UFC convoca ex-ator pornô gay para integrar reality show nos EUA Resposta

Na última segunda-feira, o UFCdivulgou a lista de participantes da 15ª temporada do reality show “The Ultimate Fighter” nos Estados Unidos. E a curiosidade ficou por conta da convocação do americano Dakota Cochrane, que também já trabalhou como ator gay de filmes pornográficos.


Dakota Cochrane foi uma das estrelas do site SeanCody.com – bastante conhecido na comunidade homossexual por seus filmes apimentados. Apesar disso, ele manteve uma carreira ativa no MMA, com um cartel de 11 vitórias e apenas duas derrotas.



Em entrevista recente, o presidente do UFC,Dana White,declarou que não se importaria se qualquer lutador do torneio admitisse ser homossexual. Não só isso, como ele ressaltou que o Ultimate já deve contar com alguns atletas gays.

“Digo agora mesmo: se tivesse um lutador gay no UFC, queria muito que ele se revelasse. Não poderia me importar menos para este fato. Provavelmente existe e existe mais de um [atleta gay dentro do UFC]. Quer dizer, é 2012, me dê um tempo”, afirmou Dana White.

A 15ª temporada do reality show “The Ultimate Fighter” também contará com a presença do veterano Cristiano Marcello. O programa será dividido por duas equipes treinadas por Dominick Cruz e Urijah Faber com lutas entre os participantes até que saia o vencedor. 





SP: casal de lésbicas é o 1º a obter separação legal e partilha Resposta

Um casal de lésbicas garantiu em Franca, no interior de São Paulo, o direito de separação legal com partilha de bens, após uma relação que durou 13 anos. Segundo o movimento gay, o caso é o primeiro no País depois que o Supremo Tribunal Federal (STF) reconheceu a união estável homoafetiva. O casal procurou o advogado Mansur Jorge Said Filho. Como elas nunca haviam oficializado o casamento, o advogado fez uma ação de reconhecimento da união e sua dissolução, com partilha de bens. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

A Vara de Família de Franca homologou, na semana passada, o acordo proposto sem contestações. Elas dividiram um carro e duas casas em Franca. Para o presidente da Associação da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo, Fernando Quaresma Azevedo, não há notícias de outros casos após a decisão do STF.

George Clooney e Brad Pitt farão peça em prol do casamento gay Resposta


Um elenco de estrelas de Hollywood, encabeçado por George Clooney e Brad Pitt, protagonizará neste sábado (3) uma peça de teatro em prol do casamento entre pessoas do mesmo sexo, informou nesta quinta-feira (1) o blog do Google. A representação foi anunciada em um vídeo no YouTube pelo diretor e produtor de cinema Rob Reiner, de Antes de Partir, e faz parte de uma campanha impulsionada pela Afer (American Foundation for Equal Rights/Fundação Americana pela Igualdade de Direitos).
Batizada de 8, a história gira em torno do julgamento em torno da Proposição 8, uma iniciativa popular, aprovada nas urnas pela maioria dos eleitores californianos, cujo objetivo foi modificar a constituição do Estado para considerar casamento somente uniões entre um homem e uma mulher. A proposta, posteriormente recorrida nas cortes federais por grupos defensores dos casamentos homossexuais, foi lançada em novembro de 2008 e paralisou esse tipo de casamento.
O tribunal de apelações do 9º circuito judicial da Califórnia declarou no último dia 7 de fevereiro que a proposição é inconstitucional, apesar de ela continuar nas mãos da Justiça e estar sendo encaminhada para a Suprema Corte dos EUA.
O espetáculo é baseado em um roteiro de Dustin Lance Black, ganhador de um Oscar por seu texto em Milk – A Voz da Igualdade, filme sobre Harvey Milk, símbolo nos EUA por ter sido a primeira pessoa abertamente homossexual a ser eleita para um cargo público no país.

Segundo Reiner, a peça procura mostrar como foram os debates na sala do tribunal na apresentação do caso em 2010, quando a Corte Suprema da Califórnia decidiu impedir que as câmeras de televisão gravassem o processo. “Hoje podemos mostrar ao povo de todo o mundo um olhar do que aconteceu a portas fechadas”, comentou o cineasta.

Além de Clooney e Pitt, 8 contará com a participação de astros como Martin Sheen, Kevin Bacon, Jane Lynch, Matthew Morrison e Jamie Lee Curtis. A peça poderá ser conferida ao vivo no sábado (3), a partir das 23h (de Brasília), através do canal da organização Afer no YouTube. A obra será encenada no teatro Wishire Ebell de Los Angeles, na Califórnia.


Fonte: EFE

Casal gay pernambucano registra filha gerada in vitro Resposta


Há 15 anos, quando Mailton Alves Albuquerque, 35 anos, e Wilson Alves Albuquerque, 40, se apaixonaram e começaram uma relação homoafetiva que dura até hoje, não imaginavam provar do sentimento que vivem atualmente. Graças a uma resolução do Conselho Federal de Medicina (CFM), que atualiza as normas relativas à reprodução humana assistida, os empresários se tornaram o primeiro casal de homens do Brasil a ter um filho por meio de fertilização in vitro e registrado pela Justiça.
O fruto dessa união estável – que foi convertida em casamento civil pela Justiça pernambucana no dia 24 de agosto do ano passado – chama-se Maria Tereza e completou um mês de vida na última quarta-feira. Casados e agora com uma filha registrada com o nome dos dois pais, Mailton e Wilson dão um passo importante na consolidação das chamadas novas configurações familiares.
A primeira redação da resolução do CFM que trata da reprodução assistida no País, de 1992, diz que os usuários da técnica devem ser mulheres estando casadas ou em união estável. Já no novo texto, de janeiro do ano passado, não cita o sexo, mas “todas as pessoas capazes”. Diante disso, Mailton e Wilson realizaram o sonho de ter uma família completa e trouxeram a pequena Maria Tereza ao mundo.
Os dois cederam espermatozoides para serem fecundados em óvulos de um banco de doadoras. Como a resolução afirma que o útero de substituição deve ser de um parente de até segundo grau, a prima de um deles aceitou conceber a criança. Terminou sendo introduzido no útero dela um pré-embrião fecundado por material colhido de Mailton. Os pré-embriões fecundados por Wilson estão congelados. O casal pretende dar um irmão ou irmã a Maria Tereza no próximo ano.
“Nossas famílias sempre apoiaram nosso relacionamento. E quando contamos da nossa ideia, todas as mulheres da família se colocaram à disposição para ajudar a realizar nosso sonho: irmãs e primas. Mas terminou sendo uma prima minha. Agora, temos uma família completa”, contou, orgulhoso, Mailton.
Segundo ele, a ideia de ter um filho surgiu em 2010, após viajar ao Canadá para estudar e ficar na casa de um casal homoafetivo que tinha filhos. “Quando voltei, começamos a discutir o assunto e pensávamos em adotar uma criança. Mas um dia, assistindo a um programa de televisão, vi a notícia sobre a mudança na resolução do Conselho Federal de Medicina. Aí, decidimos fazer fertilização in vitro”, relembrou.
A fecundação e introdução no útero ocorreu em uma clínica de reprodução humana do Recife. O vínculo da criança com a prima que emprestou o útero terminou já na maternidade, quando os pais saíram da unidade de saúde com Maria Tereza nos braços. A mulher, que pediu para não ter o nome divulgado, tomou medicamentos para evitar a produção de leite materno.
Hoje, a pequena Maria Tereza – o nome é uma homenagem às mães de Wilson e Mailton – tem um quarto só para ela, com direito a nome na porta, e atenção completa dos dois pais. Para Wilson, a felicidade de ser pai é “inexplicável”. “A felicidade é tremenda. Nunca pensei que fosse sentir um amor tão grande. Ter uma família completa é lindo”, desabafou.

Fonte: Jornal do Commercio

Léa Seydoux viverá lésbica em drama do diretor de Venus Negra Resposta


A atriz francesa Léa Seydoux (“Meia-Noite em Paris”) vai estrelar o filme “Blue Is a Hot Color”, sobre homossexualidade feminina. Segundo o blog The Playlist, Seydoux viverá uma jovem que se apaixona por outra mulher (Adele Exarchopoulos) e terá de enfrentar o julgamento de sua família e de seus amigos.

O filme será uma adaptação da graphic novel “Blue”, de Julie Maroh, e terá direção de Abdellatif Kechiche (“Venus Negra”).

Este é o segundo filme sobre o tema do qual Seydoux participa recentemente. Em “Les Adieux à la Reine” ela contracena com Diane Kruger, explorando um lado lésbico da rainha Maria Antonieta.

‘É tanto rótulo que chega dá enjoo’, diz, no Recife, 1º transexual do Brasil Resposta

João W. Nery lança livro no Recife
(Foto: Luna Markman/G1)

Apesar de repudiar rótulos, João W. Nery ganhou um: o de primeiro transexual homem operado no Brasil. Até os 27 anos, o carioca viveu com um corpo de anatomia feminina. Na década de 70, em plena ditadura militar, ele se submeteu a uma cirurgia de mudança de sexo, considerada ilegal na época. Logo em seguida, escreveu o livro autobiográfico “Erro de pessoa: João ou Joana?”. Nesta quinta-feira (1°), o escritor foi ao Recife lançar uma releitura da obra, intitulada “Memórias de um transexual trinta anos depois”. Antes da sessão de autógrafos, houve um debate sobre o tema no auditório da Livraria Cultura, no Cais da Alfândega, que foi bastante prestigiado.



E por que remexer em um passado tão doloroso? “É que eu já vivi muita coisa desde então. Naquele tempo, eu nem sabia direito quem eu era”, disse João W. Nery. Por falta de uma legislação própria para a transexualidade, teve que inventar no cartório que não havia sido registrado ao nascer. Mesmo com a nova identidade, ele perdeu tudo que tinha conquistado até ali. “Sou formado em psicologia, era professor, tinha um consultório. Virei ninguém, um analfabeto. Hoje eu não sou nada. Até escrever o livro, tive que trabalhar como pedreiro, terapeuta corporal, técnico em computador, vendedor de tudo para sobreviver”, disse.



Perguntado se algo mudou nesses 30 anos para um transexual no Brasil, João acredita que houve poucos avanços. “A cirurgia hoje é legalizada, existem as paradas gays, quando as pessoas não têm vergonha de beijar e andar de mãos dadas nas ruas. Porém, avançamos pouco na legislação. Também acho que todos devem passar por uma readequação, metaforicamente falando, já que, logo ao nascer, por causa da nossa anatomia, já nos dizem que nós vamos ser. Hoje tem homo, bi, trans, é tanto rótulo que cheda dá enjoo. Mas as coisas estão caminhando, inclusive, é só olhar para este auditório lotado”, comentou.

Na plateia, profissionais de saúde, acadêmicos, ativistas e curiosos. “Trabalho com adolescentes e saúde mental na pediatria, além de trabalhar com conflitos de identidade sexual, por isso vim. É o tipo de saber que a gente não encontra nos livros”, disse a professora Betinha Fernandes, responsável pelo ambulatório de pediatria do comportamento do Hospital das Clínicas. “Estudo psicologia e sei que no futuro posso encontrar pacientes nessa situação. É importante a gente saber como apoiá-los, com a mente aberta”, falou a estudante Ana Bárbara Araújo. “Sou educador em uma ONG e lá têm jovens travestis, homossexuais. A gente pauta assuntos como gênero, sexualidade e preconceito”, explicou o professor de artes Marconi Bispo.

Romper preconceitos. Esse é o grande objetivo dos livros lançados por João W. Nery. A Associação Brasileira de Homens Trans (ABHT) organizou o evento desta noite com apoio da Prefeitura do Recife. “Estamos aqui para dar visibilidade ao transexual do sexo masculino em virtude das dificuldades que passamos nessa sociedade machista. Eu, por exemplo, estou tentando uma cirurgia há dois anos. Nós somos expulsos de casa, não conseguimos emprego, sofremos bullying na escola, assédio sexual”, comentou Leonardo Tenório, da ABHT.

*Com informações do G1


PLC 122 terá audiência pública em maio no Senado Resposta

A senadora Marta Suplicy (PT-SP) conseguiu em sessão da Comissão de Direitos Humanos (CDH) do Senado Federal nesta quinta-feira, 1 de março, a aprovação de requerimento para realizar mais uma audiência pública na Comissão sobre o PLC 122/06, que criminaliza a homofobia em todo o Brasil e no ano passado foi retirado da pauta de votações parlamentares.



Pelo Twitter, Marta confirmou que “acaba de ser aprovado na CDH meu requerimento para a realização de uma audiência pública sobre o PLC 122, dia 15/5”, fazendo parte da programação que é realizada todos os anos no Congresso Nacional próximo ao 17 de Maio, Dia da Luta Contra a Homofobia, e que neste ano já confirmou a Caminhada Contra a Homofobia.



Marta revelou ainda que uma nova proposta será recebida por ela na ocasião, mas desta vez um texto produzido pelas mãos da militância LGBT. “Na data, receberei uma proposta de substitutivo que será construída pela comunidade LGBT no encontro de Belo Horizonte em abril”. 


Fonte: mixbrasil