Gêmeos confundidos com casal gay sofrem agressão homofóbica e um morre na Bahia 5



Triste notícia que o blog tem que dar na semana em que será comemorado o Dia da Consciência Gay.
Um jovem morreu e seu irmão gêmeo ficou gravemente ferido na madrugada deste domingo (24) após sofrerem um atentado na cidade de Camaçari, Região Metropolitana de Salvador (BA).
Segundo informações da Central de Polícia e do posto policial do Hospital Geral de Camaçari (HGC), José Leonardo da Silva e José Leandro da Silva, ambos de 22 anos, estavam na festa de São João da cidade quando foram abordados por um grupo de homens, ainda não identificados, por volta das 4h30.
As vítimas foram espancadas e segundo informações da polícia o motivo da agressão foi a suspeita dos irmãos serem um casal gay. Eles foram socorridos por uma viatura da Polícia Militar (PM) para o HGC, mas Leonardo não resistiu aos ferimentos e morreu durante o atendimento na unidade hospitalar.

Leandro continua internado. Seu estado de saúde é desconhecido. Ainda segundo o posto policial, os acusados foram presos e se encontram na carceragem da 18ª Delegacia Territorial (DT/Camaçari), que investiga o caso.


Corpo de travesti morta a tiros em Belém é velado em Barcarena, PA Resposta

Polícia chega ao local do crime e encontra corpo de travesti no chão
O corpo da travesti morta a tiros na madrugada no último domingo (17) em Belém, foi reconhecido na noite de segunda-feira pelos familiares e está sendo velado na cidade onde a vítima residia, em Vila do Conde, Barcarena (PA). O enterro também acontece em Barcarena.


O tio da vítima, que reconheceu o corpo, informou a reportagem do G1 que pretende retornar a Belém nesta quarta-feira (20) para acompanhar de perto as investigações sobre a morte da sobrinha e também para prestar depoimento à polícia.
O caso

Três travestis foram baleadas por volta das 2h da manhã do último domingo (17) na esquina da avenida Almirante Barroso com a travessa Barão do Triunfo, na bairro do Marco, em Belém. A travesti conhecida como “Bianca” morreu na hora, e as outras duas encaminhadas ao hospital.
A polícia investiga motivação do crime e a organização de defesa dos direitos de homossexuais, em Belém, pede providências. De acordo com o delegado que investiga o caso, duas hipóteses tem sido consideradas para o crime: vingança e homofobia.

Manifestantes protestam contra vinda de Ahmadinejad ao Brasil Resposta


Integrantes de cerca de 30 movimentos sociais e religiosos protestaram, na orla de Ipanema, na Zona Sul do Rio de Janeiro, contra a vinda do presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, à Rio+20. Em um dia de sol e praia cheia, os manifestantes iniciaram a caminhada por volta das 11h deste domingo (17), com faixas e cartazes, na pista próxima ao calçadão da praia da Avenida Vieira Souto, que é interditada ao tráfego e se transforma em área de lazer aos domingos e feriados.
Ahmadinejad é esperado na capital fluminense para participar do encontro com cerca cem chefes de estado na conferência da Organização das Nações Unidas (ONU). O protesto criticou a política iraniana de desenvolvimento de armas nucleares e o histórico de tortura, terrorismo e homofobia ocorridos no governo de Ahmadinejad. Lideranças de movimentos gays, da juventude judaica e do candomblé também participaram da caminhada.
Os manifestantes também criticaram a intolerância religiosa, desrespeitos aos direitos humanos e a homofobia. Cerca de 3 mil pessoas, segundo organizadores do protesto, também cantaram músicas parodiando a vinda do presidente do Irã ao Rio. Uma delas diz: “Eu quero tchu, eu quero tchá, fora Ahmadinejad!” Eles esperam que, com esse protesto, a presidenta Dilma Rousseff não estreite relações com Ahmadinejad. O grupo é contra a aproximação política entre Brasil e Irã.
Alguns manifestantes confeccionaram imitações de troncos de árvores com material reciclado, como garrafas PET e papelão. Nos “troncos”, havia bilhetes pendurados dizendo: “Desrespeito aos direitos humanos não se sustenta”; “Homofobia não se sustenta”; “Intolerância religiosa não se sustenta”; “Negar o Holocausto não se sustenta”.
Vereadora quer tornar Ahmadinejad “persona non grata” no Rio
O movimento começou a ser organizado há cerca de um mês através das redes sociais. Nesta terça-feira (19), a vereadora Teresa Bergher (PSDB), presidente da Comissão de Defesa dos Direitos Humanos da Câmara Municipal do Rio, vai propor que Ahmadinejad se torne “persona non grata” na capital. Ela acredita que, caso a medida seja aprovada, o presidente iraniano sinta-se inibido de voltar outras vezes ao Rio.
Os organizadores do protesto informaram que pretendem fazer outras manifestações, inclusive na porta do hotel onde Ahmadinejad ficará hospedado durante a Rio+20.
*Com informações do G1

O casamento gay é como a escravidão, diz líder católico 2

Católico mais antigo da Grã-Bretanha, o cardeal Keith O´Brien condenou
o casamento entre pessoas do mesmo sexo como uma ¨aberração¨,
comparando o ato à escravidão e ao aborto.
O cardeal Keith O’Brien disse que os países que legalizam o casamento gay deveriam se envergonhar por ir contra a “lei natural”, e não devem considerar as suas ações como um progresso. Ele disse que as uniões do mesmo sexo eram o ¨fim do limite¨ e que isso levaria à ¨degeneração da sociedade em imoralidade.¨ 


Em uma série de comentários polêmicos, ele disse à Rádio BBC que se o casamento do mesmo sexo for legalizado, mais aberrações aconteceriam e a sociedade iria se degenerar ainda mais em imoralidade. 
A entrevista foi realizada depois que o cardeal escreveu um artigo onde ele compara o casamento gay à escravidão. Ele escreveu: 

¨Imagine por um momento que o governo tenha decidido legalizar a escravidão, mas garantiu que ninguém será obrigado a ter um escravo. Será que essas garantias inúteis iriam acalmar a nossa fúria? Eles justificariam a quebra de um direito humando fundamental? Ou será que eles iriam simplesmente usar palavras que mascaram um grande erro? Eu acho que é um exemplo muito bom do que pode acontecer em nosso próprio país no tempo presente.¨

Descrevendo o casamento do mesmo sexo como ¨o fim do limite¨, ele também usou a Lei do Aborto como um exemplo do que poderia acontecer, alegando que haveriam cerca de sete milhões de abortos e ¨mais aberrações¨. 
Respondendo às acusações de que seu uso da linguagem, incluindo a palavra “grotesco”, foi um exagero, ele disse: 
– Eu não estou dizendo que é grotesco, mas talvez para algumas pessoas pode parecer grotesco. Eu não acho que tudo seja exagero. Eu acho que estou entregando o ensinamento da Igreja Cristã que existe há mais de 2.000 anos e estou fazendo o meu melhor para transmiti-lo de uma forma que muitas pessoas possam ouvir. Eu acho que se o Reino Unido aderir o casamento do mesmo sexo vai ser realmente uma vergonha para o nosso país. Estamos tentando redefinir algo que tem sido conhecido e reverenciado por séculos e tornando-se algo bastante diferente. Isso está mudando toda a noção do que é o casamento e o que é uma família. Afeta crianças que nascem, que têm direito a um pai e mãe. 
Seus comentários levaram diversas pessoas a se manifestarem na internet, onde alguns o acusam de ser intolerante e incoerente, além de ter um discurso de ódio.

Absurdo! Gana quer curar gays e ministro pede que todos os homossexuais sejam presos Resposta

Foto apenas ilustrativa (Reprodução)
A Igreja Presbiteriana de Gana anunciou planos para estabelecer centros de terapia para ¨vítimas de homossexuais¨ e está pedindo ao governo para esclarecer a lei sobre a homossexualidade, de acordo a agência de notícias de Gana. 

Os centros oferecem ¨aconselhamento e reabilitação¨ em um esforço para ¨reduzir a propagação¨ da homossexualidade. A tal¨cura¨ não é um medicamento caro ou uma vacina que vai levar décadas para ser perfeita, mas consiste totalmente na prática de orações.

O reverendo e professor de direito, Emmanuel Martey afirmou que a homossexualidade foi se espalhando rapidamente na sociedade e pediu aos líderes e ministros do país para colocarem medidas eficazes, verificar e transformar o destino do país. 

O moderador da Assembléia Geral da Igreja Presbiteriana de Gana, disse que a igreja precisa de líderes, que saiam do comum, cheios e fortalecidos pelo Espírito Santo para defender os seus princípios. Ele disse que os pacientes teriam de enfrentar uma série de desafios em suas operações, e que o Senhor os livraria de todos os seus problemas, se eles confiarem no Senhor e orarem regularmente. 

No mês passado, o ministro do interior de Gana, Paul Evans Aidoo ordenou a prisão imediata de todos os homossexuais e pediu a proprietários e inquilinos para denunciarem os gays que estivessem entre eles, de acordo com a publicação australiana Star- Observer, algo bem parecido com os ataques ocorridos durante a Alemanha Nazista. Ele disse que todos esses esforços ¨estão sendo feitos para se livrar dessas pessoas na sociedade¨ 

Nem mesmo a Comissão de Direitos Humanos e a Justiça Administrativa estão preparados para defender os ganeses homossexuais. Em resposta aos relatos da mídia que apontavam um apoio da comissária Lauretta Lamptey pela descriminalização da homossexualidade, ela respondeu: 

– Eu não defendo que o homossexualismo deveria ser descriminalizado. Minha opinião é que, atualmente não está claro se é mesmo crime e que, se o ponto de vista da sociedade é que deveria ser, então, deve haver um debate sobre isso. Na minha opinião, eu não acho que, como sociedade, estamos prontos para dar aos homossexuais e lésbicas qualquer um desses tipos de direitos. 

Leis proibindo o ¨conhecimento natural carnal¨ estão sendo usadas contra gays em Gana, embora não haja menção específica da homossexualidade na lei.

Igreja que prega o ódio planeja protesto em funeral de Liz Taylor Resposta

Grupo de ódio promete protesto em funeral da atriz

Impressionante! Ontem (23/03) falei sobre o filme ¨Fall From Grace¨, que fala sobre a estúpida igreja do Kansas, Westboro Baptist Church, que prega o ódio contra os gays nos Estados Unidos e agora vem mais uma notícia sobre este grupo do ódio.
Assim como ameaçou fazer no funeral de Heath Ledger e Natasha Richardson, a igreja, que tem o costume de atacar os funerais de soldados mortos dos EUA e tem uma guerra travada contra os gays, agora está planejando um protesto no funeral da atriz Elizabeth Taylor.
Margie Phelps, filha do líder idiota da igreja, Fred Phelps, deu a seguinte declaração no twitter:
– Sem ¨descanse em paz¨ para Elizabeth Taylor, que passou a vida em adultério e permitindo o orgulho dos ¨viados¨. Hoje eles vão xingar ela no inferno.
O presidente da organização GLAAD, que luta pelos direitos dos homossexuais, Jarrett Barrios, disse que ¨Fred Phelps e seus seguidores anti-gays estão simplesmente tentando explorar a assim chamada ¨fé¨ para espalhar mensagens de ódio no momento em que os americanos estão sofrendo a perda de uma extraordinária mulher, atriz e defensora¨, e completa:
– Surpreendentemente, as comunidades religiosas estão começando a abraçar lésbicas, gays bissexuais e transgêneros e enviar mensagens que promovem a igualdade para todos. A (organização)GLAAD está pedindo aos meios de comunicação para compartilhar o legado de Elizabeth Taylor com histórias de esperança e aceitação, e destacar o trabalho de sua vida para criar um mundo no qual todos são respeitados e valorizados por quem eles são.
Taylor, que morreu ontem (23/03) de manhã com 79 anos depois, foi uma incansável defensora dos gays e reponsável por campanhas contra a AIDS, e é reverenciada pela comunidade gay por seu apoio e filantropia.
Espero que as autoridades americanas tomem uma providência contra esse grupo, que tem o respaldo do governo para fazerem estes protestos ridículos, utilizando a liberdade de expressão para atacar as pessoas de bem.

Crítica: Fall From Grace (documentário) Resposta

Fall From Grace, um documentário criado e dirigido por K. Ryan Jones, é um daqueles filmes que quando acabamos de ver, damos um grande suspiro. É um suspiro pesado, triste, impressionado. O documentário conta a história da família Phelps e da igreja fundada pelo líder Fred Phelps, a Westboro Baptist Church. 


Claro, é um documentário que mostra a guerra entre os fanáticos religiosos e os homossexuais. O documentário mostra a visão que a igreja de Kansas tem sobre os homossexuais, mas vai além, detalhando o pensamento deles em relação aos Estados Unidos em relação a alguns fatos marcantes do país. 

Se engana quem pensa que assistir a esse documentário não vale a pena, por se tratar de algo que acontece nos EUA. Mas é importante para que todos no mundo possam assistir, principalmente os gays, para verem como é o mundo em que vivemos. 

A igreja liderada pela família Phelps, é tida como um grupo de ódio, que usa o nome de Deus para propagar a ignorância através dos ¨ensinamentos bíblicos¨. Esse grupo é o mesmo responsável pela campanha ¨God Hates America¨ (Deus odeia a América), que se extende, inacreditávelmente, a outras campanhas do tipo ¨God Hates Fags¨ (Deus odeia viado), ¨Thank God For The AIDS¨ (Obrigado Deus pela AIDS) e ¨Pray For More Dead Soldiers¨ (Rezo para mais soldados mortos). 

Esse é o tipo de ensinamento que os membros desta igreja aplica para os filhos deles. É interessante ver o momento em que o diretor conversa com as crianças sobre essas campanhas, e pergunta qual destas é a preferida deles. As crianças, na maioria meninos, preferem às que ofendem os homossexuais. Quando perguntados o que estas frases significam, as crianças não sabem explicar, porque elas não sabem o que significa tudo aquilo. Um menino, em especial, chegou a demonstrar uma vontade de matar os ¨fags¨(termo pejorativo que significa algo como ¨viado¨), mas que ele sabe que não pode fazer isso, que Deus tem que matar. 

É triste. O documentário apresenta citações de pastores que atribuem o ataque de 11 de setembro, à ira de Deus contra os homossexuais. É algo absurdo que alguns acreditam que não existe! Mostra a forma como este grupo de ódio protesta em enterros de soldados americanos, desrespeitando a família dessas pessoas, e o líder vagabundo dizendo que ao invés de 200 mil soldados mortos, ele espera que sejam 200 milhões. 

Este documentário serve para abrir os olhos de toda a comunidade LGBT, e, principalmente, dos que vivem alheios ao preconceito extremo que existe no mundo, e mostra que cada vez mais precisamos lutar e lutar sempre, que a guerra não está vencida e não podemos nos acomodar! 

Por outro lado, o filme mostra uma entrevista com dois filhos da família Phelps, que decidiram sair de casa por não concordarem com os ensinamentos do pai. Mostra a opinião de outro pastor, que se diz indignado com a forma odiosa que Fred Phelps dissemina a palavra de Deus, e aplica uma interessante explicação a respeito das passagens bíblicas em referência ao homossexualismo. 

Independente de acreditar ou não em Deus ou na Bíblia, o documentário mostra bem o ódio e o retrocesso de alguns setores da comunidade americana e que serve de exemplo para o mundo inteiro. O filme (em inglês) pode ser visto completo no YouTube

Assista ao trailer:

Deputado Jair Bolsonaro continua sua luta contra os LGBT Resposta

Bolsonaro: luta contra os LGBT continua

Navegando em busca de informações para alimentar o blog, me deparei com a coluna do jornalista Marco Eusébio, colunista do site “MS Aqui”. Era uma nota sobre o kit anti-homofobia (materiais didáticos) que o Ministério da Educação (MEC) pretende distribuir, a princípio em 6 mil escolas públicas. Ao final da nota, havia um link e a seguinte chamada: “Veja ‘Encontrando Bianca’ do kit contra homofobia”. Na verdade, trata-se de um vídeo editado pelo deputado federal ultraconservador Jair Bolsonaro (PP-RJ), que continua a sua campanha contra a luta contra a homofobia, agora em seu canal no YouTube.






Como você pode ver, o vídeo postado pelo depuado Bolsonaro é totalmente editado, manipulado. Um deputado que diz que homossexualidade se cura a base de porrada não tem credibilidade. Gostaria de ver o vídeo inteiro.

Hoje, quem voltou a se manifestar contra o kit anti-homofobia, foi o presidente da Câmara dos Vereadores de Campo Grande e pré-candidato à prefeitura, Paulo Siuf (PMDB-MS). A uma rádio da capital do Mato Grosso do Sul, o político disse que o “kit gay” incentiva a homossexualidade infanto-juvenil.


Falando em kit anti-homofobia, está rolando um abaixo-assinado contra e outro a favor. Então, galera, vamos enviar mensagem ao Congresso Nacional, expressando o nosso apoio à essa iniciativa fundamental para a construção de um novo Brasil, com mais respeito e menos ódio e ignorância. Assine o “Abaixo Assinado Apoio ao Kit de Combate à Homofobia nas Escolas clicando aqui. E lembre-se de divulgar para os amigos!

Harvard: xixi em livros gays é acidente Resposta

A Universidade de Harvard, em Cambridge, Massachusetts, uma das mais tradicionais do mundo, decidiu não mais investigar o caso de 40 livros que foram estragados por urina em sua biblioteca como crime de ódio. A instituição classificou como incidente. Um funcionário teria esbarrado em uma garrafa que estava na prateleira, com urina e, sem querer atingido os livros.

A decana Evelynn M. Hammonds afirmou ao jornal universitário que o incidente não deve ser minimizado, mas a polícia de Harvard não classifica mais o ato como crime de ódio. Todos os livros serão repostos.

Marco Chan, co-presidente da Associação de Alunos Gays de Harvard e Aliados (HCQSA, sigla em inglês) diz que ainda há perguntas a serem respondidas: “Por que uma garrafa de urina estava na prateleira (da biblioteca)? Por que levou duas semanas para a polícia de Harvard concluir que foi apenas um acidente? Quem assumiu a culpa?” Perguntas que o blog também gostariam que fossem melhores esclarecidas.