Semana da Diversidade tem início nesta terça-feira em Florianópolis Resposta


Iniciam nesta terça-feira (4) as atividades da Semana da Diversidade de Florianópolis. Na programação estão previstos apresentações artísticas, entrega de prêmios, debates sobre adoção por casais homossexuais e o tema ‘gênero’, uma feira cultural e jogos. Durante os seis dias de evento, a instituição organizadora recolherá assinaturas para apresentação, ao Congresso Nacional, de um projeto de lei para criação do Estatuto da Diversidade Sexual.

 

O objetivo da proposta é assegurar direitos à população LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais) e criminalizar a homofobia. Ao final da Semana, no domingo (9), será realizada a 7ª Parada da Diversidade, na avenida Beira-Mar Norte. A marcha, que terá como tema ‘Amar é um direito de todos’, inicia às 14ho e contará com a apresentação de shows.

 

De acordo com a Associação dos Empreendedores GLBTS de Santa Catarina, instituição não-governamental e sem fins lucrativos organizadora do evento, Florianópolis é uma cidade receptiva ao público GLBT e conta com lei que criminaliza a homofobia. Ainda segundo a Associação, o evento é atrativo para turistas de várias regiões do Brasil e movimenta a economia de Florianópolis.

 

Para mais informações sobre a Semana, acesse o site da Diversidade de Floripa.

 

Confira abaixo a programação da Semana da Diversidade:

 


Terça-feira – 4 de setembro

20h – Teatro da União Beneficente Recreativa Operária (UBRO) – Abertura oficial do evento com entrega de prêmios para personalidades e empresas apoiadoras da Semana, além de apresentações artísticas.

 


Quarta-feira – 5 de setembro

20h – Teatro da UBRO – Debate sobre o tema ‘família’ e apresentação artística. Presença de casais homossexuais que participaram de processo de adoção, psicóloga e comissão da diversidade sexual da OAB-SC.

 

Quinta-feira – 6 de setembro

20h – Teatro da UBRO – Debate sobre o tema ‘gênero’, com a presença de Júh Asth e Maitê Schneider, transexuais masculino e feminino com grande expressão na mídia, ADEH (Associação para Defesa dos Direitos Humanos com enfoque na sexualidade), psicóloga e advogada. Também haverá apresentação artística.

 

Sexta – 7 de setembro

14h às 21h – Praça Portugal (trapiche da avenida Beira Mar) – Feira Cultural da Diversidade com exposições e manifestações artísticas, música e praça de alimentação. A intenção da feira é reunir as pessoas no espaço público para um momento de lazer, descontração e cultura.

 

Sábado – 8 de setembro

9h às 18h – CEFID/UDESC – Jogos da diversidade, com objetivo de reunir atletas não profissionais para competir entre si em diversas modalidades.

 

Domingo – 9 de setembro

14h – Avenida Beira Mar Norte – Parada da Diversidade

Miss Paraíba Gay 2012 tem cinco candidatas nesta terça; veja atrações Resposta

Lydia Rangel, a Miss Paraíba Gay 2011, veste trajes
típicos em desfile (Foto: Divulgação


Cinco candidatas vão concorrer ao título de Miss Paraíba Gay 2012 em um evento na noite desta terça-feira (19) no Theatro Santa Roza, em João Pessoa. A festa começa às 20h e, além dos desfiles das candidatas em trajes típicos e de noite, a noite terá sete shows.


O concurso é dividido em dois momentos. No primeiro, as candidatas vão desfilar em trajes típicos. Em seguida, vão exibir os trajes de noite. As concorrentes da noite estão representando as cidades de João Pessoa, Campina Grande, Guarabira, Mari e Itabaiana.
Segundo a organização do evento, a noite terá shows das melhores drag queens da noite paraibana: Perlla Rachely, Ashley Hunter, Isabela D-Pack, Victoria D-Pack, Yasmin Casiragui, Waleska Casiragui e Layse Killary. Quem também já confirmou presença no evento desta terça foi a atual Miss Mundo Paraíba, Laryssa Almeida.


A grande vencedora da noite vai ser escolhida por 11 jurados. A campeã vai representar a Paraíba no Miss Brasil Gay 2013, em Juiz de Fora, Minas Gerais. O público também pode opinar através do site do evento, onde acontence uma votação que vai eleger a Miss Internet.
Depois da competição da noite desta terça, ainda será promovido um baile de coroação em julho, onde a vencedora vai ser oficialmente entitulada Miss Paraíba Gay 2012. O evento contará com a presença da atual Miss Brasil Gay, Raika Bittencourtt, e do atual Mister Paraíba Diversidade, Darwin Leles.


De acordo com o organizador do concurso, Hermanny Cruz, a previsão era que houvesse dez candidatas concorrendo na edição deste ano, mas, devido a um boato de que o concurso seria cancelado, algumas atrasaram a inscrição. Na verdade, o que foi cancelado foi a etapa nacional do concurso, que aconteceria em agosto, devido a falta de patrocínio.


Os ingressos para quem quiser acompanhar o evento podem ser adquiridos no Theatro Santa Roza ou no Ed. Nações Unidas, na Rua Padre Meira, no Centro de João Pessoa pelos preços de R$ 40 (inteira) e R$ 20 (estudante).


Serviço

Miss Paraíba Gay 2012
Quando: 19 de junho

Hora: 20h

Onde: Teatro Santa Roza, em João Pessoa

Ingressos: R$ 40 (inteira) R$ 20 (estudante) no Theatro Santa Roza ou no Sindicato dos Artistas, na Rua Padre Meira, 63, sala 204, no Centro de João Pessoa

Mais informações: (83) 8868 4575

Ativista pede ação do Ministério Público contra homofobia na internet Resposta

Ativistas reagiram ao tomar conhecimento de páginas na internet que incitam à prática de violência sexual e de homofobia. Entre as manifestações questionadas, estão uma campanha que pede a morte do deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ) e um blogue que defende “penetração corretiva de lésbicas”.

A Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT) recorreu à Polícia Federal e ao Ministério Público Federal (MPF). A demanda, assinada por Toni Reis, presidente da organização, é por investigação e providências para que o blogue e as páginas sejam retirados do ar e para que os autores respondam pelos atos criminosos.

O blogue Silvio Koerich, fora do ar nesta quinta-feira (29), apresentava recomendações para se estuprar lésbicas com o intuito de supostamente “corrigir” sua orientação sexual. A “receita” inclui uso de “toca ninja”, luva, lenço e éter. E sugere que, se a vítima for conhecida pelo agressor, seria recomendável usar preservativo para evitar identificação.

Em outros textos, o mesmo blogue defendia que gays fossem enterrados vivos e incluía manifestações racistas, afirmando que os negros são uma “raça inferior” à dos brancos.



A Polícia Federal afirmou, por meio do Grupo de Combate aos Crimes de Ódio e Pornografia Infantil, ser impossibilitada de avançar nas investigações. Por se tratar de apologia a crime, com pena de detenção, e não infração mais grave, não há meios para se obter a identidade do dono do domínio. Além disso, por ter final “.com”, registrado nos Estados Unidos, a apuração seria ainda mais difícil.

A campanha pela morte de Jean Wyllys tem um perfil no Twitter. Criado no último dia 23, há atualizações apenas até segunda-feira (26), com ataques a homossexuais e a defensores de direitos humanos. Homossexual assumido, o parlamentar é coordenador da frente parlamentar mista de diversidade e tem posição central na discussão do projeto de lei que criminaliza a homofobia.


Reportagem: Brasil Atual

Jornal britânico ¨The Guardian¨ mostra os motivos de o Rio se tornar a possível capital mundial do turismo gay Resposta

O diário britânico ¨The Guardian¨ fez uma reportagem apontando os avanços da comunidade LGBT no Rio de Janeiro, devido principalmente ao apoio que o governo do estado vem dando para acabar com a intolerância. 

O texto do correspondente Tom Phillips começa descrevendo a semana de moda do Rio (Fashion Rio), e cita a modelo brasileira transexual Lea T., que desfilou de biquini pela primeira vez no desfile primavera-verão e participou da celebração de abertura da Semana da Diversidade do Rio de Janeiro. Lea simplesmente chegou ao microfone e disse em um bom e delicado tom ¨ Meu nome é Lea e eu sou uma transexual¨, momento seguido por muitos aplausos que vinham de uma platéia formada por artistas, atletas, imprensa e celebridades de todos os níveis. 

O artigo cita as iniciativas tomadas pelo governo e prefeitura do Rio, como cursos de formação profissional para travestis, projetos de anti-bullying voltados para estudantes e uma nova legislação que proíbe a discriminação em casas noturnas. O prefeito Eduardo Paes disse que ¨o Rio é uma cidade sem preconceito que aceita todos de coração aberto¨. Em fevereiro deste ano, Paes criou uma secretaria que trata da diversidade e que é dirigida pelo estilista Carlos Tufvesson. 

Carlos, segundo o artigo, diz que o Rio não é apenas o destino mais sexy da Terra, mas também ¨um lugar onde a tolerância é natural. De acordo com o texto, essa atitude tomada pelo governo do Rio é algo que movimenta, principalmente, o turismo. No ano passado, 25% dos turistas que visitavam a cidade eram gays, o que motivou algumas empresas turísticas a colocarem fotos de homens musculosos nos seus folhetos convidando os turistas a ¨viverem a sensação do Rio¨. 

Para Tufvesson, qualquer pessoa que queira ganhar dinheiro na cidade basta abrir um negócio voltado para os gays: 

– Há uma grande demanda para este mercado ainda. O Rio agora faz parte do calendário gay.

Phillips cita em seu artigo que em 2007, Buenos Aires foi responsável pelo primeiro hotel de luxo gay da América Latina, mas Carlos Tufvesson explica que os cariocas não precisam de lugares voltados para os gays, já que as pessoas podem se beijar em qualquer lugar, é lei, e caso contrário, ¨vamos lá fechá-los(os estabelecimentos que discriminam homossexuais). Nossas leis municipais são fortes.¨ 

Ainda nomes como o de Silas Malafaia e o fato ocorrido com Myrian Rios, ambos opositores da democracia e do respeito, são citados no artigo, que lembra o caso lastimável do pastor evangélico que espalhou pela cidade no ano passado cerca de 600 outdoors com a frase ¨Em defesa da família e da preservação da raça humana: Deus fez homens e mulheres.¨ 

O governo sem dúvida nenhuma está fazendo a sua parte, cabe agora a população abraçar a idéia e ver qye todos nós temos e merecemos os direitos iguais, o respeito. Na minha visão, ainda está longe de o Rio ser a capital gay do mundo, até porque a cidade não se resume à zona sul. Ainda existem crimes de homofobia, gente que desrespeita os gays e tudo o que nós já sabemos. Mas o governo deu os primeiros passos para educar as pessoas, agora só falta essas pessoas seguirem esses passos.

Prefeitura de São Paulo lança campanha contra a homofobia Resposta

A Secretaria Municipal de Participação e Parceria de São Paulo, lançou a campanha “São Paulo conta a homofobia”.


Inspirada no projeto que criou o laço vermelho utilizado na luta contra a Aids, o órgão criou um selo com uma fitinha com as cores da bandeira do arco-íris. A mesma fitinha é usada em várias campanhas diferentes, com cores diferentes. Um dos significados da fita da campanha contra a homofobia é a tolerância.

São Paulo instrui servidores sobre diversidade sexual Resposta

A Coordenação de Políticas para a Diversidade Sexual do Estado de São Paulo, em parceria com a Secretaria de Gestão, promoveu entre os dias 2 e 9 de dezembro uma série de videoconferências com temas ligados à diversidade sexual e a promoção dos direitos da população de lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros (LGBT).

Estiveram presentes 750 pessoas (jornalistas, escritores, pedagogos, médicos e advogados).

Dimitri Sales, coordenador de Políticas para a Diversidade Sexual do Estado de São Paulo se disse “satisfeito com o debate a com a participação das pessoas”. Ele disse que o plano estadual está sendo cumprido: “Estamos ampliando, por meios de iniciativas vitoriosas como essa, a nossa força mobilizadora para a promoção dos nossos direitos junto aos servidores públicos e revelando cada vez mais o compromisso do governo do estado com a promoção da cidadania LGBT”.

A videoconferência é parte do projeto “A Conquista da Cidadania LGBT: a Política da Diversidade Sexual em São Paulo”. Por meio da internet, foi possível, segundo os organizadores, capacitar os servidores públicos do estado de São Paulo, conforme determina o Plano Estadual, que define ações e metas a serem desenvolvidas por 11 secretarias do governo paulista no biênio 2010-2011.

Um vídeo será produzido e distribuído gratuitamente para órgão públicos e entidades da sociedade civil. Estarão disponíveis para acesso gratuito e download no site do órgão (clique aqui e conheça o site da secretaria de Justiça e da Defesa da Cidadania). A intenção é ampliar o acesso de servidores públicos estaduais e sociedade civil em geral aos debates promovidos, bem como oferecer um importante instrumento para novas capacitações.

Não é de hoje que o estado de São Paulo, assim como alguns outros, vem contribuindo para a inclusão social dos LGBT. Uma bela iniciativa. Agora, a Justiça precisa punir exemplarmente, pessoas que cometem atos homofóbicos, como os últimos noticiados.

*Com informações da Agência de Notícia da Aids.