John Travolta é processado por homem que alega encontros gays Resposta

John Travolta
Um homem de Los Angeles que escreveu um livro sobre seu suposto relacionamento homoafetivo com John Travolta entrou com um processo por difamação contra o ator e seu advogado. Robert Randolph alegou que Travolta e seu advogado Martin Singer espalharam declarações falsas sobre sua saúde mental em 2010, em uma tentativa de dissuadir o público de comprar o livro.

O advogado de Randolph está buscando danos não especificados na ação legal registrada na Corte Superior de Los Angeles.
Singer chamou o processo de Randolph de “absurdo”, dizendo que era baseado em uma carta privada ao editor de um blog de fofocas e era “completamente privilegiado pela lei”. “Nós pretendemos processar os advogados por acusação maliciosa após a corte ter prontamente dispensado este processo sem fundamento”, disse o representante legal de Travolta em um comunicado.
O livro de Randolph, “You’ll Never Spa in This Town Again”, foi finalmente publicado em fevereiro de 2012, três meses antes de dois massagistas não identificados entrarem com processos por assédio sexual contra Travolta, a estrela de “Grease” e “Embalos de Um Sábado à Noite”.
O porta-voz do ator chamou as acusações de “completas ficções” e ambos os acusadores abandonaram rapidamente as ações legais em maio, após dúvidas serem lançadas sobre os detalhes dos supostos encontros. Travolta é casado com a atriz Kelly Preston desde 1991.

*Com informações da Reuters

Daniel Radcliffe diz ser lisonjeante saber que um gay tem uma ¨queda¨ por ele Resposta

Daniel Radcliffe por muitos anos vem sendo questionado sobre a sua sexualidade. Em uma recente entrevista, ele nega mais uma vez os boatos e mostra para os jovens de sua geração como devem reir quando passam a ser desejados por homens ou quando rumores sobre homossexualidade vêm à tona.

Na entrevista, o jovem ator que é um grande ativista da causa LGBT, brincou e disse que enfrenta rumores sobre ser homossexual desde o início de sua carreira:
– Os jornais diziam que eu tinha uma cara de gay, seja lá o que isso quer dizer, ou uma voz de gay, mas não era verdade. Eu tinha que rir quando as histórias surgiram questionando se eu era gay. Obviamente eu sabia que não era, mas as pessoas eram curiosamente desesperadas para sugerir que eu era. Agora eu tenho uma namorada e eu suponho que, finalmente, todos acreditam em mim. 
E completa:
– Mas quando você conhece um cara gay que tem uma queda por você, é a coisa mais lisonjeante. 
É ou não é para se apaixonar??

Reynaldo Gianecchini: “Eu não tenho aids” Resposta

Reynaldo Gianecchini abre o seu coração em entrevista (foto J.R. Duran)

Em entrevista à repórter Ruth de Aquino, da revista Época, o ex-modelo e ator Reynaldo Gianecchini falou abertamente sobre o seu tratamento contra um câncer, a sua vida, inclusive sobre a sua orientação sexual, sobre o ex-administrador, que disse ter recebido dele um apartamento e sobre os boatos de que ele seria soropositivo. 

De maneira franca e honesta, o ator disse que nunca transou com um homem, mas que sedução é outra coisa, deixando no ar uma dúvida: será ele um sedutor de homens? Gianecchini também respondeu sobre os boatos de que ele seria soropositivo, sem mostrar o exame, ele é taxativo: eu não tenho aids. Confira abaixo, trechos da entrevista:


ÉPOCA – Como surgiu a história de que você seria HIV positivo?


Gianecchini – Foi quando procurei o infectologista por causa da dor na garganta e dos gânglios. Logo se espalhou o boato: o cara tem HIV. Nunca desmenti nada. Porque eu ficaria eternamente nesse jogo. Mas agora acho melhor falar, até por respeito às pessoas que gostam de mim e nem comentam comigo. Eu não poderia jamais fazer o tratamento agressivo que fiz se tivesse aids. Primeiro chequei todos os vírus, todas as bactérias, para depois chegar ao câncer. Por isso posso dizer com toda a alegria do meu coração para quem se preocupa realmente comigo: “Eu não tenho aids”. Poderia mostrar um exame aqui, mas não é o caso. Já fui invadido com tantas mentiras absolutamente infundadas. Fui dado como morto. Alguém resolveu soltar essa notícia – e chegou às redações.

ÉPOCA – Foi o que aconteceu também com a história de seu ex-empresário, que disse ter recebido de presente um apartamento seu?

Gianecchini – Outro caso tratado de forma muito leviana. Essa é uma história que tem muitos desdobramentos, que envolve dinheiro, bens e contas. Ele não era meu empresário. Era uma espécie de administrador. Administrava toda a minha vida profissional e até minha casa. Como eu estava sempre viajando, precisava de alguém assim. É uma história que vai levar dez anos na Justiça. Eu o estou processando, porque tem muito dinheiro meu de que ele precisa prestar conta. Não é uma questão amorosa, definitivamente, que está em jogo. Não é uma questão homossexual. Fui ameaçado no meu patrimônio maior, a minha imagem. Mas é uma questão de trabalho, e precisa ser comprovado por A mais B onde foi parar meu dinheiro.

ÉPOCA – Você se considera hétero ou bissexual?


Gianecchini – Penso que essa questão da sexualidade é muito mais complexa do que as pessoas tendem a achar. Cada um tem sua sexualidade. Nunca tive uma história com um homem, nunca fui casado com um homem, nunca tive um romance com um homem. Mas a sexualidade, ou a sedução, é outra coisa. A gente é sexual no dia a dia sem transar. Conheço amigos que seduzem homem, mulher, seduzem a porta. A gente é mais sensual nos trópicos. Mas essas coisas são muito íntimas e, no meu caso, sou tão discreto que, se a história está publicada numa revista como fofoca, pode ter certeza de que é mentira.

Aos 63 anos, Marco Nanini sai do armário Resposta


Marco Nanini, considerado por muitos o maior ator da atualidade, fala pela primeira vez sobre sua homossexualidade à revista ‘Bravo’, que está nas bancas. Ele revela que leva uma vida tranquila, mas não solitária. “Moro em uma casa, com três cachorros. Às vezes, pintam umas namoradas, uns namorados. Namoradas, não. Namorados. Mas, se não pintam, sem problemas. Já vivi o que necessitava viver nessa seara”, revela o ator de 63 anos. Na entrevista, Nanini diz também que seu envolvimento com os personagens vai além da dramaturgia.“Fiz um personagem no teatro que fumava. No fim da temporada, já me considerava fumante”.

Com informações da revista Bravo e do jornal O Dia

Reynaldo Gianecchini não se importa em acharem que ele é gay Resposta

Garoto propaganda do Pintos Shopping


No ar como o vilão Fred, na novela “Passione” (Globo), de Silvio de Abreu, Reynaldo Gianecchini soltou o verbo em entrevista a revista “Quem” (Ed. Globo) que chega às bancas de todo o Brasil nesta quarta-feira (15). Ele respondeu perguntas dos leitores.



Sobre o duplo sentido da propagando que o galã fez para o “Pinto Shopping”, em Teresina (PI), o ator diz que deu gargalhadas quando caiu na real. Ele não havia percebido o duplo sentido do slogan” Pintos Shopping, tudo o que você mais gosta no lugar que sempre quis”.

Um leitora perguntou como ele “reage ou lida com os comentários de que é gay”? Gianecchini diz que procura não ler certas coisas que considera deprimentes. Mas que, quando chegam a ele essas informações, ele desenvolveu um mecanismo de não se estressar. “Meu lema é esse: não deixar que isso interfira na minha vida, não me estressar com isso”.

Sobre a repercussão da campanha que fez para o Pintos Shopping, Reynaldo diz que ficou impressionado como, “hoje em dia, com o Twitter, qualquer coisa toma uma proporção gigante”. Mas garante que foi o primeiro a rir com tudo isso. “Quando fiz essa campanha, nunca tinha visto a possibilidade de duplo sentido da piada, garante.

Estar solteiro é “uma opção” na vida do ator. “Estive sempre namorando ou casado”. “Estou qurendo realmente curtir o que está rolando.” “Estou solteiro feliz”.

Sobre ser papai, o galã afirma que é um “ótimo tio” dos filhos dos seus amigos”. E diz que, talvez, venha a se “dedicar a um serzinho” no futuro.

O galã afirmou que não se acha um exemplo de beleza e que pretende raspar a cabeça quando a novela acabar.