Holandeses fazem testes eleitorais online para escolher candidatos Resposta


Eleitores na Holanda foram às urnas nesta quarta-feira (12) em uma eleição geral ofuscada por preocupações sobre a crise da dívida nos países da zona do euro.

Acredita-se em uma disputa apertada entre o liberal VVD, de centro-direita, do primeiro-ministro Mark Rutte, e o Partido Trabalhista, de centro-esquerda, mas o eleitor tem várias outras opções para fazer valer a sua voz no Parlamento em Haia.

Para se orientar e encontrar o voto certo, milhares de holandeses fazem uso de testes eleitorais online, que são mania no país.

Testes

Com base nas propostas de 20 partidos, dos tradicionais a agremiações excêntricas como o Partido dos Animais, sites como o Stemwijzer (Indicador de Voto, em português) e o Kieskompas (Bússola Eleitoral, em português) elaboram testes com ênfase nos temas mais relevantes.

Frases como ‘Todos os coffeeshops da Holanda devem ser fechados’ e ‘Demitir funcionários deveria se tornar mais fácil para os empregadores’ forão algumas das 30 questões que o site Indicador de Voto formulou para ajudar eleitores a descobrir qual partido político melhor se encaixa com seu perfil.

O usuário escolheu entre ”concordo”, ”discordo” ou ”nenhum dos dois”. O resultado mostra o grau de afinidade entre as respostas do eleitor e as propostas do partido. Também foi possível ler em detalhes porque cada partido é a favor ou contra um determinado tema.

Nos últimos dois meses, cerca de 30 testes eleitorais pipocaram na internet. Além das variantes humorísticas – como o Stomwijzer (Indicador Burro, em tradução livre), um trocadilho com o nome Stemwijzer – há versões para crianças, idosos, vegetarianos, imigrantes, gays, e até o Indicador de Voto Cannabis.

Tantas opções podem deixar o eleitor mais uma vez indeciso, neste caso sobre qual teste utilizar. Mas até para estes, há uma opção: o site Stemwijzerwijzer (Indicador de Indicador de Voto).

Facilidade

Anjet Blinde, de 22 anos, profissional de Mídia e Entretenimento, diz que até mesmo pessoas que já sabem em que partido vão votar ficam curiosas para fazer o teste. ‘No meu caso, o resultado foi exatamente o que eu esperava.’
Ela acha que sites do tipo facilitam a vida do eleitor. ‘Os programas partidários são enormes e muita gente não tem ideia do conteúdo deles.’

A nutricionista e pesquisadora Jolien Hofstede (25) é também uma dos mais de dois milhões de eleitores que até o momento utilizaram o Indicador de Voto.
‘Não acho que você deva deixar sua escolha depender completamente de um site desses, mas ele te mostra em qual direção ir.’

A eleições desta quarta-feira foram convocadas após a queda do governo, em abril deste ano, depois da tentativa frustrada de aprovar um corte de 16 bilhões de euros (R$ 40 bilhões) no orçamento.

A manutenção do déficit dentro dos 3% exigidos pela União Europeia é o principal ponto de conflito entre os partidos que dominam o debate. Segundo pesquisas, o liberal VVD, de Mark Rutte, deve obter o maior número de assentos (34 dos 150), mas terá dificuldades em formar uma coalizão estável.

Invenção Holandesa

O Indicador de Voto é uma invenção holandesa e existe desde 1989. Antes de se transformar num site, em 1998, era vendido em livrarias, tanto em papel e disquete. Nas últimas eleições gerais na Holanda, em 2010, o teste online foi preenchido mais de quatro milhões de vezes.

A Bússola Eleitoral, uma alternativa ao Indicador de Voto, foi elaborada em 2007 pela Universidade Livre de Amsterdã, em parceria com veículos de comunicação. Ela dá opções mais amplas de resposta e utiliza apenas frases afirmativas, o que evita que o usuário se confunda.

Versões da Bússola Eleitoral foram utilizadas no pleito deste ano na França, na última eleição ao Parlamento Europeu, em 2009, e nos Estados Unidos, em 2008.

Dentre os 20 partidos que brigam por uma cadeira no parlamento holandês, há os inusitados, como o Partido Pirata, cuja plataforma é a flexibilização das leis de patente e de direitos autorais, e os excêntricos, como o Partido para o Ser Humano e Espírito.

Fonte: BBC


Suplente de Marta no Senado, que é contra o casamento civil gay, é investigado por suspeita de enriquecimento ilícito Resposta


O senador Antonio Carlos Rodrigues (PR), que assumirá uma vaga no Senado com a saída de Marta Suplicy (PT-SP), é investigado pelo Ministério Público de São Paulo desde agosto pela suspeita de enriquecimento ilícito.

O Ministério Público não informou a causa, mas o vereador disse que foi intimado a explicar o motivo de manter R$ 360 mil em casa, entre dólares e reais, conforme declarou à Justiça Eleitoral.
Ontem, o vereador colocou suas declarações de renda à disposição e disse que, ao ser informado pela Folha, conversou com um procurador do Ministério Público para tirar dúvidas. “Ele me respondeu: ‘Não há nada contra você, abriu, você vai comprovar e acabou. De onde veio o dinheiro, a fonte, aí tudo bem’.”

Dizendo-se irritado com o caso, disse que só como pessoa física chegou a receber, em média, cerca de R$ 560 mil por ano. “Posso guardar R$ 100 mil por ano.”

O futuro senador já teve outros problemas na Justiça. Em 2010, o Superior Tribunal de Justiça acatou recurso contra decisão de segunda instância que o condenou a devolver R$ 32,7 milhões aos cofres públicos em razão de um contrato firmado pela Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos de São Paulo (EMTU) quando ele presidia a companhia, em 1992.

Carlinhos, como é conhecido, declarou neste ano patrimônio de R$ 974 mil –em 2008, o valor foi de R$ 1,5 milhão, sendo R$ 99,5 mil em moeda nacional. Diz que empobreceu por ter transferido parte dos bens para os filhos.

Trânsto Livre

Com trânsito em diversas correntes políticas e fama de bom articulador, foi eleito quatro vezes seguidas presidente da Câmara Municipal de São Paulo, um recorde. Carlinhos expandiu o poder após ser chefe de gabinete na então Secretaria das Administrações Regionais na gestão Paulo Maluf (1992-1996).
Também se aproximou das empresas de ônibus e se dizia “amigo” dos empresários do setor.

Na Câmara, onde quase chegou à agressão física com adversários, foi o principal líder do “centrão”, grupo de vereadores de diversos espectros formado para obter vantagens dos prefeitos, começando por Marta.

Em 2009, foi acusado pela Polícia Federal de receber propina da construtora Camargo Corrêa para interceder no Conpresp (órgão municipal de preservação do patrimônio histórico) pela liberação de um terreno.

Os outros senadores por São Paulo são Eduardo Suplicy (PT) e Aloysio Nunes Ferreira (PSDB).

Apesar disso, no Senado, fará o que a Igreja mandar


Apontada por muitos (não pelo blog) como musa do movimento gay, a ministra da Cultura, Marta Suplicy (PT-SP), será sucedida no Senado por um político que advoga opiniões opostas. Dizendo-se “católico praticante”, o vereador Antônio Carlos Rodrigues (PR), seu suplente, é contra aborto, eutanásia e casamento civil entre pessoas de mesmo sexo. “Sou contra. Homem é homem. Mulher é mulher. Posso perder voto dos gays. Mas sou transparente”, afirma. 

Questionado sobre a discrepância de seu perfil  com o de Marta, Carlinhos, como é chamado, diz que tem sua personalidade. E avisa: “Vou acompanhar a Igreja Católica Apostólica Romana”. As informações são do jornal Folha de S. Paulo.

Rodrigues se licenciou ontem da Câmara Municipal. Em um breve discurso, disse que, mesmo prestes a assumir a vaga no Senado, concorrerá à reeleição na Câmara paulistana. Para justificar a manutenção da candidatura, disse que no Senado pode ficar “tanto um como dois dias”.”O Barros Munhoz ficou 35 dias só”, lembrou ele, apesar de apostar na longevidade de Marta no cargo porque ela e “Dilma Rousseff combinam”.

Acordo

Marta Suplicy virou ministra da Cultura, após suposto acordo com Lula: ela defenderia a candidatura de Fernando Haddad à prefeitura de São Paulo e receberia como mimo um cargo no governo Dilma.

Zac Efron diz que não vê nada de errado em ser gay Resposta

O ator Zac Efron, mostrou seu agradecimento aos seus fãs gays em uma entrevista ao site The Advocate.

“Fico lisonjeado. Depois de ‘High School Musical’ e ‘Hairspray’, eu sempre me senti abraçado pela comunidade gay e me sinto incrivelmente agradecido e honrado”.

Efron disse que ele descobriu o sucesso que fazia com o público gay em 2006 com “High School Musical”.

“Acho que a audiência gay se identificava com o meu personagem, Troy, pois era realmente uma história de aceitar quem você é, não importa o quão diferente você possa ser, e não ter vergonha de mostrar isso. Este é um tema universal para todo mundo, mas ressonou especificamente na comunidade gay, e eu fiquei muito orgulhoso disso”.

O ator também contou que descobriu sua paixão por musicais logo na adolescência e percebeu que “ser gay é só mais uma forma de ser. Eu nunca tive tempo de pensar sobre isso ou ter noções pré-concebidas. Eu não julgo ninguém”, disse.

Efron, que é heterossexual e já namorou Vanessa Hudgens, disse não se importar com boatos sobre sua orientação sexual.

“Eu não gosto de viver no medo de coisas como esse rumores, foi o jeito que fui criado, mas não consigo ver o que há de tão errado em ser gay”.

Opinião

Minha opinião é que ele pode ser chamaado de gay, bi, tri, pentasexual, o que for. Lindo e bem resolvido. Isso basta!