Bissexuais reclamam que são discriminados por héteros e gays Resposta




Em tempos de discussão sobre orgulho gay e orgulho hétero, 3% da população brasileira diz sofrer preconceito de ambos os lados.
São os bissexuais – mais de 5 milhões no país, segundo pesquisa Datafolha de 2009. Na próxima sexta, dia 23, eles vão comemorar o Dia do Orgulho Bissexual.
Um deles é Fábio*, 17. “Sinto atração pela beleza dos dois”, diz. “As mulheres são mais meigas e suaves, já os homens têm pegada forte, são mais rústicos.”
Como ele, a estudante de ciências sociais Maraiza Adami, 23, também é bi. Ela reclama: “Os héteros acham que ser bi é transitório ou promíscuo. Já os gays, principalmente dentro do movimento LGBT, acham quase uma agressão você ficar com alguém do sexo oposto.”
Especialistas em sexualidade tentam entender as razões do duplo preconceito. O psiquiatra Alexandre Saadeh, especialista em identidade sexual do Hospital das Clínicas, lembra que é muito comum que a bissexualidade seja vista como uma fase anterior à confirmação da homossexualidade.
Esse mito incomoda tanto Ilana Falci, 21, de Belo Horizonte, que ela quer editar um vídeo com vários bissexuais dando o seu depoimento. “O bi não é uma pessoa em dúvida”, diz ela. “Não precisa decidir se gosta mais de homens ou de mulheres.”
O projeto de Ilana se chama “Sou Visível”. É possível encontrar mais informação sobre ele em bisides.com.
Esse site foi criado por outra bissexual, a estudante de secretariado executivo Daniela Furtado, 24. Um dos seus objetivos é utilizar a página para discutir como lutar contra o que ela chama de “bifobia”.
Os participantes do site reclamam que, apesar da sigla LGBT incluir os bissexuais, gays e lésbicas “negam lugar” a eles no movimento. “Eles se sentem no direito de nos olhar com desconfiança”, diz um dos textos. “Então eu pergunto: o que gays e lésbicas propõem que nós façamos quando o sexo de quem amamos é diferente do nosso?”
Daniela já namorou tanto meninas quanto meninos. Atualmente, está há três anos com Danilo Milhiorança, 25, que é heterossexual.
“Ela foi muito honesta comigo e sempre me fez sentir seguro, então está tudo certo”, diz o rapaz.
Entre os bissexuais famosos, estão os cantores David Bowie e Lady Gaga, o vocalista do Green Day, Billie Joe Armstrong, e as atrizes Megan Fox e Angelina Jolie.
ALGO CURIOSO
Nem todo mundo, porém, é tão convicto da sua bissexualidade quanto esses famosos. E não há nada de errado nisso, diz Maria Helena Vilela, educadora sexual e diretora do instituto Kaplan, que faz estudos sobre sexualidade.
Na adolescência, afirma, é comum a confusão entre admiração e tesão. Muitos jovens, então, acabam tendo experiências com o mesmo sexo, com amigos, por exemplo.
Mas isso não necessariamente os faz homo ou bissexuais, já que a identidade só é completamente estabelecida na fase adulta.
“Os adolescentes têm hormônios saindo pelos ouvidos e maior disponibilidade para o sexo, então é mais complicado separar a curiosidade”, explica Saadeh.
Lúcia*, 18, por exemplo, só transou com garotos, mas, desde o começo do ano, tem experimentado ficar com algumas amigas. “Nunca tinha cruzado minha mente a ideia de ficar com meninas, mas rolou um dia e eu gostei, então estou vendo o que realmente quero”, diz.

*Com informações do “Jornal Floripa”

Paraíba registra 17 assassinatos motivados por homofobia em 2011 Resposta


A Paraíba registra, até setembro deste ano, 17 assassinatos de homossexuais em sete cidades do Estado. O levantamento feito pelo Movimento Espírito Lilás (MEL) e pela Comissão da Diversidade Sexual e Direitos Homoafetivos – OAB/PB, aponta que o número de crimes motivados por homofobia em 2011 ultrapassou o número de crimes semelhantes cometidos durante todo o ano passado, que foram 11 onze casos em 2010.

Os números foram apresentados ao deputado federal Jean Wyllys (PSOL/RJ) representante da *comissão* de Direitos Humanos e Minorias, durante uma reunião com o movimento LGBT da João Pessoa na noite desta sexta-feira (16), na Faculdade de Direito- Centro, em João Pessoa.


De acordo com o vice-presidente da entidade, Renan Palmeira, estes números comprovam uma realidade cruel na Paraíba. “O preconceito e a discriminação por identidade de gênero ou por orientação sexual diferenciada da heterossexualidade, produz para a comunidade LGBT diversas repressões culminando com assassinatos brutais”, disse Renan. Ele ainda diz que a falta de uma lei que criminalize a homofobia produz o fortalecimento do sentimento homofóbico e fundamentalista conservador.


Nove mortes aconteceram em João Pessoa, capital do estado, enquanto outras três foram registradas em Campina Grande, Queimadas, Santa Rita, Cabedelo, Bananeiras, Souza e Souza registraram um homicídio cada. “O MEL esta indignado com esses dezessetes assassinatos e vem a público cobrar políticas públicas de segurança do governo do estado da Paraíba para a comunidade LGBT. Cada um desses dezessetes assassinados de forma brutal é motivo de profunda tristeza para todos nós”, relata.


O MEL solicita que o poder público amplie as delegacias especializadas em combate a homofobia em todas as regiões do Estado da Paraíba. “Também solicitamos o funcionamento da Delegacia Especializada em Combate a Homofobia de João Pessoa no turno da madrugada e da noite, onde a população LGBT esta mais vulnerável, e que a secretária de segurança crie um banco de dados institucional para controlar os números de assassinato contra a população LGBT”, finaliza Renan, que cobra cursos de capacitação dos profissionais de segurança, para poder tratar com as vitimas de homofobia.


*Lista dos LGBTs assassinados em 2011 – *Relatados pela impressa local.


*João Pessoa*


*01. Geruza – *nome civil desconhecido


Travesti encontrada morta de forma violenta em 01 de fevereiro de 2011, conforme relato da Central de Polícia o Inquérito foi remetido a 2ª DPC da capital.


*02.  Roberto Confessor da Silva *


Travesti, de 28 anos de idade, foi executado a queima roupa com dois tiros quando chegava em casa após noitada com os amigos, por volta das 4h da manhã de domingo de 29 de maio de 2011, em Mangabeira. Populares disseram que o acusado pelo crime é um homem que mantinha relação sexual com a vítima.


*03 . Alexandro da Silva Oliveira*


Líder religioso, homossexual assumido, de 34 anos de idade, executado a queima roupa com cinco tiros quando retornava para casa após ritual religioso. O homicídio aconteceu na Comunidade Boa Esperança, no bairro do Cristo Redentor, em João Pessoa na madrugada de quinta-feira, 6 de janeiro de 2011.


*04.  Beto Coveiro*


Coveiro do cemitério Santa Catarina, localizado no bairro dos Estados em João Pessoa, homossexual assumido, morto a tiros no bairro de Mandacaru, em 30 de março de 2011.


*05. Edilene Justino dos Santos*


Lésbica, encontrada morta por enforcamento na casa de duas amigas no mês de março de 2011, familiares afirmaram que ela foi morta e assaltada.


*06. Albanir Cardoso*

Cabeleireira, de 37 anos de idade, assassinada na tarde de terça-feira, 28 de junho de 2011, no bairro São José em João Pessoa. Segundo informações, os acusados são dois homens que cometeram o crime e fugiram a pé. Ela foi morta com três tiros. Segundo a Polícia ela era lésbica e teria um relacionamento com outra mulher casada


*07. Sérgio Benício de Sousa*

Homossexual assumido, de 31 anos de idade, assassinado a tiros na comunidade de Baleado, no bairro de Mandacaru, na madrugada do sábado, de 29 de janeiro de 2011.


*08. Travesti de identidade desconhecida*

Travesti assassinada a pedradas no centro de João Pessoa, sábado 15 de janeiro de 2011. Identidade desconhecida.


*09. Alexandro Lourenço Gonçalves *- *Baby*

Travesti assassinado a tiros na rua do Bairro São José, em João Pessoa no dia 16 de agosto. Informações preliminares dão conta que o travesti foi baleado por duas mulheres. Elas teriam praticado o crime após um briga em uma casa de show da Capital.

*Campina Grande*


*10. Luiz Carlos das Neves*

Ex-presidiário de 46 anos de idade, homossexual assumido, assassinado com 26 golpes de faca por volta das 2h de 31 de janeiro de 2011 em Campina Grande, na Avenida Floriano Peixoto. Do veículo, aparentemente nada foi levado.


*11. Inete (Daniel Oliveira Felipe)*

Travesti de 24 anos, identificado como Daniel Oliveira Felipe foi brutalmente assassinado com 30 facas por quatro rapazes na madrugada da sexta-feira, 15 de abril de 2011, em Campina Grande, câmeras flagraram o ocorrido.

*12. Valderi Carneiro*

Professor de língua portuguesa, de 44 anos, foi brutalmente assassinado por estrangulamento com sinais de luta corporal, encontrado morte, na noite de sábado, 9 de junho de 2001, às 17h30, dentro de uma pousada, no centro de Campina Grande, câmera flagraram os criminosos.

*Queimadas*


*13. Luciana Batista Dantas*

Dona de casa divorciada, de 38 anos, foi encontrada morta ao lado de um prédio abandonado de uma fábrica no distrito do Ligeiro, na cidade de Queimadas, em 10 de fevereiro de 2011. Foi violentada sexualmente antes de ter sido assassinada, o rosto estava completamente desfigurado por golpes de pedradas.

*Sousa*


*14. Raimundo Inácio*

O homossexual, de 50 anos, foi esfaqueado e estuprado na sexta-feira 25 de fevereiro na cidade de Souza, por um homem desconhecido. A vítima estava com um homem, não identificado, quando recebeu um golpe de faca peixeira no ânus.

*Cabedelo*

*
15. Max Nunes Xavier* – Heterossexual.

“Heterossexual, de aproximadamente 24 anos, foi morto na madrugada de segunda-feira (8 de Agosto de 2011) em frente a um bar na praia do Jacaré, em Cabedelo na Grande João Pessoa. De acordo com informações da delegada Aurelina Monteiro, da 7ª DD, o crime teria ocorrido após uma discussão entre quatro homens, dois deles homossexuais. Max Nunes teria defendido os homossexuais que estariam sendo vítimas de homofobia. A delegada informou ainda que um dos homossexuais agredidos verbalmente acusou Aloísio Lucena, filho de um advogado criminalista e empresário da Capital, de ter cometido o crime. Ele é o principal suspeito e está sendo procurado pela Polícia.”

*Bananeiras *- levantamento feito no dia 30.08.2011


*16. Djair Pereira Cirne – **Dija* – Nº IP: 27/2011

Homossexual assumido, 53 anos, morto por volta das 07:00hr. no interior de sua residência, Sítio Chã do Lindolfo, no dia 12 de junho de 2011. Conforme perícia, o mesmo foi morto por espancamento, tendo o rosto desfigurado por golpes de instrumento, autoria desconhecida.

*Santa Rita *


*17. Eliézer Gama dos Santos*

Homossexual assumido, 35 anos, assassinado a tiros e ainda teve a cabeça esmagada por uma pedra, na madrugada do dia 17 de setembro de 2011.






Prevenção ao HIV após relação sexual de risco anda em marcha lenta em São Paulo Resposta


Durante reunião ordinária do Fórum de ONG/Aids do Estado de São Paulo realizada na sexta-feira (16/05), os militantes avaliaram que faltam divulgação e profissionais capacitados para a chamada profilaxia pós exposição funcionar efetivamente nos municípios paulistas.

Em outubro de 2010 o Ministério da Saúde autorizou que soronegativos que passarem por uma relação sexual eventual com risco de contrair HIV têm direito a uma proflaxia com antirretrovirais para evitar  a infecção. A possibilidade de tratamento com remédios depende de alguns fatores, como o tipo de sexo (anal, vaginal ou oral), a certeza ou não do (a) parceiro (a) ter HIV e se os envolvidos pertencem a grupos considerados mais vulneráveis, como gays, profissionais do sexo e usuários de droga.

“O Programa Estadual de DST/Aids afirma que o serviço está disponível em todos os municípios de São Paulo, mas isso não acontece”, afirmou o presidente do Fórum, Rodrigo Pinheiro.
Levantamento
O Fórum de ONG/Aids está estimulando os ativistas a realizarem levantamentos sobre a disponibilidade da profilaxia pós exposição sexual em diferentes regiões de São Paulo. Na apuração feita por Jô Fonseca, representante da ONG Sonho Nosso, de Nova Guataporanga, apenas 2 de 10 municípios pesquisados no extremo oeste do Estado ofertam o serviço. “Na maioria dessas cidades os profissionais orientam a procurar uma Santa Casa. Eles estão desinformados”, disse.
Na opinião do presidente do projeto Bem-Me-Quer, José Roberto Pereira (Betinho), a falta de divulgação para os possíveis usuários também gera dificuldades. “Não há flyers e nenhuma outra divulgação voltada aos públicos que são o foco do serviço”, criticou.
Complexidade
O presidente do Grupo Pela Vidda/SP, Mário Scheffer, concorda com as críticas. Porém, Mário ressaltou que é preciso levar em consideração a complexidade do serviço. “São necessários profissionais de plantão com condições de avaliar a indicação da profilaxia”, declarou. “Também temos que reconhecer que o Programa Estadual (de DST/Aids de São Paulo) foi rápido na formalização da iniciativa.”
A necessidade de plantonistas citada pelo ativista ocorre porque quanto antes o usuário começar a tomar antirrretrovirais, mais eficaz será o método. O prazo máximo para iniciar a ingestão dos remédios é de 72 horas depois da relação sexual de risco.
Na tarde desta sexta-feira os ativistas afirmaram que vão levar essas demandas aos representantes do Programa Estadual de DST/Aids na reunião.
Na parte da tarde, Rodrigo expôs essa demanda ao coordenador adjunto do Programa Estadual de DST/Aids de São Paulo, Artur Kalishman, que se comprometeu a apresentar um levantamento sobre como está a situação no Estado.
“São Paulo é o Estado que saiu a frente na implementação desta política, mas ainda estamos capacitando nossos profissionais de saúde. O importante é entender que antes o paciente chegava nos serviços e a única alternativa que tínhamos para oferecer era o teste de HIV, agora podemos oferecer também medicação”.
Artur defendeu ainda que profilaxia pós exposição ajuda no diagnostico precoce. “A pessoa que buscar esse tratamento pode de repente descobrir que é portadora do HIV e iniciar o tratamento”, declarou.

*Informações: Agência de Notícias Aids



Brad Pitt diz que só vai se casar após casamento gay ser amplamente legalizado Resposta

Brad Pitt

O astro norte-americano Brad Pitt abriu o coração e falou sobre sua vida pessoal, profissional e planos para o futuro para as revistas “Entertainment Weekly” e “Parade”. O ator fez a promessa de que não haverá casamento até que o casamento entre gays seja amplamente legalizado. “Vamos nos casar quando todos puderem”, disse Pitt à Parade.
Brad falou à revista que atualmente se considera um homem ‘satisfeito’. “Estou satisfeito com as escolhas que tenho feito, em ter encontrado a mulher da minha vida, Angie, e em construir uma família que eu tanto amo”, disse.
“Construir uma família é um risco, porque quanto maior o amor, maior a perda. Mas esse é um risco que eu estou disposto a correr”, disse. “Uma das melhores coisas que já fiz, por sinal, foi ter escolhido Angelina com a mãe dos meus filhos, porque ela é uma ótima mãe”.
Para conseguir se dedicar mais à família,Brad Pitt acha que a solução é gravar filmes ao lado de Jolie. “Nós devemos fazer tudo junto para então trabalharmos menos. Assim teríamos mais tempo livre”.
De acordo com informações do site Ego, o astro de Hollywood criou polêmica ao dizer que seu casamento com a atrizJennifer Aniston não era verdadeiro.
“Nessa época, eu procurava roteiros sobre uma vida interessante, mas eu mesmo não me encaixava nessa categoria. Acho que o meu casamento (com Jennifer Aniston) tinha algo a ver com isso. Eu estava tentanto fingir que nosso casamento era algo que não existia”, contou o ator.
A declaração foi interpretada pela mídia como se Brad Pitt considerasse Aniston desinteressante. O ator tentou reverter o fato por meio de comunicado emitido por sua agência.
“Me entristece que isso tenha sido interpretado dessa forma. Jen é uma mulher incrivelmente generosa, carinhosa e divertida, que continua sendo minha amiga. é uma relação importante que eu valorizo muito. O que eu estava tentando dizer não era que Jen era sem graça, mas que eu estava me tornando sem graça – e por isso, eu sou responsável”, disse Pitt em comunicado.
A atriz de “Friends” e o astro se casaram em 2000. Mas Pitt tem evitado falar do assunto desde o divórcio, em 2005. Na entrevista, o galã também disse que passou os anos 1990 “tentando se esconder” como celebridade. “Eu comecei a me cansar de mim mesmo sentado no sofá, segurando um baseado, me escondendo”, afirmou.
A respeito da paternidade, o ator afirmou que se surpreendeu no papel de pai. “é instintivo. Qualquer som que você ouve à noite, logo está de pé porque um de seus filhos pode estar precisando de você. Ou quando um deles está fazendo pirraça e você tem de desviar a atenção deles para que a situação não saia do controle. é incrível”, disse Brad.
Sobre os rumores sobre sua separação de Angelina: “Quantas histórias saem na imprensa que não são verdadeiras, que eu e Angelina brigamos muito ou que nós vamos nos separar? E quando nós não nos separamos, vem mais uma onda de notícias dizendo que estamos juntos novamente!”, afirmou.
Pitt finalizou com uma afirmação categórica. “Deixa eu esclarecer: nós não estamos nos separando, ainda não estamos esperando nosso sétimo filho e só vamos nos casar quando o casamento for legalizado para todos”.

*Reportagem “The Christian Post”

Evangélicos pretendem perseguir Fernando Haddad durante campanha para a prefeitura de São Paulo Resposta

Fernando Haddad

Segundo a coluna Radar, da revista “Veja”, o ministro da Educação não vai ter sossego durante a campanha eleitoral para a prefeitura de São Paulo. A Assembleia de Deus, a maior fatia entre os evangélicos, não perdoa o kit Escola sem Homofobia (anti-homofobia) que o MEC elaborou e pretendia distribuir meses atrás nas escolas, até ser interditado por Dilma por pressão dos evangélicos. “Não vou deixar o Haddad em paz um minuto”, promete um exaltado líder evangélico, segundo o colunista Lauro Jardim. 


A Assembleia de Deus apoiou o candidato José Serra (PSDB) durante a última campanha para presidente do Brasil. A candidata Dilma Rousseff (PT), foi duramente atacada por fundamentalistas evangélicos e católicos. Mas, apesar disso, ela se aliou à Igreja Universal do Reino de Deus, que já apoiava o governo federal. Dilma também divulgou documento se compromentendo a não ferir interesses de grupos religiosos.

Pelo visto, caso as informações estejam corretas, teremos em São Paulo, uma campanha eleitoral de baixo nível, misturando religião com Estado e deixando de lado debate sobre temas importantes e relevantes para a população, assim como aconteceu durante a última campanha para a Presidência da República. Cabe aos LGBTs não votarem em candidatos que estejam sendo apoiados por fundamentalistas, assim como não votar em nenhum candidato, de nenhum partido que esteja apoiando os mesmos!

Tarcísio Meira: Acho a parada gay fantástica Resposta

Tarcísio Meira
Em entrevista ao programa “Marília Gabriela Entrevista”, o ator Tarcísio Meira, um ícone da TV brasileira, com diversos trabalhos reconhecidos no cinema e no teatro, se mostrou favorável às diferenças e disse achar fantástica a parada gay.

Até os anos 1980, Tarcísio era considerado o galã da família brasileira. Ele interpretava personagens que, hoje, considera chatos. E foi nessa década que ele, em “O Beijo no Asfalto”, de Bruno Barreto, baseado na peça de Nelson Rodrigues, beijou Ney Latorraca na boca. No teatro, interpretou um homossexual na peça “Um Dia Muito Especial” (1986), baseada no filme homônimo de Ettore Scola. E foi sobre esse papel que Marília Gabriela falou com o ator:

Tarcísio e Ney: beijo gay no cinema

– Você é um homem tolerante, eu já percebi, pelas poucas primeiras respostas isso ficou muito claro. Nós vivemos em tempos de homofobia e você fez um papel no teatro, um homosexual perseguido pelo nazismo, isso em 1986. Eu queria que você falasse dessa experiência. Hoje, no paralelo à liberdade que nós estamos vivendo, existe, evidentemente, o acirramento de fobias, de intolerâncias. Eu queria que você comentasse como é que foi fazer esse papel naquela época.
Tarcísio respondeu:

– Eu fiz com o maior prazer e alegria esse papel. Foi um papel muito bonito. A circunstância era muito especial, era guerra e era nazismo, então o personagem sofreu problemas que, hoje em dia, não sofreria, além dos que, hoje em dia, essas pessoas sofrem. Mas hoje em dia existe, inclusive essa coisa maravilhosa dessa parada gay, essa marcha da maconha, essas manifestações todas. Eu vi, Gabi, ontem um “Globo Repórter” (Rede Globo) maravilhoso, fantástico, mostrando esse afloramento de opiniões, essa liberdade, sabe, esse exercício de cidadania, fantástico. Nós estamos em dias de um mundo muito novo, né. Essa revolução que está acontecendo nos países árabes, isso é fantástico, meu Deus do Céu. Isso é muito estimulante para mim, que já não sou criança, de repente constatar essa juventude, porque isso é jovem, entendeu, pessoas de idade com juventude, experimentando, é maravilhoso. Hoje em dia, a gente tem que estar atento para as diferenças, sempre eu estive atento para as diferenças, eu acho que o mundo vive de diferenças, não é de igualdade. Então, é muito bom você ver que as pessoas manifestam as suas próprias diferenças. Elas se mostram como elas são, ou pelo menos elas procuram se mostrar, ou pelo menos elas representam as diferenças que elas gostariam de ter, entendeu, isso é muito bom, porque é sempre um exercício de sensibilidade.

É bom lembrar que Tarcísio Meira tem 75 anos e é referência para muita gente. Mais um que dá uma importante declaração a favor da diversidade!