EUA: TV registra recorde de personagens LGBT Resposta

Séries como “Girls”, “The new normal” e “Go on” ajudaram a TV americana a bater o recorde de personagens gays, bissexuais e transgêneros no ar, de acordo com o grupo GLAAD (sigla para Aliança Gay e Lésbica Contra a Difamação, em português), que defende os direitos homossexuais. Ao contabilizar a diversidade étnica e sexual da televisão, a instituição identificou 111 papéis LGBT no elenco de séries e programas de ficção nos canais dos Estados Unidos.




Herndon Graddick, presidente da GLAAD, disse que o crescimento do número de personagens gays reflete “uma mudança cultural na maneira como gays e lésbicas são vistos em nossa sociedade”. “Mais e mais americanos passam a aceitar seus familiares, amigos, colegas de trabalho e conhecidos homossexuais. Ao assistir aos seus programas favoritos, o público espera encontrar a mesma diversidade que existe em suas vidas cotidianas”, completou.

Só de personagens fixos no elenco das séries das cinco principais emissoras americanas são 31. O restante da soma é de personagens recorrentes, como o irmão gay de Alicia Florrick, de “The good wife”. Um dos destaques do estudo do GLAAD é a comédia-musical “Glee”, que mostra dois gays adolescentes, um casal lésbico e um personagem transgênero. Outro é “True blood”, com seis personagens gays.

No ano passado, o número de personagens LGBTs tinha sido reduzido, mas a estreia de novas séries como “The new normal”, sobre um casal gay às voltas com a adoção de um bebê, e “Go on”, cujo elenco inclui uma personagem feminina que perdeu a companheira, elevou a contagem.

Por aqui

É importantíssimo um número tão grande de personagens LGBTs, porque isso dá visibilidade a nós no meio que as pessoas mais usam para se divertirem, junto com a internet.

Aqui no Brasil, ao longo dos anos, quase todas as novelas das nove, tem ao menos um personagem gay. Sempre retratado de maneira velada ou então caricata, principalmente em programas de humor. Travestis transexuais é como se não existissem. Em novelas das seis, quase nunca tem gays.

As duas maiores redes de TV são a Rede Globo e a Rede Record, que pertence bispo Edir Macedo, que é dono da Igreja Universal do Reino de Deus. Da Record, não podemos esperar nada. É bom lembrar que a emissora fez uma campanha enorme contra o kit anti-homofobia. Aliás, Edir Macedo voltou a atacar o kit em seu blog essa semana, para tentar manchar a imagem de Fernando Haddad, candidato com chance de chegar ao segundo tudo com Celso Russomanno, seu candidato. Outro candidato que pode chegar ao segundo turno é José Serra, que recebeu o apoio do pastor Silas Malafaia, para, nas palavras do pastor “evitar que o candidato do kit gay chegue ao segundo turno”. 

Sendo assim, só podemos contar com a Rede Globo e com o SBT, que, de vez em quando, faz novela e, ano passado, mostrou um beijo lésbico, mas vetou o beijo gay na novela “Amor e Revolução”.

O que você acha disso?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s