Aguinaldo Silva engana André Fischer em entrevista Resposta

O novelista Aguinaldo Siva concedeu entrevista ao jornalista André Fischer para a revista “Junior” de fevereiro. Na entrevista, Aguinaldo defende o personagem gay, efeminado e constantemente humilhado Crô.


Aguinaldo Silva acusa o Departamento de Justiça, Classificação, Títulos e Qualificação do Ministério da Justiça (o responsável pela classificação indicativa de material audiovisual – como filmes, programas de televisão e jogos eletrônicos – de acordo com o conteúdo e a idade), por vetar o beijo gay na TV.
Acontece que em 2010, o diretor do departamento,  Davi Pires, afirmou que a manifestação de afeto entre pessoas do mesmo sexo é classificada pela pasta da mesma forma que uma demonstração de afeto heterossexual, ou seja, a classificação é livre e pode passar em qualquer horário. Aliás, isso já aconteceu, no programa “Beija Sapo” (MTV) e na novela “Amor e Revolução” (SBT, que liberou o beijo lésbico e vetou o beijo gay). Ou Aguinaldo está mal informado ou enganou André Fischer direitinho.

Leia também: Rede Globo explica em carta por quê não exibe beijo gay

Veja alguns trechos da entrevista:


Crô

Há muito tempo coloco personagens gays nas minhas novelas e descobri que existe um preconceito grande contra os homossexuais efeminados, e esse preconceito é maior entre os homossexuais, principalmente os efeminados! Eu decidi mostrar a essa gente que não é um estereótipo, o homossexual efeminados existe e é assim. E decidi fazer um personagem que fosse amado pelo Brasil inteiro. Foi cientificamente planejado por mim.”

“Tem muito gay que faz críticas fortes, querem tirar satisfações. Esses dias estava caminhando na praia às dez e meia e veio um ativista que me agrediu verbalmente, quase fisicamente, me acompanhando de bicicleta, me perturbando, dizendo que eu estava envergonhando a classe. Mas que classe?”

Escolha de um ator heterossexual para interpretar um gay

“Sim (foi proposital). Se fosse um gay ele faria um gay previsível. Um ator gay, quando faz um gay, liga uma chave que não consegue desligar. O Crô é o Pica-pau. É por isso que as crianças adoram o Crô. Elas não enxergam um homossexual, mas um personagem de desenho animado. Todo gestual dele é afetadíssimo como de todo desenho animado. Ninguém é mais aveadado que o Pernalonga.”

Beijo gay

“Essa história de beijo gay em novela, dá pra faze um paralelo como o desastre do navio que adernou na Itália. As imagens são fortes, mas ninguém desligou a televisão nem morreu por causa do que viu. Eu acho que por mais chocante que pareça a coisa na hora, ninguém vai trocar de canal, ninguém vai virar veado por causa disso. As pessoas vão ficar fascinadas com uma coisa que nunca viram. E no dia seguinte acabou, passou.”

“Quem vai se incomodar com isso e não deixa acontecer? Não vamos ser hipócritas, no Brasil tem censura. Em Brasília. Temos um departamento que classifica os programas por faixa etária. Se a novela das nove passar um beijo gay, eles vão automaticamente passar ela para às onze.”

“Não incluiria um beijo gay em minha novela porque não deixariam ir ao ar. Mas não é porque o povo não quer, porque a emissora não quer. É porque Brasília controla o que pode ou não ir ao ar. Se mudarem o horário da novela vai ser um prejuízo pavoroso.”

Eu já escrevi (uma cena de beijo gay) em ‘Duas Caras’, mas que não foi ao ar. A emissora disse que não exibiria. Se mudarem a classificação etária de 12 (quando o programa pode começar a partir das 20h), para 14 anos (quando o programa pode começas a partir das 21h), muda tudo. Todo o resto é secundário. Se o povo vai gostar ou não, só vamos saber depois.”