‘É uma invencionice’, diz Gil após declaração de Feliciano sobre Caetano Resposta

Gil em evento nesta quinta-feira, em Salvador (Foto: Naiá Braga/G1)

Gil em evento nesta quinta-feira, em Salvador
(Foto: Naiá Braga/G1)

O cantor baiano e ex-ministro da Cultura, Gilberto Gil, comentou na manhã desta quinta-feira (11), em entrevista ao G1, a declaração do deputado federal Marco Feliciano que circula na internet após uma publicação no Youtube. No vídeo, o político diz, durante um culto evangélico, que o cantor Caetano Veloso recorreu a Mãe Menininha do Gantois, mãe-de-santo mais famosa de Salvador, morta em 1986, para conseguir sucesso com a música ‘Sozinho’. A composição de Peninha foi gravada por Caetano em 1998.

O vídeo não tem uma data divulgada de quando foi gravado. Até por volta das 16h30 desta quinta-feira, a publicação já tinha mais de 196 mil visualizações.

“Eu ouvi ele falando que Caetano quando gravou ‘Sozinho’, foi pedir conselho a Mãe Menininha. É uma invencionice. De onde ele tirou isso?”, comentou Gil durante um evento do qual participou na manhã desta quinta-feira, na capital baiana.

Sobre as polêmicas que envolvem a permanência dele na presidência da Comissão de Direitos Humanos da Câmera dos Deputados, Gilberto Gil preferiu evitar análises. “Eu não vou discutir isso. Ele é político, a indicação é política. Enfim, o partido dele faz parte da base governista. Tem essas injunções todas. Eu não vou entrar no mérito disso. O que está ficando claro é que o consenso maior na comunidade brasileira é de que a presença dele ali é inadequada”, completou o ex-ministro.

Na publicação, Marco Feliciano faz a declaração durante um culto religioso. “Há alguns anos atrás, um sujeito sentado em um banquinho, fazendo um show em uma viola, cantou uma música, cujo nome é ‘Sozinho’ e em uma semana e meia vendeu um milhão de cópias. O pessoal da mídia foi rastrear a música e descobriram que Tim Maia gravou a música e Sandrá [de] Sá também e ninguém canta melhor do que os dois. Voz negra, parafernalha de instrumento. Só que nenhum dos dois vendeu mais do que 30 mil cópias. Aí foram entrevistar o cantor baiano, que era Caetano Veloso e perguntaram ‘Caetano, qual o seu segredo’? Você bateu o Tim, bateu Sandra Sá com um violão só, um milhão de cópias’. Ele fez ‘é simples, meu segredo é Mãe Menininha do Patuá sic[Gantois]’. Como assim Caetano. ‘Antes de mandar a música para a rádio, para o Brasil, eu levo para ela e, ela possuída pelos orixás, diz assim: ‘pode gravar que eu abençôo”, diz Marco Feliciano no vídeo.

Mãe Menininha do Gantois é a ialorixá mais famosa de Salvador. A religiosa dirigiu o terreiro do Gantois em Salvador por 64 anos e morreu em 1986. A mãe-de-santo foi iniciada no Candomblé aos 8 anos de idade.

Fonte: G1

Em novo vídeo, Feliciano diz que Caetano Veloso e Lady Gaga fazem pacto com diabo Resposta

Caetano1

Em um novo vídeo que circula na internet, o deputado federal e pastor Marco Feliciano (PSC-SP) insinua, durante uma de suas pregações, que os cantores Caetano Veloso e Lady Gaga têm pacto com o diabo.

O vídeo está disponível no Youtube. O deputado diz que o cantor Caetano Veloso, quando gravou e fez sucesso com a música “Sozinho”, teria dito que o segredo do sucesso é a mãe de santo, já falecida, Mãe Menininha do Gantois.

– Alguns anos atrás, um cidadão sentado num banquinho, fazendo show com uma viola, cantou uma música chamada “Sozinho” e vendeu, em uma semana e meia, 1 milhão de cópias. Aí perguntaram para Caetano Veloso, qual era o seu segredo. E ele disse: meu segredo é Mãe Menininha do Patuá (sic). Antes de cantar, eu levo para ela que, possuída pelos orixás, diz “pode gravar porque eu abençoo. Não subestime o diabo, porque ele tem poder – diz Feliciano, no vídeo.

O deputado ainda se refere à cantora Lady Gaga.

— O diabo tem uma Lady Gaga que canta e encanta.

Feliciano foi denunciado pelo crime de discriminação pelo procurador-geral da República, Roberto Gurgel, que enviou ao Supremo Tribunal Federal (STF) um ofício pedindo que o plenário da Corte aceite a denúncia. Se os ministros do tribunal concordarem com Gurgel, o inquérito será transformado em ação penal e Feliciano passará a ser réu em mais um processo.

Na terça-feira, após reunião com líderes de partido da Câmara, Feliciano não cedeu e decidiu continuar na presidência da Comissão de Direitos Humanos da Câmara. Segundo o deputado Ivan Valente (PSOL-SP), Feliciano até propôs deixar a presidência da comissão, desde que os petistas João Paulo Cunha (SP) e José Genoíno (SP) deixassem a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ).

Marco Feliciano também é acusado de estelionato, homofobia e racismo por ter postado nas redes sociais comentários considerados ofensivos a homossexuais e negros. Ele nega as acusações.

Feliciano critica John Lennon por se comparar a Jesus

Rio de Janeiro recebe certificado de Boas Práticas em Direitos Humanos para LGBT Resposta

Durante o Seminário Brasil-União Europeia de Combate à Violência Homofóbica, que aconteceu dias 4 e 5 de abril, em Brasília, o Governo do Rio de Janeiro ganhou da União Europeia e da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República o Certificado de Boas Práticas em Políticas Públicas de Direitos Humanos para LGBT, como uma das cinco experiências exitosas para gays, lésbicas, travestis, transexuais e bissexuais do Brasil.

A honraria foi oferecida por conta da atuação no Programa Estadual Rio Sem Homofobia, coordenado pela Superintendência de Direitos Individuais, Coletivos e Difusos, da Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos, no enfrentamento à discriminação por orientação sexual identidade de gênero, no estado.

O Governo do Rio foi premiado pelo conjunto de ações e serviços implementados e oferecidos pelo Rio Sem Homofobia, entre 2010 e 2012, como os quatro Centros de Referência da Cidadania LGBT e o Disque Cidadania LGBT 0800 0234567, que foi destacado pelos representantes europeus.

Dois peritos da União Europeia – um brasileiro e um europeu – foram os responsáveis por avaliar as ações e políticas públicas governamentais voltadas para a promoção dos direitos e da cidadania de LGBTs no Brasil e na União Europeia, durante o segundo semestre de 2012. O objetivo foi comparar as experiências brasileiras e europeias no combate à homofobia e no acolhimento à população LGBT, como forma de aprofundar o diálogo e a cooperação entre os dois governos no enfrentamento à discriminação por orientação sexual e identidade de gênero.

O certificado foi oferecido pela embaixadora Ana Paula Zacarias, chefe da Delegação da União Europeia no Brasil, e pela Ministra de Estado Chefe da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, Maria do Rosário.

Além do Rio de Janeiro, outros quatro estados receberam o certificado por ações em prol do combate à homofobia e promoção dos direitos da população LGBT. Foram eles: Rio Grande do Sul, por conta da Carteira de Nome Social para Travestis e Transexuais; Ceará, por sua Coordenadoria de Diversidade Sexual do Município de Fortaleza; São Paulo, pelo Ambulatório de Saúde para Travestis e Transexual do Estado; e Mato Grosso do Sul, pelo trabalho do Centro de Referência em Direitos Humanos e Combate à Homofobia do Estado.

Ângela Ro Ro relembra que foi espancada por ser lésbica 1

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

 

Em tempos de Daniela Mercury, Joelma, Marco Feliciano o jornal Extra conversou com Ângela Ro Ro (63), primeira cantora a se assumir homossexual.

O que achou da postura da Daniela Mercury?

É uma pessoa maravilhosa, que só nos dá orgulho por conta do seu talento e que se despojou de sua vaidade. Não em prol de fazer fofoca ou buxixo, mas porque é mãe de família, responsável, madura, lúcida e consciente para ir em prol da liberdade dos direitos humanos.

Você passou por maus bocados quando assumiu ser gay?

Sofri espancamento por homofobia. Fui vítima da nossa própria segurança, essa que hoje ilustra as manchetes dos jornais. Eu, infelizmente, tenho sequelas físicas. Me deslocaram a retina do olho direito e me ensurdeceram um ouvido. Quando gritei: “Ai, meu útero”, que me gerou um corte de 13 cm no baixo ventre, ouvi de um policial: “sapatão não tem útero”.

E como é a questão atualmente?

Hoje, encontrei a paz. Estou há 15 anos sem beber e sem fumar, feliz da vida e praticando exercícios. Como queria continuar viva, deixei isso de lado. Porque se tivesse entrado com processo, poderia estar aleijada.

O que dizer da Joelma, que acredita que gays podem ser recuperados, como é feito com drogados?

Não sei quem é. Uma pena, sujou o nome da banda.

Como você vê a questão de como a homofobia está sendo tratada pela Comissão de Direitos Humanos e Minorias?

Diariamente morrem muitas pessoas por homofobia. A lésbica é quase sempre currada, estuprada. E numa hora dessa a Comissão de Direitos Humanos não pode se dar o direito de ficar brincando. Atinge vidas. Esta Comissão está caminhando em direção à tortura, à ditadura, à violência. É de uma leviandade tamanha que corre o risco de ser ativista em prol de um fascismo assassino.

Opinião

Ângela Ro Ro é uma cantora maravilhosa. Lésbica, sim, e daí? Que o Poder Superior lhe dê saúde, para que ela possa continuar encantando todos nós. O fato de ela vir a público dizer que foi espancada só reforça a necessidade de o Congresso aprovar o PLC 122/06, que criminaliza a homofobia.

Uruguai aprova casamento gay Resposta

Uruguay-Gay-Marriage

 

Com apoio de 71 do total de 92 deputados, o Parlamento uruguaio aprovou nesta quarta-feira o casamento entre pessoas do mesmo sexo, fazendo do país o segundo da região a permitir o casamento igualitário, depois da Argentina. Apoiado pelo governo do presidente José Mujica, o chamado Projeto de Casamento Igualitário já havia sido votado pela Câmara dos Deputados em dezembro de 2012, sendo enviado ao Senado, onde passou por modificações e foi aprovado há uma semana. Devolvido e aprovado pelos deputados novamente nesta quarta-feira, o projeto deverá ser sancionado pelo presidente nos próximos dias.

– O símbolo da palavra matrimônio é o que custa entender. A base da sociedade é a família, mas não a família pré-fabricada. A base da família é o amor e o amor não é homossexual nem heterossexual – disse o deputado Fernando Amado, durante a discussão.

O projeto original surgiu a partir de um texto redigido pelo grupo Ovelhas Negras, que promove a discussão sobre direitos dos homossexuais e foi retomado por deputados da Frente Ampla. A lei vigente permitia que casais homossexuais legalizassem sua união, mas sem status de casamento.

– Estamos vivendo um momento histórico. Hoje o Uruguai salda a sua dívida com muitos que ainda sofrem discriminação – disse Federico Graña, um dos líderes das Ovelhas Negras. – Calculamos que os primeiros se casem uns 90 dias depois de promulgada a lei.

Durante a votação, posicionamentos muito divergentes foram debatidos. O deputado nacionalista Gerardo Amarilla manifestou seu voto contrário ao projeto de lei, por entender que ele “desvirtua o matrimônio e a família e fere os direitos das crianças, ao transformá-las em objeto”.

A deputada Bertha Sanseverino, por sua vez, lembrou que, o fato de a lei ter sido votada por membros de todos os partidos garante uma “legitimidade extraordinariamente forte”.

A discussão fixou um prazo de 90 dias para corrigir alguns erros no projeto de lei – tema controverso entre os legisladores. Para alguns, a legislação voltou pior depois de ser modificada pelo Senado.

– Entre a forma e o conteúdo, vou votar pelo conteúdo – afirmou Álvaro Delgado.

Sessão começa com polêmica

O projeto do casamento igualitário reforma a legislação de 1885 e substitui as palavras marido e mulher por cônjuge ou contratante, tornando a questão do sexo irrelevante para vários dilemas legais que os casais enfrentam: a ordem dos sobrenomes, benefícios sociais, questões tributárias, herança e adoção. As principais mudanças da lei atual tratam de igualar os direitos dos cônjuges. A idade de casamento, que era de 12 anos para as mulheres e 14 para os homens, passa a ser de 16 para ambos.

A sessão na Câmara de Deputados começou com polêmica por causa de uma bandeira com as cores do movimento gay, colocada na janela do edifício anexo em Montevidéu. O deputado Jaime Trobo protestou contra a bandeira do movimento gay e disse que o objeto não tem nada a ver com os símbolos nacionais e significam “uma falta de respeito à pluralidade e uma aberração moral sobre os legisladores”.

O coordenador da Frente Ampla, Roque Arregui, rebateu e disse que não existe nenhuma regulamentação sobre o que se pode colocar ou não no edifício. Outros deputados afirmaram que a discussão desviava o foco principal da sessão.

Fonte: O Globo