Transexuais invadem horário nobre da TV argentina Resposta

Transexuais em horário nobre argentino.

O seriado  La Viuda de Rafael (A Viúva de Rafael, em português), que estreou dia 13 na televisão argentina, retrata a luta dos transexuais pelo reconhecimento de seus direitos e para conseguir aprovar a lei do casamento igualitário.

Baseada no livro homônimo do escritor porto-riquenho Luis Daniel Santiago Estrada, a série com toques de comédia romântica, tem como protagonista Nina, uma travesti que, em um acidente, perde o amor de sua vida e, com isso, praticamente fica na rua.

“Nina vive como concubina de Rafael há mais de 15 anos. Mas, no primeiro capítulo, fica viúva porque Rafael sofre um acidente e morre. A família de Rafael tira tudo o que ela tinha e a deixam na rua”, conta à agência Efe Camila Sosa Villada, que dá vida a Nina. Assim começa para Nina ‘um roteiro não só para recuperar o que lhe corresponde como herança de Rafael, mas também para conseguir título de viúva”, relata a atriz.

A série, que tem 13 capítulos, é ambientada em 2009, antes da aprovação na Argentina da lei casamento igualitário, que não só permitiu as bodas entre pessoas do mesmo sexo, mas, além disso, reconheceu os direitos dos contraentes em caso de viuvez.

Camila destaca que sua personagem, antes de enviuvar, não era uma militante dos direitos dos transexuais, mas uma “princesa que vivia em uma caixa de vidro”. “Nina é quase a imagem burguesa de um transexual. É uma dona de casa, que ama  e vive para seu marido. Sofreu por não ter família e por isso pretende que os familiares de Rafael a aceitem. Mas se dá conta de que está sozinha no mundo, sai de seu conto de fadas e o enfrenta”.

A protagonista deve então se apoiar em suas três amigas transexuais, interpretadas por Maiamar Abrodos, atriz e militante pelos direitos dos transexuais, Gustavo Moro, ator transformista, e a atriz Jorgelina Vera.

A luta pela aprovação do casamento igualitário, ocorrida em 2010, é retratada em um dos capítulos do seriado.

“É uma comédia romântica, uma história de amor, que conta a luta de Nina para ser reconhecida como viúva e também  história de suas amigas transexuais, mas não a partir da marginalidade e sim dos seus problemas cotidianos”, disse à Efe, Laura Fernández, produtora executiva do programa.

Laura destacou que o programa também mostra como, a partir da aprovação da lei do casamento igualitário, Nina e suas amigas “podem começar a encontrar o seu lugar na vida”. “Acho que as pessoas vão se surpreender. Falamos de transexuais donas de casa”, comenta a produtora.

Produzida pela Atuel Producciones, a obra foi uma das ganhadoras do concurso organizado pelo Conselhor Interuniversitário Nacional e do Conselho Assessor do Sistema Argentino de Televisão Digital Terrestre para séries de prime time.

O projeto nasceu a partir de uma ideia do ator Tony Lestingi, que entrou em contato com Luis Daniel para adaptar seu romance para a TV.

Com direção de Estela Cristiani e roteiros do próprio Lestingi e de Marcelo Nacci, o elenco de La Viuda de Rafael também conta com Rita Cortese, Fabián Gianola, Luis Machín, e Alejo García Pintos.

O seriado é exibido em horário nobre pelo Canal 7 da TV pública argentina.

O que você acha disso?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s