Projeto de lei para banheiro ‘unissex’ causa polêmica em Florianópolis Resposta

Um projeto de lei para a criação de banheiros “unissex” está gerando polêmica em Florianópolis. Escrito na terça-feira (4) pelo vereador Deglaber Goulart (PMDB), o documento especifica, no artigo 1º, que “ficam os shoppings centers, supermercados, restaurantes, cinemas e locais de diversões, no âmbito do Município de Florianópolis, obrigados a instalar banheiros masculino, feminino e unissex”. Questionando o projeto, o também vereador da capital Tiago Silva (PDT) diz que a iniciativa “reforça o preconceito”.

No documento, não está especificado quem usaria o banheiro “unissex”, apenas que a utilização do mesmo seria proibida por criança, a não ser que estivessem acompanhadas de um responsável. O projeto também obriga que esses locais estejam de acordo com as normas da Vigilância Sanitária e que nenhuma construção ou reforma em estabelecimentos citados no artigo 1º será licenciada pelo município caso não haja a instalação do banheiro.

Na justificativa do projeto, o vereador Deglaber afirmou que “impor o seu direito aos demais é ditadura, o que não pode ser tolerado. É o caso de homens que já utilizam o banheiro feminino sob o argumento de que se identificam com o outro sexo, ou seja, se sentem mulheres”. O parlamentar citou um caso ocorrido com o cartunista Laerte Coutinho, que, segundo o texto, “decidiu acionar o dono de uma padaria em São Paulo que o repreendeu por utilizar o banheiro feminino”.

Por fim, o vereador disse que “se a escolha do banheiro feminino depender do livre arbítrio de homens indefinidos quanto à identidade sexual, nossas mães, esposas, filhas e netas não terão mais tranquilidade para frequentar um banheiro público” e que “com a aprovação deste projeto, estaremos mantendo a boa convivência entre todas as pessoas, independentemente de suas preferências sexuais”.

Em entrevista ao Jornal do Almoço desta quinta-feira (6), o vereador Deglaber afirmou que o banheiro seria usado por simpatizantes do movimento LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros). “Não há discriminação. Se tem no Rio de Janeiro, em Curitiba, em outras cidades, por que só em Florianópolis que existe discriminação?”, questionou o vereador.

“Eu acredito que há constrangimento do movimento gay às vezes de até entrar no banheiro masculino, então pode usar esse aí”, continua Deglaber. Por fim, ele afirma que “isso é atualizar a cidade hoje, que é o nosso dever” e que o documento “vai sofrer emendas para melhorar”.

Questionando o projeto, o também vereador de Florianópolis Tiago Silva acredita que a iniciativa “reforça o preconceito, o retrocesso, o apartheid do século 21”. Para ele, “nós temos tantos problemas aqui na cidade, mobilidade, plano diretor, transporte público, que deve ser discutido. Nós vamos gastar energias e esforços para um projeto desse”?

Em Florianópolis, Cesar Souza Junior apoia testes voluntários de HIV em órgãos públicos, escolas e empresas Resposta


Cesar Souza Júnior (PSC), foi eleito prefeito de Florianópolis, para enfrentar os problemas sanitários do município, pretende começar eliminando as grandes filas nos hospitais. Para isso, promete um mutirão, bairro a bairro, com o conjunto de médicos necessários. “Essa desobstrução permitirá não só atender a pessoas que estão aguardando há muito tempo na fila, como permitirá que os novos procedimentos venham a ter eficácia”, analisa o plano de governo do prefeito eleito.
Na área da prevenção, Cesar Junior afirma que equipes médicas visitarão periodicamente órgãos públicos, escolas e empresas, fazendo exames preventivos, como exames básicos de sangue, câncer na próstata, câncer de colo de útero, HIV, dentre outros.
Considerando o “avanço da epidemia de aids na cidade” e a “falta de eficiência no atendimento e na disponibilidade de medicamentos”, o novo prefeito diz que sistema de saúde municipal precisa atuar de forma a atender as necessidades da população.
De acordo com dados do Boletim Epidemiológico do Ministério da Saúde, Florianópolis é a segunda capital brasileira que registrou mais casos de aids em 2010. São 57,9 notificações para cada 100 mil habitantes. A cidade fica atrás apenas de Porto Alegre, com 99,8 casos.

Após agredir casal gay, casal heterossexual é preso em Florianópolis Resposta

Um casal gay foi agredido com golpes de facão e chineladas por um homem e uma mulher na Lagoa da Conceição, bairro de Florianópolis (SC). A reportagem do “Diário Catarinense” não dá o nome de ninguém. As agressões ocorreu na manhã de segunda-feira (07/03) e resultaram na prisão dos agressores.
As vítimas contaram à polícia que a vioência ocorreu por volta das 11h45min, depois que eles saíram de uma festa no bairro do Leste da Ilha de Santa Catarina. Aos gritos de “vocês são contra Deus” e “morte aos veados”, os suspeitos, um casal heterossexual.
Os agressores foram contidos por seguranças de um estabelecimento até a chegada de Polícia Militar. Depois foram encaminhados à 10ª DP e detidos pelo crime de homofobia.

Comemorando 30 anos de carreira, grupo Village People volta a fazer shows no Brasil Resposta

O irreverente grupo americano Village People, conhecido por cantar sucessos como ¨YMCA¨, ¨Macho Man¨ e ¨In The Navy¨, comemora 30 anos de carreira com dois shows no Brasil.
O grupo se apresenta nos dias 27 de maio no HSBC Brasil, em São Paulo e no dia seguinte no Floripa Music Hall, em Florianópolis. As informações podem ser encontradas no site oficial da banda.
Para quem não quiser perder o show irreverente da banda, os ingressos já estão à venda nos sites do Ingresso Rápido, para a apresentação de São Paulo e no Blue Ticket, em Florianópolis. Os preços variam entre R$ 80 e R$ 280 no primeiro dia e R$ 100 e R$ 250 para o segundo dia.
O grupo Village People surgiu das boates gays nos Estados Unidos e foi criado em fins da década de 1970, tendo inspiração no famoso bairro gay de Nova Yorque, Greenwich Village, e ficaram conhecidos por se apresentarem fantasiados com roupas que simbolizavam a masculinidade, como o policial, o índio norte-americano, cowboy, operário, soldado e motociclista.

Dicas de Réveillon no Rio, Floripa, Sampa e Salvador Resposta

Surtou e resolveu não viajar? Tá sozinho? Não se desespere. Preparamos algumas opções para quem não faz plano, se enrolou…

Rio de Janeiro

Amanhã (31/12) tem “The Week Réveillon – The Spirit of Star” (a partir de 1h). O melhor clube LGBT da Cidade Maravilhosa se uno ao selo francês “The Spirit os Star”. Tocarão os DJs Gustavo Junior, Chris Cox (EUA), Aurel Devil (França) e Edu Quintas. E tem show de Lorena Simpson. Local: R. Sacadura Cabral, 154 – Saúde. Ingresso a partir de R$ 120 (antecipados).

Florianópolis

E.Joy de Réveillon no LIC. Tocarão os DJs Rodolfo Bravat, Felipe Lira, Alê Bittencourt e Marco Silva. Local: Lagoa Iate Clube – R. Hipólito V. Pereira, 620 – Lagoa da Conceição. Ingreço a partir de R$ 50.

São Paulo

O clube Tunnel recebe, a partir das 23h os DJs que bombaram durante o ano: Paulo Pringles, Jura, Gustavo Vianna e Alexx Berrios. No sbsolo tem flashback, por conta de Ginger Hot e Edu Pietro. Shows de Nany People e Thalia Bombinhas, além de suas convidadas. Local: R. dos Ingleses, 355 – Bela Vista. Ingressos a partir de R$ 25.

Salvador

A “White Party” é fruto da união do Off Club Salvador e a Mc’s Produções. O DJ e gato Ferrucio Alisson (CE) é o grande nome da noite. A noite ainda conta com show de Andrezza Lamarck. Local: Boate Off Club – R. Dias D’Ávila, 33 – Barra Salvador. Ingressos: a partir de R$20 ou no http://www.cenasalvador.com.br