Semana da Diversidade tem início nesta terça-feira em Florianópolis Resposta


Iniciam nesta terça-feira (4) as atividades da Semana da Diversidade de Florianópolis. Na programação estão previstos apresentações artísticas, entrega de prêmios, debates sobre adoção por casais homossexuais e o tema ‘gênero’, uma feira cultural e jogos. Durante os seis dias de evento, a instituição organizadora recolherá assinaturas para apresentação, ao Congresso Nacional, de um projeto de lei para criação do Estatuto da Diversidade Sexual.

 

O objetivo da proposta é assegurar direitos à população LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais) e criminalizar a homofobia. Ao final da Semana, no domingo (9), será realizada a 7ª Parada da Diversidade, na avenida Beira-Mar Norte. A marcha, que terá como tema ‘Amar é um direito de todos’, inicia às 14ho e contará com a apresentação de shows.

 

De acordo com a Associação dos Empreendedores GLBTS de Santa Catarina, instituição não-governamental e sem fins lucrativos organizadora do evento, Florianópolis é uma cidade receptiva ao público GLBT e conta com lei que criminaliza a homofobia. Ainda segundo a Associação, o evento é atrativo para turistas de várias regiões do Brasil e movimenta a economia de Florianópolis.

 

Para mais informações sobre a Semana, acesse o site da Diversidade de Floripa.

 

Confira abaixo a programação da Semana da Diversidade:

 


Terça-feira – 4 de setembro

20h – Teatro da União Beneficente Recreativa Operária (UBRO) – Abertura oficial do evento com entrega de prêmios para personalidades e empresas apoiadoras da Semana, além de apresentações artísticas.

 


Quarta-feira – 5 de setembro

20h – Teatro da UBRO – Debate sobre o tema ‘família’ e apresentação artística. Presença de casais homossexuais que participaram de processo de adoção, psicóloga e comissão da diversidade sexual da OAB-SC.

 

Quinta-feira – 6 de setembro

20h – Teatro da UBRO – Debate sobre o tema ‘gênero’, com a presença de Júh Asth e Maitê Schneider, transexuais masculino e feminino com grande expressão na mídia, ADEH (Associação para Defesa dos Direitos Humanos com enfoque na sexualidade), psicóloga e advogada. Também haverá apresentação artística.

 

Sexta – 7 de setembro

14h às 21h – Praça Portugal (trapiche da avenida Beira Mar) – Feira Cultural da Diversidade com exposições e manifestações artísticas, música e praça de alimentação. A intenção da feira é reunir as pessoas no espaço público para um momento de lazer, descontração e cultura.

 

Sábado – 8 de setembro

9h às 18h – CEFID/UDESC – Jogos da diversidade, com objetivo de reunir atletas não profissionais para competir entre si em diversas modalidades.

 

Domingo – 9 de setembro

14h – Avenida Beira Mar Norte – Parada da Diversidade

Em Pernambuco, campanha mistura homossexualidade à pedofilia e gera revolta Resposta

Uma campanha lançada contra o turismo sexual em Pernambuco está causando revolta dos LGBTs e de quem defende os direitos humanos nas rede sociais. Um cartaz publicado na página oficial e no Facebook do “Fórum Permanente Pernambucano Pró Vida” cita o “homossexualismo” (SIC) como um dos problemas enfrentados pelo turismo no Estado e que deve ser combatido.

O grupo se intitula “contra a proliferação do homossexualismo (SIC)” e diz que tem, como objetivo, “divulgar, preservar e defender os princípios cristãos, éticos e dos bons costumes”. Na campanha, lançada neste domingo (2), o Fórum compara a homossexualidade com crimes como pedofilia, exploração sexual de menores e também à prostituição. O jornal “Folha de Pernambuco” divulgou a campanha, o que deu visibilidade a ela entre os internautas. Na internet, o periódico também passou a ser alvo de críticas de militantes dos diretos humanos.

Na explicação da campanha, o movimento diz que “ataca de frente a exploração do turismo sexual no nosso estado. Nesta campanha, a organização se manifesta abertamente contra comportamentos e atitudes anticristãs como a pedofilia, a prostituição, a exploração sexual de menores e a proliferação do homossexualismo (SIC)”.

As páginas da Internet e do Facebook não fazem menção sobre quem são os responsáveis pelo Fórum. Diz apenas que o “Movimento Javé Nossa Justiça é um movimento formado por cristãos, aberto a todos que professam a fé em Jesus Cristo”.

A campanha, intitulada “Pernambuco não te quer”, é inspirada em uma outra campanha, oficial da prefeitura da capital pernambucana, chamada “O Recife te quer”, que tenta atrair turistas para o Estado.

A campanha do movimento contra a homossexualidade foi postada no Facebook no último domingo (2) e gerou uma série de críticas nas redes sociais. Nesta terça-feira (4), mais de 400 comentários já haviam sido feitos na postagem do cartaz da campanha, pedindo também a retirada do ar do conteúdo.

“Seus nazistas! Vão pagar caro por colocar homossexualismo (SIC) no meio disso! Serão denunciados, espero que vão todos pra cadeia com seu falso moralismo!”, disse Mauro Brazbear.

O post também gerou denúncias formais contra a página. “Denunciado. Coloquei como discurso ou ódio e tem cara de ser sim, um ódio a nós, homossexuais, e não fizemos nada, isso só se resume a uma palavra: preconceito”, opinou Lucas Emanuel.

A “Folha de Pernambuco” em nada contribuiu divulgando uma campanha dessas. Aliás, só deu visibilidade a ela. A Recomendação da Polícia Federal é que em casos como esse, as pessoas não divulguem e nem protestem contra a campanha. Eu sei que dá vontade. Mas o ideal é denunciar através dos sites: http://denuncia.pf.gov.br ou http://www.safernet.org.br/site/denunciar
O blog só está divulgando o fato, pois ele já ganhou proporção nacional. Optamos, também, por não mostrar a imagem da campanha.


Projeto contra a homofobia na escola está na final do Prêmio Microsoft Educadores Inovadores Resposta



Um dos projetos selecionados pela Microsoft para o Prêmio Educadores Inovadores 2012 é da cidade de Abreu e Lima e combate a homofobia! FIca a dica, presidenta Dilma! Conheça o projeto melhor:

Nome do projeto: Homofobia – novo desafio para a escola inclusiva

Autor: Inaldo do Nascimento Ferreira

Escola: E.E Polivalente de Abreu e Lima

Cidade: Abreu e Lima

Estado: PE

Descritivo: Trabalhar a diversidade sexual no espaço escolar e combater a discriminação e o preconceito contra estudantes homossexuais, esses são os objetivos do projeto. Internamente, estudantes tratavam esses jovens como “anormais”, hostilizando e humilhando-os. Por meio da mediação de conflitos e prática dos direitos humanos, foi iniciado o trabalho com as turmas que mais apresentavam violências preconceituosas e o projeto utilizou as TICs para tornar esse processo efetivo e envolver os jovens de maneira dinâmica e interativa.
Veja quem são os presidentes dos comitês de seleção, responsáveis pelas escolhas dos projetos finalistas dessa edição.

Teresa Cristina Jordão

Teresa Cristina Jordão
Psicóloga, doutoranda em Educação, na Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo e mestre em Educação, Arte e História da Cultura pela Universidade Mackenzie. Consultora da área de Educação a Distância da Pearson Education do Brasil. Atuou na gestão do Programa de Formação Profissional da Vale e durante 4 anos coordenou os projetos de Educação a Distância do Senac São Paulo. É Parceira Técnica do Programa Parceiros na Aprendizagem da Microsoft Educação, onde atua em projetos de formação de professores para a integração das tecnologias na educação. Professora da pós-graduação da Faculdade Trevisan. Consultora do Portal do Professor do Ministério da Educação. Membro da comissão de avaliação do Prêmio Educadores Inovadores da Microsoft e do Prêmio de Educadores do Instituto Claro. Sócio-fundadora do Instituto Paramitas, instituição que atua com projetos sociais na área de educação.



Mary Grace Martins

Mary Grace Martins
Pedagoga, Mestre e doutoranda em Educação pela Faculdade de Educação da USP, pós-graduada em Design Instrucional para educação on-line pela Universidade Federal de Juiz de Fora. Atua há 10 anos na formação de educadores e desenvolvimento de materiais pedagógicos. Consultora do Ministério da Educação e professora na pós-graduação da Universidade Mackenzie. Cofundadora e diretora pedagógica do Instituto Paramitas.



Fabiana Prianti

Fabiana Prianti
Bacharel em Turismo pela Universidade Anhembi Morumbi. Atua desde 2004 no Instituto Crescer para a Cidadania, responsável pela elaboração e gestão de projetos sociais com ações voltadas ao fortalecimento do capital humano das comunidades – como o Programa OCA (Organismo Comunicação e Arte) no Jardim Pantanal, em São Paulo, em parceria com a Votorantim Metais e Instituto Alana. Em 2007 tornou-se coordenadora das ações do Programa Aluno Monitor Microsoft e do Programa Aluno Cidadão, em parceria com o Grupo EDP em diversos estados brasileiros.



Cristian Fialho

Teresa Cristian Fialho
Pós Graduado em Gestão de Projetos pela Escola Politécnica da USP. Tecnólogo em Processamento de Dados pela Universidade Ibero Americana. Atualmente é Gerente de Novas Tecnologias e Plataformas do Setor Acadêmico na Microsoft Brasil onde é responsável por Programas de Capacitação com o Students to Busness (S2B) e também pelo Programa Dreamspark que tem por objetivo apoiar a adoção de softwares Microsoft através de vendas e/ou doações para Instituições de Ensino, estudantes e Professores. É membro da comissão de estudos da ABNT (CE-21:034.00) que trata da Avaliação de Processos de Software e, representante da Comissão Própria de Avaliação (CPA) e membro do grupo de estudo de Propriedade Intelectual da área de educação do Senac São Paulo.


Sérgio Lima

Sergio Lima
Licenciatura Plena em Ciências Biológicas (Unesp), mestre em educação para a ciência (Unesp). Possui experiência docente na área de ciências, e contudo, seu foco é voltado para a área de Tecnologia da Informação aplicada à educação. Hoje, atua como coordenador de projetos educacionais pela MStech, na qual é responsável pelos cursos a distância do Programa Viver Digital e dos programas edu



Paraconhecer mais, visite a página do prêrmio: https://www.educadoresinovadores.com.br/index.asp