Juiz de Ribeirão Preto manda namorados homossexuais se casarem em outra cidade Resposta

Manoel e David só podem se casar em outra cidade

Na contramão da Justiça, que vem acompanhando as mudanças da sociedade, o juiz da 7ª Vara Cível de Ribeirão Preto, negou um pedido de casamento gay e sugeriu que o casal de namorados procurasse outra cidade para se casar. 

O português Manoel Ferreira, 38 anos, e o brasileiro David Andrade, 26 anos, viviam em Portugal há 5 anos e se mudaram para o Brasil, para oficializar a união. Sobre a absurda proposta do juiz, para que eles se casem em outra cidade, Manoel diz o seguinte: “Eu não vou fazer isso, vim para o Brasil para casar em Ribeirão”.
O casal entrou com o pedido de casamento no início do mês no 1° Cartório de Ribeirão Preto. Porém, na última sexta-feira (23) receberam a notícia de que o pedido havia sido negado pelo juiz. Ele alegou que o casal não comprovou de fato a constituição de uma entidade familiar. Manoel e David procuraram ajuda da ONG Arco-Íris.
O presidente da organização, Fábio de Jesus Silva, considera o caso homofóbico. “Esta é uma decisão homofóbica. Acredito que o erro começa nos cartórios. Os funcionários não são preparados para atender casais homossexuais e passam a responsabilidade para o juiz”, afirma Fábio.

Engraçado que a sugestão do juiz, para que os dois se casem em outra cidade, vai contra a sua própria decisão, demonstrando claramente que não há outra justificativa para negar o casamento, além da homofobia. Se o juiz Thomaz estivesse convicto de que o casal não comprovou de fato a constituição de uma família, não iria sugerir que os namorados se casassem em outra cidade.