Thierry Figueira diz que daria beijo gay em novela, sem problema 5

Imagem

O ator Thierry Figueira (34) atualmente no ar como o Patrick de Balacobaco (Record), novela de Gisele Joras, com direção-geral de Edson Spinello, tem em seu currículo, quase 20 produções na televisão, ele já passou por três emissora diferentes: Globo, SBT e Record.

Imagem

O Patrick, de Balacobaco é um homossexual assumido, menos para os pais caipiras de seu melhor amigo, Breno Pedrosa, vivido por Léo Rosa. Na história, Patrick sonha em ser famoso através da carreira de ator ou apresentador de TV. Mas, sem nenhuma noção de interpretação, só consegue protagonizar um programa infantil vestido de pinguim.

“Meu personagem fica com um conflito interno porque apresenta um programa infantil, mas tem fobia de criança”, descreve.

Além da trama engraçada, Patrick tem chamado a atenção do público com seu figurino extremamente exagerado e por conta de seus trejeitos afeminados.

Imagem

“Tenho um amigo gay que fala que já estou dando pinta demais na novela”, brinca.

Para compor o papel, Thierry não se inspirou em ninguém especificamente. Entretanto, se aproximou mais do universo gay, conversando com ativistas da causa LGBT sigla para lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros –, indo a festas direcionadas para esse pblico e frequentando o point gay da praia de Ipanema, localizado na altura da rua Farme de Amoedo, Zona Sul do Rio de Janeiro.

Imagem

“Também observei muitos amigos homossexuais. Nunca tive preconceito, inclusive faria o beijo gay na novela sem problema nenhum”, oferece-se.

Balacobaco – Record – De segunda a sexta, às 22:15 horas.

Segunda vez

Na verdade, o Patrick de Balacobaco é o segundo personagem homossexual interpretado por Thierry Figueira. No começo de sua carreira, em 1996, o ator fez uma participação em Malhação como Gabriel, um jovem que não aceitava a própria orientação sexual. Na época, a homossexualidade ainda era um tabu pouco representado na tevê. E a novela “teen” colocou o assunto no centro dos debates.

“Aquele conflito do jovem gay em um produto para adolescentes foi essencial para as pessoas começarem a conhecer o universo homossexual”, acredita.

Hoje, a maioria das tramas contam com um personagem homossexual. Muitas vezes, sendo o típico gay engraçado, com gírias específicas e jeito afetado, assim como o Patrick.

“Agora as pessoas têm uma cabeça mais aberta. Pelo menos, entendo dessa forma. As pessoas têm de ser felizes independentemente da opção sexual”, esclarece.

Será que vai rolar beijo gay na emissora do bispo?

Em livro, Reynaldo Gianecchini revela origem de fama de gay Resposta

Imagem

Eu, particularmente, acho que essas especulações a respeito de uma suposta homossexualidade do ator Reynaldo Gianecchini já deram pano pra manga. Se ele é hétero, gay ou bi pouco importa. O mais importante é que é um bom ator e, hoje em dia, engajado em campanhas bem bacanas. Mas ainda tem muita gente interessada no assunto, tanto é que está em um livro, né? Então, segue a notícia:

O ator Reynaldo Gianecchini , que completou 40 anos recentemente, mostra sua intimidade na biografia “Giane – Vida, Arte e Luta”, escrita pelo jornalista Guilherme Fiuza , que será lançada na terça-feira (4). O jornal “Folha de S. Paulo” teve acesso à obra e publicou trechos sobre a luta do ator contra o câncer, seus amores e a origem dos rumores sobre sua homossexualidade. Veja dez coisas que você não sabia sobre ele:

1. Gianecchini e Vera Fischer se beijaram na vida real
Durante as gravações da novela “Laços de Família”, em 2000, que marcou sua estreia na TV, ele e a protagonista Vera Fischer se beijaram fora dos sets, durante jantar num hotel no Japão. “Na viagem, tinha pouco texto, muito passeio e bom saquê. O romantismo contagiou os atores”, descreve a biografia.

2. Fama de gay I
Na obra, Fiuza conta que os rumores de que Gianecchini seria gay começaram com uma amante do ator, que era casada, e usou a desculpa para que o marido parasse de rondar o prédio do ator com um revólver.

3. Fama de gay II
Há outra versão que começou no início do namoro com Marília Gabriela, quando Giane ainda era modelo e morava em Paris. Os rumores davam conta de que ele teria um caso com o filho caçula da jornalista, Theodoro, e que, para entrar no triângulo familiar, teve de largar um amante francês.

4. Gianecchini não se perdoa por não ter ficado com Carla Bruni
A ex-primeira dama da França se encantou pelo então modelo num desfile na Suíça, mas ele não aproveitou a oportunidade.

5. Recusou aparecer nu em duas peças de teatro, mas aceitou o desafio no cinema
Sua nudez foi revelada no filme “Entre Lençóis”, ao lado de Paolla Oliveira .

6. Gianecchini quase morreu por conta de erro médico
Ele sofreu uma parada respiratória ao ter uma veia perfurada durante a colocação de um cateter pelo médico Raul Cutait , quando estava internado para tratar do câncer. A mãe do ator diz no livro que ele ficou “desfigurado”.

7. Claudia Raia discutiu a conta do hospital dele
A amiga Claudia Raia discutiu pessoalmente a conta do hospital Sírio-Libanês e disse que o pneumologista não seria pago, já que teria sido chamado apenas para consertar o dano que o erro médico provocara.

8. Encontro com Marília Gabriela era sempre nas luas cheias
No início do namoro com a jornalista, que começou na Copa do Mundo da França, em 1998, eles decidiram que se encontrariam sempre nas luas cheias. Ela pegaria um avião para onde Giane estivesse.

9. Na última noite com Marília Gabriela, um dia antes do ator deixar o apartamento dela em São Paulo, eles arrumaram a mala juntos e dormiram abraçados
A decisão de cada um ir pelo seu caminho foi emocionada, eles choraram na despedida e agradeceram o privilégio da convivência.

10. Aos 34 anos, o ator começou fase festeira e a estreia foi no Carnaval de Salvador, com muita festa, vodca, noites em claro e até mais de duas pessoas na cama.
A fase da balada forte foi interrompida pelo diagnóstico da doença.