romântico para gays se casarem em templos budistas. Atraídas por essa combinação, duas americanas, Courtney Mitchell, 41, e Sarah Welton, 48, se tornaram as primeiras lésbicas dos Estados Unidos a celebrar um casamento num templo hindu, seguindo todos os rituais tradicionais (elas são a primeira e a segunda à esquerda na foto que abre este post, clicada por Binod Joshi / AP).

Aconteceu em junho, num templo nas colinas perto da capital nepalesa, Katmandu. Elas trocaram guirlandas ao som de mantras entoados por um jovem sacerdote hindu. Courtney é professora de psicologia na Universidade de Denver, e estava vestida de noivo, com calças largas e um chapéu típico, alto, todo bordado. Sarah, que é advogada, estava vestida de noiva, com um sari vermelho e joias nepalesas.

O Nepal quer abocanhar um pedaço maior do turismo global gay, avaliado em 670 milhões de dólares. No ano passado, foi aberta a primeira agência de viagens destinada apenas a homossexuais, chamada Pink Mountain (Montanha Rosa). Um dos chamarizes é exatamente a cerimônia religiosa no Nepal para estrangeiros cujos países proíbem o casamento entre pessoas do mesmo sexo. Em dezembro de 2007, o Supremo Tribunal nepalês mandou o governo garantir a gays e lésbicas os mesmos direitos civis dos heterossexuais. Um passo enorme depois da longa era maoísta, quando a repressão sexual era violenta.

Hoje, nessa agência especializada, um pacote de uma semana de viagens – incluindo um casamento com direito a todos os rituais – custa 11 mil dólares. Quem mais procura o pacote turístico-amoroso são americanos. Mas há casais gays da China, Canadá e Alemanha em busca do mesmo album de recordações.

O Nepal parece buscar a vanguarda em relação a assuntos de gênero. Um novo censo nacional incluiu “o terceiro sexo” – para englobar pessoas que não se sentem homens nem mulheres.

Mas, claro, lá também há quem se arrepie com esses novos tempos: “Este é um ataque contra nossa cultura”, diz Basudev Krishna Shastri, astrólogo que comanda a Campanha Nacional de Consciência Religiosa. “Não precisamos promover o turismo gay para atrair estrangeiros homossexuais. Basta promover nossa cultura única e original, e nossas montanhas”.

O que você acha? Fica feliz com a descriminalização sexual e a tolerância a outros tipos de amor, que não entre um homem e uma mulher? Ou ainda se choca com os casamentos e beijos em público entre gays e preferiria fingir que o amor homossexual não existe – ou, como diz o radical e estridente Bolsonaro, seria uma aberrração?

Saia do armário e opine, sem ofensas.

*Com informações da Revista Época online.

¨Beijo gay só lá em casa¨, diz o autor Aguinaldo Silva Resposta

O autor Aguinaldo Silva (Foto: Reprodução)
Durante entrevista no evento ¨Cenas de um Autor¨, Aguinaldo Silva, autor de novelas da Rede Globo, falou sobre a polêmica que envolve o beijo gay na tv aberta. 

O entrevistador foi Christiano Cochrane, filho da jornalista Marília Gabriela, e o evento ocorreu no Solar de Botafogo, no Rio. 

Aguinaldo, homossexual assumido, foi direto e disse: 

– Beijo gay só vai ter lá em casa. O público não quer ver isso. A voz do povo é a voz de Deus. 

Aguinaldo também foi perguntado sobre sua próxima novela, Fina Estampa, que irá substituir Insensato Coração. Ele não quis dar muitos detalhes, pois disse que o pouco que contou, já foi copiado em outras novelas.

Para a Rede Globo, gays só servem para ser piada. Emissora veta abordagem homossexual em Insensato Coração. Resposta

Crime homofóbico pode. Amor entre gays não pode! Essa é a Globo. 

Chamados para uma reunião com o diretor geral de entretenimento da Rede Globo, Manoel Martins, os autores da novela Insensato Coração, Gilberto Braga e Ricardo Linhares, foram proibidos de continuar abordando a homofobia na novela, e inclusive de defender a lei que criminaliza a homofobia. 

Manoel Martins pediu que o romance entre Eduardo e Hugo, personagens vividos por Rodrigo Andrade e Marcos Damingo, respectivamente, fosse esfriado na trama. 

Em nota, a Rede Globo informou que ¨a televisão é um veículo de massa que precisa contemplar todos os seus públicos e faz parte do papel da direção zelar para que isso aconteça¨. 

O interessante é que o assassinato de um jovem gay cometido por um homofóbico não foi tema da reunião. A cena continua, os ataques homofóbicos continuam, mas o amor e a relação entre dois homens não pode continuar. 

Acho que está chegando a hora de fazer um boicote também na emissora hipócrita que é a Rede Globo. A intenção dos autores foi a melhor possível, inclusive sempre é. Mas a alta direção da emissora sempre vem e corta a possibilidade de fazer com que esse país evolua. Principalmente por ser a televisão um veículo de massa, formadora de opiniões, é que ela tem a obrigação de ajudar na evolução da sociedade, de mostrar os caminhos que levam à uma sociedade mais igualitária e melhor. 

Quem iria imaginar que em pleno ano de 2011, um simples beijo gay seria causa de CENSURA na televisão? O mundo gay está na nossa cara o tempo todo, nos jornais, em programas de humor (fazendo dos gays motivo de piada), nas rádios, na internet. Os gays estão nas ruas, em paradas gays que levam 4 milhões de pessoas para uma das avenidas mais importantes do país. E agora qual o motivo de essas emissoras criarem essa polêmica toda em torno de algo que todo mundo já está cansado de saber que existe há muito tempo? 

A emissora tida como poderosa, justifica essas atitudes colocando a culpa no telespectador que, segundo ela, NUNCA ESTÁ PREPARADO para ver tal cena. E pelo visto, se depender da Rede Globo, nunca vai estar. 

Uma vergonha ver que ao invés de estimular o pensamento e contribuir para uma convivência melhor entre as diferenças, o que a televisão está fazendo a cada dia, é alienar a população, e mostrar que gay só serve para ser piada nos humorísticos ou mortos por homofóbicos.