Pabllo Vittar lança clipe de ‘Buzina’ Resposta

Foi lançado hoje o clipe oficial de “Buzina”, música do álbum “Não Para Não”, de Pablo Vittar.

A faixa é a primeira do disco “Não Para Não” lançado em outubro de 2018. “Disk Me”, “Problema Seu” e “Seu Crime” são músicas que já foram trabalhadas deste projeto.

O clipe é dirigido por Os Primos (João Monteiro e Fernando Moraes).

O clipe recebeu muitos elogios nas redes sociais.

Paula, do BBB 19, diz que teve experiência gay na adolescência Resposta

Paula, ao conversar com Danrley, Hariany e Gabriela no confinamento do BBB 2019, revelou que quando tinha 15 anos de idade passou por uma experiência lésbica. De acordo com mineira, uma prima a qual ela não tinha muita convivência foi a responsável por despertar nela o desejo de se relacionar com outras garotas.

“Todo mundo falava que era linda. Conheci ela no aniversário da minha avó. Eu tava com meu namoradinho Tonhão, ele era inocente de tudo. Me mostraram quem era a menina, achei ela maravilhosa, a cara da Carolina Dieckmann. Eu fiquei olhando e curiosa, eu queria beijar ela”, contou.

“O Tonhão foi ajudar a preparar as coisas para minha avó. Aí não teve jeito, chegou ela. Eu vendo aquela mulher maravilhosa e falei para o irmão dela que eu queria. Eu tinha 14 anos, não… eu tinha 15 anos. Ele falou alguma coisa com ela e eu não respondi nada. Eu fui dar uns perdidos no Tonhão, fui andando lá para fora. Ela chegou em mim, eu tremia”, continuou a loira.

“Gente do céu, a mulher com cigarro na boca e bebendo cerveja. Era um máximo, ela tinha uns 23 anos e já chegou me beijando. Eu peguei no cabelo e pensei: ‘Que delicado’. Não sabia mais o que estava fazendo. Na outra semana ela voltou para Lagoa Santa e a gente foi para uma boate, mas o Tonhão veio também. O irmão dela me falava que ela tava me esperando no banheiro. Eu ia e pá… pegava ela. Tonhão percebeu e achou ruim eu ficar com um mulher. Mas trair com mulher não é traição, só é com homem”, disse.

Ao fim do relato, a bacharel em direito revelou que chegou a dizer para sua mãe que era homossexual. “Aí eu cheguei em casa e falei para a minha mãe: ‘Eu sou gay’. Eu achei que tava apaixonada, aquela mulher era maravilhosa, mas depois eu fui colocando a minha cabeça no lugar e acertando as coisas”, concluiu.

Diferente do que alguns órgão de imprensa estão veiculando, Paula não assumiu ser lésbica e nem disse estar em dúvida a respeito de sua orientação sexual. Ela apenas relatou uma experiência muito comum entre adolescentes.

França celebrou mais de 40 mil casamentos gays em quatro anos Resposta

Vincent Autin e Bruno Boileau foram o primeiro casal do mesmo sexo a casar na França (Foto: BORIS HORVAT/AFP/Getty Images)

Só em 2017 (os dados são de 2013 a 2017) foram realizados 7.244 casamentos entre pessoas homossexuais na França, realça o documento divulgado pelo Instituto Nacional de Estatística francês, sublinhando que o número é 1,8% superior ao registado em 2016.

No total, desde que a lei sobre o casamento entre pessoas do mesmo sexo foi aprovada, em meados de 2013, realizaram-se 40 mil registos.

O Instituto Nacional de Estatística de França especifica que 21 mil foram casamentos entre homens e 19 mil entre mulheres.

Bancada evangélica quer delimitar homofobia Resposta

Bancada evangélica na Câmara dos Deputados

Preocupado com abalos na base durante a tramitação da Reforma da Previdência, o Planalto avisou a bancada evangélica: não será obstáculo à reação ao julgamento do STF que deve criminalizar a homofobia. Os evangélicos ensaiam apresentar projeto especificando o que seria passível de punição. Há consenso de que agressões, físicas ou verbais, não serão toleradas. Mas querem preservar a liberdade religiosa de se negarem a realizar uniões homoafetivas ou para poderem continuar pregando que relação entre pessoas do mesmo sexo é pecado.

A ideia de representantes da bancada é aguardar o resultado no STF para “modular” o que vier do Judiciário. O julgamento foi suspenso com quatro votos favoráveis a enquadrar a homofobia como uma forma de racismo.

Um representante da bancada evangélica e um líder religioso receberam sinalização do Palácio do Planalto de que o governo apoiará a iniciativa.

Para o núcleo mais próximo de Jair Bolsonaro não é bom provocar abalos sísmicos na relação com os evangélicos no momento em que o governo busca apoio para alterar a Previdência.

Fonte: Coluna do Estadão

Casal gay nega dinheiro a flanelinhas e tem carro arranhado com xingamento homofóbico Resposta

Ataque

Um casal homossexual se negou a pagar uma “taxa” cobrada por flanelinhas em Brasília e teve o carro arranhado com a palavra “viado”. O ataque homofóbico aconteceu em um estacionamento do Parque da Cidade.

Segundo o influenciador digital, Daniel Abem, dono do carro, os flanelinhas pediram R$ 5 para vigiar o carro. No entanto, nem ele, nem o seu marido, Felipe Abem, tinham dinheiro trocado.

“Não pagamos pois estávamos apenas com cartão e notas de 100 reais… Irritado, eles começaram a nos xingar”, disse Daniel, em sua conta no Instagram.

Depois de contar a história na internet, várias pessoas relataram ao casal terem passado por episódios semelhantes na cidade: situações que vão desde palavras riscadas em veículos até arrombamentos e outras depredações.

“Não podemos deixar que isso vire cultura na cidade, gente! Tenho recebido inúmeras mensagens de pessoas que passaram pela mesma coisa, extorsão, coação e constrangimento é o que temos hoje em diversos estacionamentos públicos da cidade. A orientação da polícia é que a gente não alimente esses bandidos e que a gente não pague!”, escreveu Daniel.

TSE manda retirar da rede fake news de Bolsonaro sobre “kit gay” Resposta

Fake

O ministro Carlos Horbach, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), determinou a remoção de seis postagens no Facebook e no YouTube em que o candidato do PSL à Presidência da República,Jair Bolsonaro, faz críticas ao livro Aparelho Sexual e Cia. e afirma que a obra integraria material a ser distribuído em escolas públicas na época em que Fernando Haddad (PT), também candidato à Presidência, comandava o Ministério da Educação.

No vídeo, Bolsonaro afirma que o livro é “uma coletânea de absurdos que estimula precocemente as crianças a se interessarem pelo sexo”. “No meu entender, isso é uma porta aberta para a pedofilia”, diz o candidato do PSL, que ainda afirma que “esse é o livro do PT”. Em nota, o Ministério da Educação (MEC) já afirmou em diversas oportunidades que não produziu nem adquiriu ou distribuiu Aparelho Sexual e Cia., esclarecendo que o livro é uma publicação da editora Companhia das Letras publicada em dez idiomas.

“É igualmente notório o fato de que o projeto ‘Escola sem Homofobia’ não chegou a ser executado pelo Ministério da Educação, do que se conclui que não ensejou, de fato, a distribuição do material didático a ele relacionado. Assim, a difusão da informação equivocada de que o livro em questão teria sido distribuído pelo MEC gera desinformação no período eleitoral, com prejuízo ao debate político, o que recomenda a remoção dos conteúdos com tal teor”, concluiu Horbach.

Os advogados do PT afirmam que, em entrevista ao Jornal Nacional, da TV Globo, no dia 28 de agosto, Bolsonaro mentiu e difundiu a falsa ideia de que o livro seria distribuído em escolas públicas. “O candidato vem proferindo esta grave mentira há mais de dois anos. A informação de que o livro seria distribuído em escolas públicas começou a ser difundida por Bolsonaro no dia 10 de janeiro de 2016 por meio de um vídeo que publicou no Facebook”, observa a coligação de Haddad.

Em outra representação, o ministro negou um pedido do PT para remover uma entrevista de Bolsonaro concedida ao programa Pânico, na qual o deputado federal faz referência ao material didático do projeto ‘Escola Sem Homofobia’ como sendo o “kit gay”, atribuindo a responsabilidade pela sua elaboração a Fernando Haddad.

“É possível concluir que os representantes buscam impedir que o candidato representado chame o material didático do projeto ‘Escola sem Homofobia’ de ‘kit gay’. Tal pretensão, caso acatada pelo Poder Judiciário, materializaria verdadeira censura contra o candidato representado, que estaria impedido de verbalizar, de acordo com suas concepções, críticas à gestão do concorrente à frente do Ministério da Educação”, observou Horbach.

Reportagem: Veja

Casal é vítima de ataque homofóbico em shopping de Fortaleza Resposta

LGBT-MAOS-DADAS.jpg
Um casal foi vítima de ataque homofóbico em shopping de Fortaleza nessa sexta-feira, 12. Em publicação no Facebook, a vítima que estava com a companheira, relatou ter sido abordada por dois homens enquanto as duas passeavam pelo local de mãos dadas.

“Atravessávamos a alameda do shopping, de mãos dadas, como sempre fizemos e fazemos, quando dois homens na faixa dos 40 anos esbarraram em mim e um deles disse: ‘Sapatona tem que morrer’”, lembrou.

A vítima que diz ser delegada afirmou ter sido a primeira vez que sofreu uma agressão lesbofóbica desde que se assumiu quando tinha 15 anos.

“Eu já contribuí tanto e contribuo diariamente com esse País, já coloquei na cadeia pedófilos, feminicidas, estupradores, tirando da sociedade uma escória de criminosos que poderiam estar nas ruas colocando em risco a vida de inúmeras famílias, inclusive a desses criminosos cretinos que me ameaçaram hoje!”, desabafou.

Por meio de nota enviada pela sua assessoria ao portal O Povo Online, o shopping afirmou que “repudia qualquer ato de preconceito”, além de tratar em “posição de respeito à diversidade“. Informando ainda que nestes casos, a administração recomenda que se procure a equipe de segurança para que seja dado o suporte necessário.

Chef e ex-rainha de bateria é confundida com travesti e agredida em Manaus (veja o vídeo) Resposta

mulher-confundida-travesti-696x464

Empresária foi agredida por homem e confundida com travesti em Manaus (Foto: Reprodução)

 

Sandy Salum, de 36 anos, é uma empresária amazonense que trabalha como chef de cozinha. Na última sexta-feira (12) ela foi agredida por um homem, por volta das 6h, na saída de uma festa. Segundo relato, a discussão entre os dois iniciou após assédio a uma amiga de Sandy. Ao se manifestar contra a atitude do rapaz, a empresária foi chamada de travesti e “escória da humanidade”. Os dois, então, entraram em uma luta corporal.

“Esse indivíduo passou e puxou o cabelo dela. Ela disse ‘ai, me deixa’. Eu disse, ‘ei, deixa ela’. Só que, pelo fato de eu ter a voz grossa, ele já falou ‘o que que é, sua travesti? sua escória da humanidade, puta’. Ele veio pra cima e me empurrou. Ele saiu correndo a ladeira e entrou no taxi. Eu fui atrás dele, entrei no taxi e falei ‘agora tu me chama de travesti de novo. Você vai aprender a me respeitar”, conta Sandy.

Em vídeo que circula pelas redes sociais é possível ver o que já é o desfecho da agressão. Sandy se posiciona frente ao carro e o confronta. O homem sai do carro e vai para cima. Demora para que pessoas separem a briga, enquanto uma voz de fundo narra as agressões avisando “É marido e mulher”. 

“É inadmissível. Só me ajudaram depois, porque baixou o sangue e eu comecei a chorar. Ele me chamou de escória da humanidade, de puta. Eu sou mulher, eu sou mãe de dois filhos adolescentes. Eu mereço respeito. Ele não tinha direito de tocar em mim. Foi quando os homens realmente ficaram indginados e saíram empurrando ele”, relata.

A empresária, que é ex-rainha de bateria de uma renomada escola no Amazonas, abriu um Boletim de Ocorrência e fez exame de corpo e delito. O caso foi registrado no 19º Distrito Integrado de Polícia (DIP).

“A gente não pode deixar essas atitudes impunes. Nós temos que denunciar e continuar, porque, independente de qualquer coisa, se for parente de político, se for uma pessoa poderosa, se você for gay, trans, mulher, negra, lésbica, não importa. Você é ser humano e você tem os seus direitos como cidadão de bem. E eu vou lutar. Eu sou mae, eu sou mulher, eu sou negra, eu sofri preconceito desde criança e nem por isso eu vou me fazer de vítima. Eu vou atrás dos meus direitos na Justiça”.

 

 

Sandy Empresária

“Me chamou de escória da humanidade”, diz a empresária Sandy, confundida com travesti.

Haddad pede ao TSE direito de resposta sobre “kit gay” que nunca existiu Resposta

kit-gay-fake-news (1)

O candidato à Presidência da República pelo PT, Fernando Haddad, entrou no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com pedido de direito de resposta contra o presidenciável do PSL, Jair Bolsonaro, afirmando que a divulgação do suposto ‘kit gay’ é conteúdo falso propagado de maneira criminosa pelo adversário; a defesa da campanha de Fernando Haddad ainda requer que o TSE determine a retirada de postagens que teriam mensagens inverídicas no Facebook, Twitter e YouTube.

O candidato à Presidência da República pelo PT, Fernando Haddad, entrou no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com pedido de direito de resposta contra o presidenciável do PSL, Jair Bolsonaro, afirmando que a divulgação do suposto ‘kit gay’ é conteúdo falso propagado de maneira criminosa pelo adversário. A defesa da campanha de Fernando Haddad ainda requer que o TSE determine a retirada de postagens que teriam mensagens inverídicas no Facebook, Twitter e YouTube.

A reportagem do jornal O Estado de S. Paulo destaca que “os advogados do PT afirmam que, em entrevista ao Jornal Nacional, da TV Globo, no dia 28 de agosto, Bolsonaro mentiu e difundiu a falsa ideia de que o livro ‘Aparelho Sexual e Cia’ seria distribuído em escolas públicas. ‘E que, segundo vídeo que circula em redes sociais, seria inadequado para crianças e jovens brasileiros’, afirmam”.

Segundo a defesa de Haddad, o livro ‘não fez parte de qualquer kit escolar’, nem do material que o candidato do PSL chama de ‘kit gay’, ‘que, por sua vez, era parte de um programa do governo chamado Escola Sem Homofobia, e que nunca chegou a ser posto em prática”.”

O jornal ainda afirma que “na ação, que está sob relatoria do ministro Carlos Horbach, a defesa do petista ressalta que a informação foi desmentida pela editora do material e pelo Ministério da Educação.”

O trecho do requerimento explica: “o candidato vem proferindo essa grave mentira há mais de anos. A informação de que o livro seria distribuído em escolas públicas começou a ser difundida por Bolsonaro no dia 10 de janeiro de 2016 através de um vídeo que publicou no Facebook”.

O candidato à Presidência da República pelo PT, Fernando Haddad, entrou no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com pedido de direito de resposta contra o presidenciável do PSL, Jair Bolsonaro, em torno da divulgação do suposto ‘kit gay’, que, segundo a campanha do petista, é conteúdo falso propagado pelo oponente na disputa presidencial. A defesa ainda pede que o TSE determine a retirada de postagens que teriam mensagens inverídicas no Facebook, Twitter e YouTube.

Os advogados do PT afirmam que, em entrevista ao Jornal Nacional, da TV Globo, no dia 28 de agosto, Bolsonaro mentiu e difundiu a falsa ideia de que o livro “Aparelho Sexual e Cia” seria distribuído em escolas públicas. “E que, segundo vídeo que circula em redes sociais, seria inadequado para crianças e jovens brasileiros”, afirmam.

Segundo a defesa de Haddad, o livro “não fez parte de qualquer kit escolar”, nem do material que o candidato do PSL chama de ‘kit gay’, “que, por sua vez, era parte de um programa do governo chamado ‘Escola Sem Homofobia’, e que nunca chegou a ser posto em prática”.

Na ação, que está sob relatoria do ministro Carlos Horbach, a defesa do petista ressalta que a informação foi desmentida pela editora do material e pelo Ministério da Educação.

“O candidato vem proferindo essa grave mentira há mais de anos. A informação de que o livro seria distribuído em escolas públicas começou a ser difundida por Bolsonaro no dia 10 de janeiro de 2016 através de um vídeo que publicou no Facebook”, observam.

São apontadas também postagens de Bolsonaro e de seus filhos, Eduardo Bolsonaro e Flávio Bolsonaro, que falaram sobre o material nas redes sociais.

“As manifestações das representadas atacam Fernando Haddad com informações inverídicas, difamatórias e injuriantes, sem qualquer legitimidade ou fundamento, constituindo-se em um verdadeiro manifesto político que agride o partido representante, sem qualquer possibilidade de contraditório, contraponto ou debate”, assinala a defesa.

 

Rede Globo quebra o tabu e exibe beijo entre dois homens em “Malhação” Resposta

Malhação

Beijo em Malhação foi protagonizado pelos atores Pedro Vinícius e Giovanni Dopico (Crédito: Reprodução/TV Globo)

Foi necessário esperar 23 anos, mas, enfim aconteceu: rolou um beijo entre dois homens em “Malhação”, hoje “Malhação – Vidas Brasileiras”.

O beijo foi ao ar nesta quarta-feira, 3, entre os personagens Michael (Pedro Vinícius) e Santiago (Giovanni Dopico) trocando carícias e celebrando o amor entre os dois com beijo na boca.

O blog já havia adiantado que a autora da temporada atual, Ana Maria Moretzsohn, iria apresentar uma “linda história de amor” gay.

 

Claudia Leitte se manifesta contra a homofobia e a misoginia Resposta

Claudia Leitte

Claudinha se manifestou contra a homofobia e a misoginia.

A cantora Claudia Leitte declarou na noite de sábado (29/9), durante show no centro de Brasília, ser contra o “ódio” e a “homofobia”.  Sem citar diretamente o nome de Jair Bolsonaro, a artista fez as declarações para os fãs brasilienses presentes no evento. Enquanto ela falava, o público entoava “ele não”, campanha criada na internet contra a candidatura do presidenciável.

Claudia não aderiu a campanha e nem respondeu a Anitta, após ser desafiada por ela, mas deu o seu recado no show.

Agustin Fernandez declara voto em Bolsonaro Resposta

Agustin

Alienado e de olhos fechados para a homofobia

Mais um gay declara apoio ao truculento e homofóbico Jair Bolsonaro. Desta vez foi o maquiador Agustin Fernandez. Agustin fez textão e disse que não consegue ser hipócrita. Em que planeta ele vive, hein????

Karol Lannes, a Ágata de “Avenida Brasil”, revela que é lésbica Resposta

Mudança

Ana Karolina Lannes (18), que ficou conhecida na infância por interpretar Ágata, filha de Carminha (Adriana Esteves), em “Avenida Brasil”, assumiu publicamente que é lésbica:

“Eu sempre me aceitei em relação a tudo – meu corpo, minha sexualidade, sempre respeitei minhas decisões, e meus pais também. Tive mais sorte que a maioria da comunidade. Eu não sofri discriminação em casa, recebi apoio.”

Ela diz que por ter um pais homossexuais (um casal gay) enfrentou julgamentos ainda antes de se descobrir. “Ouvi de muitas pessoas, antes mesmo de eu explorar a minha sexualidade, que eu viraria gay por conta dos meus pais.

“Mas, se dependesse da influência deles, eu seria uma princesinha. Sempre fui mais meninona mesmo, até no jeito de me vestir.”, conta Karol. Ela disse na mesma entrevista que roubava roupas dos pais para se vestir como queria.

Karol, que é DJ em uma casa noturna hoje em dia, disse que chegou a ficar com alguns meninos no início da adolescência. Ela contou também que ficou com a primeira menina com uns 15 anos.

Se em casa não havia discriminação, na escola a situação era diferente:

“No início, alguns meninos da minha sala eram imaturos. Comentários e indiretas maldosas sempre existiram, mas nunca me importei. Eu era miga dos professores (risos), sempre me rodeei de pessoas que pudessem agregar na minha vida positivamente, não pessoas que querem te derrubar”.

Informações: UOL

Após ser desafiada por Anitta, Preta Gil se manifesta sobre Bolsonaro Resposta

Preta e Anitta.jpg

Preta Gil, que já foi alvo do discurso ódio do Jair Bolsonaro, se manifestou a respeito do movimento #EleNão, após ser desafiada pela cantora Anitta a se pronunciar sobre as eleições. A reação de Preta surpreendeu pelo tom nada amigável.

View this post on Instagram

Não preciso ser desafiada para falar o que já é óbvio, público e notório há sete anos, parece até que se esqueceram desses vídeos, pode até ter edição, mas a intenção de me agredir não teve. Não tem como eu apoiar um candidato que fez agressões gratuitas, calúnias e difamações a mim, a minha família e a tantos outros. Eu já senti na pele a fúria do mesmo e de seus eleitores, e não me intimidei, nem entrei no jogo da violência, segui sendo quem eu sou, lutando pelos meus ideais com amor e respeito e defendendo o que considero certo sem precisar ofender ninguém. Não me sinto no direito de desafiar ninguém a declarar repúdio ou apoio a ninguém, cada pessoa se posiciona ou não, por livre e espontânea vontade e deve ser respeitada. #souelenãohá7anos e sei que está difícil, que estamos cansados, mas não podemos deixar o ódio dominar nossas vidas. Vote em quem quiser, mas não agrida ninguém, não ameace as pessoas, isso não está certo. Sigo aqui na paz lutando por mim e por todos e todas que são diariamente atacados por discursos e atitudes racistas, homofóbicas e machistas!!! PS: vocês que me cobraram posicionamento esses dias, que me xingaram e que me ameaçaram… vocês não me conhecem, já meus fãs conhecem meu caráter e minha índole, eles não me cobram e não me julgam, eles me apoiam!!! #meuambienteélindo

A post shared by Preta Gil 🎤 (@pretagil) on

 

Casal de pinguins gays ‘sequestra’ filhote de casal hétero em zoo Resposta

Pinguins

Pinguins gays com filhote ‘sequestrado’ Foto: Reprodução/Facebook (Odense Zoo)

O zoológico de Odense (Dinamarca) está vivendo uma situação inédita e inusitada. Um casal de pinguins gays “sequestrou” o filhote de um casal hétero quando os rivais deixaram o bebê sozinho e saíram para nadar.

“Os pais sumiram e o filhote foi simplesmente sequestrado. Os responsáveis são um par de machos gays”, disse à emissora DR Sandie Hedegård Munck, que é veterinária no zoo.

“Quando eles viram o filhote sozinho, provavelmente pensaram: ‘Isso é péssimo, vamos pegá-lo’. Achei que os pais voltariam e exigiriam o filho de volta, mas o pai ficou andando por aí e se exibindo como se não tivesse um filhote”, acrescentou ela.

A direção do zoo deixaria o filhote com o casal gay se o casal hétero não se esforçasse em recuperá-lo. Mas, após um dia, os pais originais enfrentaram os pinguins gays e, com a ajuda de Sandie, tiveram o filhote de volta.

O final feliz também contemplou o casal gay. Veterinários deram a eles um ovo de uma mãe que não tinha como cuidar dele. Em breve, a família vai aumentar.

Para ver o vídeo clique aqui.

Fonte: Jornal Extra

Personagem gay faz parte da trama central de “Malhação” Resposta

Pedro Vinicius

‘Não há sentido algum em ser preconceituoso’, diz Pedro Vinicius, o Michel de “Malhação”.

O personagem Michael (Pedro Vinicius) está no centro da atual trama de “Malhação: vidas brasileiras”. Em entrevista ao Gshow, a autora da novela Patrícia Moretzsohn adiantou que a nova fase promete trazer muita emoção.

“Michael vai viver uma bela história de amor. Era isso o que a gente pretendia fazer, fugir dos preconceitos e falar de um romance tocante. E acho que conseguimos”, assegurou a autora.

A trama também abordará a homofobia.

Família real britânica tem seu primeiro casamento gay Resposta

Casamento

INSTAGRAM, @IVAR_MOUNTBATTEN

Lorde Ivar Mountbatten fez história, este fim de semana, ao ser o primeiro membro da família real britânica a casar com alguém do mesmo sexo. O primo distante da rainha casou-se no sábado com James Coyle, na sua mansão em Devon, no Sudoeste de Inglaterra.

A cerimónia ocorreu longe dos holofotes. “Foi um dia maravilhoso, apesar do horrível clima britânico”, partilhou o nobre no Instagram. Não se sabe ao certo quem esteve presente. Contudo, sabe-se que os duques de Cambridge estiveram, nesse dia, no casamento de uma grande amiga de Kate Middleton, Sophie Carter, que é madrinha da princesa Charlotte.

Mountbatten casou-se pela primeira vez em 1994 com Penelope Vere Thompson, com quem teve três filhas, com idades entre os 15 e os 22 anos. Divorciaram-se em 2011, de forma amigável, e cinco anos depois o lorde assumiu publicamente a sua homossexualidade. Aliás, no sábado, foi Penelope quem levou o ex-marido ao altar.

O casamento entre pessoas do mesmo sexo entrou na lei em Inglaterra e no País de Gales em Março de 2014. Num discurso ao Parlamento, em 2017, a rainha apoiou os direitos LGBT. “O meu executivo vai fazer novos avanços para lidar com as diferenças salariais e discriminação contra pessoas com base na sua raça, religião, gênero, deficiência ou orientação sexual”, disse.

Dono da mais famosa sauna gay do Brasil afirma que vai votar em Jair Bolsonaro Resposta

Douglas Drumond

Depois de Amir Khader ser filmado beijando Jair Bolsonaro (PSL), agora é a vez de um poderoso empresário postar em sua conta do Twitter apoio ao Coiso. Trata-se de ninguém mais, ninguém menos que Douglas Drumond, dono da mais famosa sauna gay do Brasil, a Chilli Pepper.

Douglas vota em jair

Em sua conta no Twitter, Douglas declara voto no homofóbico Bolsonaro

Jair Bolsonaro é abertamente homofóbico, apesar de agora, candidato, querer fazer as pessoas acreditarem que não.Ele disse que os pais, quando perceberam que os filhos têm tendência a serem homossexuais, basta dá um “couro” – entenda-se surra – que ele “muda”. Ainda, o mesmo declarou, em ocasiões anteriores, que a homossexualidade está atrelada à falta de educação, e que um filho dele jamais seria LGBT porque ele soube “educar”. Porém, na hipótese de ter um herdeiro gay, o militar afirmou que seria incapaz de amá-lo.

Diante da repercussão negativa entre seus clientes, Douglas resolveu apagar tuíte.

Áustria nega refúgio a homossexual afegão por “não parecer gay” Resposta

Leaders Meet In Brussels For European Council Meeting - Day One

Primeiro ministro da Áustria, Sebástian Kurz.

Veja você que absurdo! Um afegão de 18 anos pediu asilo na Áustria alegando sofrer perseguição por ser gay, mas recebeu resposta negativa do escritório de estrangeiros e refugiados de Viena. Motivo? Ele não parecia ser homossexual o suficiente. Isso mesmo! A informação é da revista Falter.

“A maneira de caminhar, sua atitude e sua forma de se vestir não dão a entender em absoluto que possa ser homossexual. Ao não sê-lo, não tem nada a temer ao retornar ao Afeganistão”, diz o relatório. E não para por aí. Os funcionários austríacos alegaram que, por ter brigado com outros meninos, o jovem “tem potencial de agressão que não cabe esperar em um homossexual”. Segundo os avaliadores, “os homossexuais são mais sociáveis”. Por fim, os funcionários não acreditam no jovem quando ele afirma que beijou meninos que não eram gays, porque, se fosse verdade, “teriam levado uma tremenda surra”.

O retorno do jovem ao seu país significa risco a sua vida. Mas o primeiro-ministro, Sebastián Kurz, da extrema-direita, que formou uma coalizão de governo com o Partido Liberdade (FPO), fundado nos anos 1950 por oficiais de SS nazista parece não se importar.

Como vocês sabem, existem homossexuais efeminados, não efeminados, com diversas características, assim como gays.