Como eu saí do armário: Lucas Mazzei 1

Lucas Mazzei

Lucas Mazzei

Me chamo Lucas Mazzei, tenho 18 anos, sou assistente fiscal, solteiro, moro sozinho na zona sul de São Paulo (SP). A maior zona metropolitana, no maior estado do Brasil. Há quem pense que se assumir em São Paulo é fácil. Mas ao mesmo tempo que ela é bem grande, ela é bem mal vista.

+ Como eu saí do armário: Rafael Zveiter (criador do Entre Nós)

Quando saí do armário? Saí com 15 anos. Minha família sempre foi evangélica, e esse foi meu maior problema. Contei em uma segunda-feira. Havia marcado de contar em um domingo. Mas, como minha mãe sempre frequentou igreja, e aquele domingo iria ser um domingo de “Santa Ceia”, deixei pra segunda. Não conseguia nem mais olhar pra minha mãe, era como mentir, mentir, mentir, e de tanta mentira, ter até vergonha de olhar pra ela. Era uma situação totalmente desagradável.

Como saí do armário? Pensei em duas maneiras de contar, olhando nos olhos ou escrevendo. Como me expresso melhor com um pedaço de papel, optei por ele. Mal sabia eu, que essa seria uma péssima opção. Escrevi, usei ótimas palavras. E como o planejado, em uma segunda-feira lhe entreguei a carta a. Ela foi para o trabalho, eu fiquei em casa. E quando ela chegou do trabalho, às 22hrs, eu estava no PC, então ela olhou para a minha cara e disse: “Eu tomei calmante, amanhã a gente conversa”. Fitou-me por alguns segundos e passou pro quarto.

Jamais irei me esquecer dessa cena. Ao mesmo tempo em que foi engraçada, me deixou com um tremendo medo. Fiquei até com medo de dormir e acordar com um “Circulo de Oração” em volta da minha cama. Mas, acordei com tapas no ombro e um “Acorda que quero falar com você”. Ela falou tudo o que uma mãe religiosa falaria. Que era pecado, que isso não era de Deus, que eu estava errado, dentre outras coisas.

A partir disso, a minha vida se tornou um pequeno inferno. Eu não podia dar um passo que meus irmãos estavam atrás. Meu celular foi capturado pela minha mãe. Só que um detalhe que talvez ela não saiba, e depois disso saberá, é que eu estava namorando naquela época. E, ao entregar o meu celular pra ela, coloquei no famoso modo “OFF LINE”, onde o celular permanece ligado, mas em contrapartida, fica sem sinal – que por sinal, foi um ótimo recurso na época –.

Ela havia passado no pastor dela pra contar isso, contou pra algumas tias, que contaram para outras, e logo a família inteira estava sabendo. Até o pastor dela queria conversar comigo. A filha dele então estava louca para conversar comigo, pelo fato de eu ter vivido minha infância ao lado dela. Aceitei conversar com a filha dele, e pra que não ficassem no meu pé, usei o velho truque do: “Era só uma fase”, “Esse mundo colorido é um inferno, já passou”. Doce ilusão.

Deixei a poeira baixar, terminei meu namoro, porque ele não aguentou a situação e pulou fora. Continuei sendo gay, mesmo com milhares de orações, e pessoas falando que era errado. Mas também tive apoio de pessoas da minha família que jamais pensaria em ter. Meu irmão, um tanto quanto seco, alguns parentes com mais idade, que me surpreenderam. Então foram essas coisas que me deram força durante esse período. E dão ate hoje.

Hoje, moro sozinho, trabalho, me sustento, não prejudico ninguém, estou sempre na minha. Mostrando que um gay também pode ter tudo nessa vida. Que não é uma religião que vai definir caráter. Que nós não escolhemos ser assim, que não acordamos um dia e falamos: “Agora quero sofrer bullying, quero apanhar na escola, ser zoado pelas pessoas, ser motivo de olhares tortos”, e por aí vai.

Escolhemos ser felizes, não importa como. Hoje tenho orgulho do que sou. Não perdi nada, minha vida está ótima e melhorando a cada dia que se passa. Porque acordo todos os dias e penso: “Hoje vou ser e fazer melhor que ontem”.

Um Comentário

  1. Pingback: https://blogentrenos.wordpress.com/ | " F I N I T U D E "

O que você acha disso?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s