Wolverine e Hércules trocam beijo em nova HQ da Marvel 2

Reprodução da HQ alternativa "X-Treme X-Men 10", da Marvel, que mostra a cena de beijo entre os heróis Wolverine e Hércules

Reprodução da HQ alternativa “X-Treme X-Men 10”, da Marvel, que mostra a cena de beijo entre os heróis Wolverine e Hércules

A Marvel lançará uma edição alternativa com um beijo gay de Wolverine e Hércules. A informação foi publicada pelo site de notícias Huffington Post na última terça-feira (26).

Na HQ X-Treme X-Men 10, os dois se per­dem em rea­li­da­des alter­na­ti­vas e terão con­tato com per­so­na­gens em diver­sas épocas e mundos. O beijo acon­tece na Grécia antiga.

A página divul­gada da HQ mos­tra o texto: “Nós fomos os mai­o­res heróis de nos­sos mun­dos. E no dia em que mata­mos o pior mons­tro que ame­a­çou o Domínio do Canadá Nós reve­la­mos nosso amor”. A edi­ção chega às bancas em setembro.

A editora lembra que os personagens Wolverine e Hércules, que se revelam como namorados nesta edição, são versões alternativas dos heróis e pertencem a um outro universo, distinto das histórias regulares da dupla.

A Marvel e a DC Comics têm mos­trado rela­ci­o­na­men­tos gays em seus gibis. A pri­meira retratou o casamento do mutante Estrela Polar na revista Ashtonishing X-Men 51.

Já a DC tem a Batwoman, uma vigi­lante de Gotham City que assumidamente se relaciona com outras mulheres.

Fonte: Folha de São Paulo

Com a turnê ‘Rocket Man’, Elton John faz show recheado de hits em São Paulo 3

Foto: Gabriel Quintão / Virgula

Foto: Gabriel Quintão / Virgula

O premiado cantor, compositor e músico britânico e gay assumidíssimo Elton John, 65, abriu na noite desta quarta-feira (27), em São Paulo, o braço sul-americana da turnê que comemora os 40 anos da faixa Rocket Man (I Think It’s Going To Be a Long, Long Time). Pontualmente às 20h30, o cantor subiu ao palco do Jockey Club ao som de The Bitch is Back, vestindo seu tradicional terno azul decorado com glitter.

A apresentação inaugurou o projeto Open Sounds, que tem como proposta abrigar o público um “teatro a céu aberto”, capaz de acomodar 15 mil pessoas sentadas. “Boa noite, São Paulo! Estou feliz em voltar para esse lindo país, fantástico! Vamos continuar”, cumprimentou a plateia antes de tocar Bennie and the Jets.

Sempre simpático e disposto, Elton exibiu durante duas horas de show seus solos virtuosos, brincou com os presentes e fez declarações de amo ao Brasil. “Essa aqui é para as belas garotas desta noite”, afirmou antes de tocar Tiny Dancer, enquanto os fãs mais empolgados levantavam bexigas amarelas.

Um das faixas mais bem recebidas da noite foi Believe, canção lançada em 1995, e que, segundo o músico, “é sua canção favorita, por falar do ingrediente que move o mundo: o amor”. O show esquentou mesmo com Candle in the Wind, originalmente composta por Elton sobre a vida de Marilyn Monroe, mas que em 1997 foi o tema de despedida sua amiga pessoal Diana, a Princesa de Gales.

Logo na sequência vieram Goodbye Yellow Brick Road e Rocket Man (I Think It’s Going To Be a Long, Long Time), canção que intituda a turnê, lançada em 1972, e que foi inspirada no conto The Illustrated Man, de Ray Bradbury. Em epologação do público abriu espaço para o cantor mostrar a inpedita Hey Ahab, primeiro single de seu 30º álbum, The Diving Board, que chega às lojas em setembro.

O show sguiu com canções como I Guess That’s Why They Call It the BluesSad Songs (Say So Much)Skyline Pigeon, mas o clímax chegou com Crocodile Rock, em que muitos fãs seguravam cartazes com “LA LA LA” e fizeram Elton agradecer mais uma vez os presentes. “Amo vocês, muito obrigado. Que país incrível!”

A escolhida para deixar o palco foi Your Song. “Essa música é para todo o povo brasileiro”, afirmou antes de deixar o palco e um público mais que satisfeito depois de outra grande apresentação do britânico em São Paulo.

Elton John segue em turnê pelo Brasil. O próximo show acontece em Porto Alegre, em 5 de março, no estádio Zequinha; em Brasília, em 8 de março, no Centro Internacional de Convenções; em Belo Horizonte, em 9 de março, no Mineirão; e no Recife, em 10 de março, no Chevrolet Hall.

Com informações de Luciana Rabassallo, do Virgula

Em entrevista, Tuca Andrada chama homofóbicos de ignorantes 2

Para o ator Tuca Andrada, homofobia é ignorância

Para o ator Tuca Andrada, homofobia é ignorância

O ator Tuca Andrada, 48, falou sobre homofobia em entrevista ao portal Virgula.

Questionado sobre o que achou das declarações homofóbicas do pastor Silas Malafaia no programa De Frente com Gabi (SBT), e sobre o que ele pensa a respeito da homofobia, Tuca preferiu não citar o pastor e respondeu:

“A homofobia é um retrocesso e eu não entendo o porquê de se importar que duas pessoas do mesmo sexo se amem? Em que isso afeta um heterossexual? Por que se sentem tão agredidos? Pura ignorância.”