600 mil pessoas protestam contra a criminalização da homofobia em Manaus 1


Cerca de 600 mil evangélicos participaram da Marcha para Jesus, em Manaus, segundo informações do Corpo de Bombeiros. Durante a caminhada, foram distribuidos faixas, panfletos e até abaixo assinado contra o projeto de lei da Câmara (PLC) 122/06, que visa tornar a homofobia crime.

As faixas traziam os dizeres “Não ao PLC 122” e os panfletos chamavam a lei de “inconstitucional” e pregavam a defesa da “família”; já o abaixo-assinado, organizado pela Ordem dos Ministros Evangélicos do Amazonas (OmeAM), reunia assinatura das pessoas que participavam da marcha para serem entregues às frentes políticas que discutem o assunto, reafirmando a opinião das igrejas evangélica e católica, contra o PLC.

De acordo com o pastor Valdiberto Rocha, presidente da OmeAM, o abaixo assinado será encaminhado para a Frente Parlamentar Mista de deputados federais e vereadores que estudam o PLC 122/06, questionando alguns pontos do projeto, que segundo ele são inconstitucionais e ferem o direito de expressão.

“Todos somos livres para darmos nossas opiniões, sejam elas relacionada a qualquer assunto. O PLC 122/06 denigre a família e fere a Constituição brasileira que nos dá direito de expressão. As pessoas não conhecem todos os pontos da lei, precisam ser informadas sobre todos os pontos para entender porque somos contra”, revela Rocha.

Segundo o pastor a lei se aprovada, por exemplo, permitirá que qualquer homossexual faça um boletim de ocorrência acusando uma pessoa de discriminação, levando a mesma a pena de até cinco anos de prisão, sem ao menos saber se realmente ele foi discriminado ou não, já que a lei o ampara por diversos meios.

Cerca de 200 voluntários uniformizados recolheram assinaturas durante a Marcha para Jesus. Cada um tinha uma meta de conseguir 400 vistos. Atualmente, o PLC 122.06 tramita na Comissão de Direitos Humanos do Senado Federal, sob relatoria da senadora Marta Suplicy, que pretende reformular o texto depois de muitas polêmicas.

Segundo o pastor Valdiberto Rocha, o evento superou as expectativas da organização, o que deixou todos contentes por mais um objetivo cumprido, que era de orar e pedir bençãos pela cidade de Manaus.

“Foi uma marcha pacífica, que não reunia apenas evangélicos, mas também pessoas de outras religiões com um único intuito: celebrar a Deus”, disse o pastor. A primeira dama do Estado, Nejmi Aziz, esposa do governador Omar Aziz (PMN) compareceu ao evento e mostrou-se feliz por ver tantos jovens reunidos.

“Fiquei impressionada com a quantidade de jovens marchando para Jesus. Nossa juventude está aqui, hoje, celebrando e fazendo algo para o bem!”. A 1ª Marcha para Jesus de Manaus ocorreu há 18 anos, com a participação de 400 pessoas que percorreram as ruas do Centro.

A passeata contou a apresentação de atrações regionais, do cantor Chris Duran e da banda 4 por 1, além de 20 trios elétricos.

Mas, nem tudo foi alegria durante o evento. Várias ruas foram interditadas, o trânsito ficou lento e engarrafado em vias de grande movimentação, entre elas Djalma Batista e Constantino Nery.

A marcha reúne fiéis de várias congregações.

*Com informações de “Acritica.com