Apple inclui ícones de casais gays a sistema do iPhone Resposta

A Apple introduziu no ainda não lançado sistema iOS 6 emoticons – ícones para mensagens instantâneas – com representações de dois casais homoafetivos, um formado por gays e outro formado por lésbicas.


Os emoticons, ou emojis, como também são chamadas as imagens para inserção em mensagens de texto ou e-mails, dividem espaço com casais heterossexuais e símbolos como mãos gesticulando.


Ao contrário do casal heterossexual, os casais homossexuais não têm boca ou nariz – o que pode ser devido à fase de desenvolvimento do sistema, que ainda passa por testes.


A sexta versão do iOS, sistema usado por iPhone, iPad e iPod touch, foi anunciada nesta segunda (11) e deve ser lançada no segundo semestre.
Uma versão de testes foi disponibilizada pela Apple a seus desenvolvedores
cadastrados.

Por padrão, o novo iOS não exibe os emoticons. É necessário adicioná-los como um outro layout de teclado nas configurações do sistema.

Iphone ganha primeiro jogo com super-herói gay Resposta

A Klicrainbow acaba de anunciar o jogo SuperGay & the Attack of his Ex-Girlfriends , que segundo a produtora, é o primeiro jogo com um super-herói gay para iPhone, iPad e iPod. O lançamento coincide com o Dia Internacional do Orgulho Gay.

O jogo, que apresenta gráficos estilizados que lembram muito as histórias em quadrinhos, conta com 32 níveis no melhor estilo plataforma. Mesmo tendo um estilo definido, SuperGayalterna bem entre fases de ação, dança e puzzles.

OO jogador controla o franzino Dr. Tom Palmer, que trabalha em um laboratório com o sogro, o Dr. Arnold Himmer e Ilsa Himmler, sua amada noiva. Tom descobre algumas falcatruas, e infeliz com sua vida, resolve lutar contra sua família. Depois de um experiência mal sucedida, o herói acaba ganhando uma incrível força e poderes como o Gay Power e o Rainbow Ray.

*Com informações do Jornal do Brasil

Apple retira aplicativo que prometia a ¨cura¨ dos homossexuais Resposta

A empresa Apple retirou da loja digital iTunes e do iPhone, o aplicativo que prometia a cura dos homossexuais. Depois de uma petição online que conseguiu cerca de 150 mil assinaturas, o aplicativo criado pela organização Exodus International foi, finalmente, retirado. 

O aplicativo prometia a ¨cura¨ dos homossexuais, e causou um problema mundial com as afirmações anti-homossexuais. Mesmo tendo sido lançado desde od ia 15 de fevereiro, apenas na última semana a polêmica veio à público. 
A empresa Exodus International se auto denomina como ¨o maior ministério do mundo para os que lutam contra a atração não desejada pelo mesmo sexo¨ e tem atraído uma grande atenção de ativistas pelos direitos dos gays e do público em geral depois que esse aplicativo autorizado pela Apple, denominado como ¨algo criado para incentivar, educar e equipar o corpo de Cristo, para abordar a questão da homossexualidade com graça e verdade¨, foi classificado como um conteúdo censurável. 
Um porta-voz da Apple confirmou a remoção do aplicativo Exodus International, por motivo de ¨violação das diretrizes criadores por ser ofensivo para grandes grupos de pessoas¨. 
Já era hora.

100 mil ativistas gays protestam contra aplicativo que promete a ¨cura dos homossexuais¨. Apple não toma providência Resposta

Mais de 100.000 pessoas já assinaram uma petição online pedindo para que a empresa Apple remova do iTunes, um aplicativo criado por uma organização cristã anti-gay. 

A organização Exodus International, que segundo o próprio site tem ministérios que ¨prestam apoio às pessoas que querem se recuperar de homossexualidade¨, lançou o aplicativo no dia 15 de fevereiro. 
O aplicativo tem boa classificação de aprovação da App Store da Apple, o que indica que a empresa (Apple) aprova o aplicativo conhecido como ¨cura dos gays¨ como um material que não tem nada de censurável. 
Não dividem da mesma opinião, os ativistas dos direitos gays. 
Em uma petição online (Change.com) criada sem fins lucrativos, os ativistas em defesa aos direitos LGBT’s dizem que discordam que o aplicativo não seja censurável. Segundo eles, a mensagem que a empresa Êxodus é odiosa e intolerante, quando oferecem a cura da homossexualidade através do poder de Jesus Cristo, e usam a desinformação, os estereótipos e as distorções da vida LGBT para recrutar clientes.
O aplicativo é como uma versão portátil do site da Exodus International. Tem um calendário de eventos, notícias, links para sites de mídia social e vídeos. Esses itens, como recursos correspondentes de seu site, refletem em mensagens anti-gays, em particular, a crença que a empresa tem de que alguém possa ser aconselhada para viver longe da homossexualidade. 
A organização disse em um blog, que pretende ampliar seu alcance com o aplicativo. 
Mesmo depois de 100 mil assinaturas na petição online exigindo a remoção do aplicativo e inúmeras queixas e avaliações negativas na própria página de download, a Apple ainda não tomou nenhuma providência em relação ao caso. Não é o qie aconteceu, por exemplo, com uma situação semelhante no ano passado, quando a Apple cancelou um aplicativo anti-gay criado por um grupo cristão, depois de receber uma petição com sete mil assinaturas pedindo a remoção. Na época, a Apple disse em um comunicado que eles removeram o aplicativo porque existia uma violação das orientações do criador
A Apple reagiu de maneira diferente a uma situação semelhante no ano passado. De acordo com a Pink News, a companhia fechou um aplicativo anti-gay criado por um grupo cristão depois de um mero 7.000 pessoas assinaram uma petição pedindo a remoção. 
Na época, a Apple disse em um comunicado que eles tinham removido o aplicativo porque o criador violava algumas orientações, classificando-o como ofensivo contra grandes grupos de pessoas.

Aplicativo do iPhone que promete a ¨cura¨ dos homossexuais foi aprovado pela Apple 1

Aplicativo do iPhone promete a cura da homossexualidade
Um grupo anti-homossexuais está comemorando o fato de a empresa Apple ter aprovado um aplicativo chamado ¨Gay Cure¨ (cura gay, em tradução livre) na loja virtual iTunes, e ainda classificado o conteúdo permitido para idades a partir de 4 anos. 

O aplicativo da empresa Exodus International é descrito no iTunes como o fornecimento de ¨acesso a notícias atuais, informações e recursos da empresa¨. O que parece algo super inofensivo, muda de figura quando as pessoas descobrem que a tal organização é um pouco mais do que um grupo de culto que discute as ¨sexualidades não desejadas¨. Eles alegam que são capazes de usar uma ¨terapia reparadora¨ para livrar os homossexuais de seus desejos.

Além do fato de que o ex-presidente da Exodus Internacional, John Paulk, teria sido fotografado uma vez em uma área gay de Washington DC, nos Estaods Unidos, e que as intenções do grupo são visivelmente ofensivas, o aplicativo arrumou uma forma de levar o dinheiro dos seus seguidores através de uma maneira que as pessoas têm para fazerem doações à causa, além da página no facebook. 
Mesmo que, inacreditavelmente, o aplicativo recebeu uma recomendação para idades acima de 4 anos, o retorno dos usuários não é tão favorável assim. Críticas contra o ¨Gay Cure¨ surgiram das mais diversas opiniões. Um revisor disse que ¨esta é uma iniciativa baseada no ódio da direita religiosa fanática que pretende fazer uma lavagem cerebral e emocional e destruir as pessoas gays e lésbicas coagindo-as a odiarem a si mesmos com base em sua orientação sexual natural … Estou indignado e decepcionado que a Apple permitiu este grupo de ódio para operar no iPhone¨. 
A empresa Exodus teve alguns escândalos ligados à sua controversa organização, incluindo alegações de abuso, seqüestro, e mandatos de execução conta os homossexuais (o que eles negam). .