Primeiro hotel gay de Nova York abre hoje as suas portas Resposta

Fachada do Out NY (theoutnyc.com)
Nova York está pronta para receber o primeiro hotel gay da cidade.

O novo complexo na que fica no coração de Manhattan, próximo a Times Square, Out NYC se apresenta como um “lugar para gays e seus amigos e familiares terem bons momentos para ficar, brincar, comer,relaxar e revitalizar”, segundo o proprietário Ian Reisner.
Reisner disse que prefere não chamar o novo local de um hotel gay, mas sim de um lugar hétero-friendly, com o estilo de vida gay.
Os quartos do hotel vão custar entre $200 e $300 dólares por noite, aproximadamente R$340 a $500 reais, com direito a discoteca, bar, café e restaurante. 
Reisner disse que a atmosfera no “resort urbano” vai fazer com que as pessoas se sintam em um cruzeiro, onde todos possam desfrutar e relaxar: 
– Esperamos que os nossos clientes utilizem as instalações aqui e no resto da cidade. Este é um lugar para recebê-los de volta para relaxamento e diversão.
O hotel abre hoje as suas portas e com a legalização do casamento entre gays em Nova York, com certeza vai ser difícil achar acomodações disponíveis.
Você pode conhecer mais sobre o hotel através do website: http://www.theoutnyc.com

Turismo gay representa 10% do total anual de viajantes Resposta



Madri, 19 jan (EFE).- O turismo gay representa 10% do fluxo mundial anual de viajantes e engloba 15% da despesa total realizada pelos usuários no setor, segundo dados da Organização Mundial de Turismo (OMT).

A OMT apresentou nesta quinta-feira na Feira Internacional de Turismo de Madri (Fitur) um estudo sobre os hábitos de consumo de lésbicas, gays, bissexuais e transexuais, que evidencia a ‘crescente demanda’ por novos serviços para uma ‘modalidade segmentada’, mas que ‘tende à normalização’ dentro da oferta turística.

Aproximadamente 10% dos 980 milhões de turistas que viajaram no ano passado a distintas partes do mundo consumiram produtos de lazer, pacotes e viagens dirigidos ao público homossexual.

Trata-se de um perfil com poder aquisitivo alto, capacidade para viajar em qualquer data do ano e que gastam em média, por exemplo, no caso dos que visitam a Espanha, cerca de 130 euros por dia durante sua permanência.

Anualmente, principalmente os europeus, dedicam mais de 8 mil euros por pessoa com lazer e viajam quatro vezes mais que a média porque seu comportamento como consumidor é o de uma pessoa solteira sem filhos, o que lhes permite ter uma despesa maior. EFE

Pesquisa elege Tel Aviv como melhor destino gay Resposta



A cidade de Tel Aviv, em Israel, foi eleita como o melhor destino para turismo gay no mundo. A pesquisa, realizada pelo portal GayCities.com e pela American Airlines, apontou Tel Aviv como destino preferido de 43%, seguido de Nova York, com 14%; Toronto, com 7%; São Paulo, com 6%, e Madri e Londres com 5% cada uma.
Tel Aviv sempre foi conhecido como um lugar gay-friendly, mas aumentou a presença em todo o mundo em 2011 após uma série de atividades diferentes realizadas pelo Ministério de Turismo de Israel.
Cerca de 5 mil turistas gays visitaram Tel Aviv em junho do ano passado, quando aconteceu a Parada do Orgulho Gay, um acréscimo de 25% em relação ao mesmo período de 2010.

Boy George vem ao Brasil Resposta

Boy George, vocalista do Culture Club deve vir ao Brasil no próximo ano para tocar como DJ em um cruzeiro totalmente gay. A viagem a bordo do navio de luxo Vision of The Seas, deve acontecer no final de Março, saindo do porto de Santos até Búzios, no Rio de Janeiro.


A festa Vanity Cruise, organizada pela empresa MOB produções, oferece ainda para seus mais de 2000 tripulantes, parede de escaladas, SPA, piscina interna e externa, hidromassagens e outras atrações.

Como combinar turismo exótico com casamento gay Resposta

(Foto: Binod Joshi/AP)
O Rio de Janeiro pode ter sido considerado o destino mais “gay-friendly” do mundo no ano passado em eleição internacional online, mas o Nepal quer se firmar como o cenário ideal, exótico e romântico para gays se casarem em templos budistas. Atraídas por essa combinação, duas americanas, Courtney Mitchell, 41, e Sarah Welton, 48, se tornaram as primeiras lésbicas dos Estados Unidos a celebrar um casamento num templo hindu, seguindo todos os rituais tradicionais (elas são a primeira e a segunda à esquerda na foto que abre este post, clicada por Binod Joshi / AP).

Aconteceu em junho, num templo nas colinas perto da capital nepalesa, Katmandu. Elas trocaram guirlandas ao som de mantras entoados por um jovem sacerdote hindu. Courtney é professora de psicologia na Universidade de Denver, e estava vestida de noivo, com calças largas e um chapéu típico, alto, todo bordado. Sarah, que é advogada, estava vestida de noiva, com um sari vermelho e joias nepalesas.

O Nepal quer abocanhar um pedaço maior do turismo global gay, avaliado em 670 milhões de dólares. No ano passado, foi aberta a primeira agência de viagens destinada apenas a homossexuais, chamada Pink Mountain (Montanha Rosa). Um dos chamarizes é exatamente a cerimônia religiosa no Nepal para estrangeiros cujos países proíbem o casamento entre pessoas do mesmo sexo. Em dezembro de 2007, o Supremo Tribunal nepalês mandou o governo garantir a gays e lésbicas os mesmos direitos civis dos heterossexuais. Um passo enorme depois da longa era maoísta, quando a repressão sexual era violenta.

Hoje, nessa agência especializada, um pacote de uma semana de viagens – incluindo um casamento com direito a todos os rituais – custa 11 mil dólares. Quem mais procura o pacote turístico-amoroso são americanos. Mas há casais gays da China, Canadá e Alemanha em busca do mesmo album de recordações.

O Nepal parece buscar a vanguarda em relação a assuntos de gênero. Um novo censo nacional incluiu “o terceiro sexo” – para englobar pessoas que não se sentem homens nem mulheres.

Mas, claro, lá também há quem se arrepie com esses novos tempos: “Este é um ataque contra nossa cultura”, diz Basudev Krishna Shastri, astrólogo que comanda a Campanha Nacional de Consciência Religiosa. “Não precisamos promover o turismo gay para atrair estrangeiros homossexuais. Basta promover nossa cultura única e original, e nossas montanhas”.

O que você acha? Fica feliz com a descriminalização sexual e a tolerância a outros tipos de amor, que não entre um homem e uma mulher? Ou ainda se choca com os casamentos e beijos em público entre gays e preferiria fingir que o amor homossexual não existe – ou, como diz o radical e estridente Bolsonaro, seria uma aberrração?

Saia do armário e opine, sem ofensas.

*Com informações da Revista Época online.

Jornal britânico ¨The Guardian¨ mostra os motivos de o Rio se tornar a possível capital mundial do turismo gay Resposta

O diário britânico ¨The Guardian¨ fez uma reportagem apontando os avanços da comunidade LGBT no Rio de Janeiro, devido principalmente ao apoio que o governo do estado vem dando para acabar com a intolerância. 

O texto do correspondente Tom Phillips começa descrevendo a semana de moda do Rio (Fashion Rio), e cita a modelo brasileira transexual Lea T., que desfilou de biquini pela primeira vez no desfile primavera-verão e participou da celebração de abertura da Semana da Diversidade do Rio de Janeiro. Lea simplesmente chegou ao microfone e disse em um bom e delicado tom ¨ Meu nome é Lea e eu sou uma transexual¨, momento seguido por muitos aplausos que vinham de uma platéia formada por artistas, atletas, imprensa e celebridades de todos os níveis. 

O artigo cita as iniciativas tomadas pelo governo e prefeitura do Rio, como cursos de formação profissional para travestis, projetos de anti-bullying voltados para estudantes e uma nova legislação que proíbe a discriminação em casas noturnas. O prefeito Eduardo Paes disse que ¨o Rio é uma cidade sem preconceito que aceita todos de coração aberto¨. Em fevereiro deste ano, Paes criou uma secretaria que trata da diversidade e que é dirigida pelo estilista Carlos Tufvesson. 

Carlos, segundo o artigo, diz que o Rio não é apenas o destino mais sexy da Terra, mas também ¨um lugar onde a tolerância é natural. De acordo com o texto, essa atitude tomada pelo governo do Rio é algo que movimenta, principalmente, o turismo. No ano passado, 25% dos turistas que visitavam a cidade eram gays, o que motivou algumas empresas turísticas a colocarem fotos de homens musculosos nos seus folhetos convidando os turistas a ¨viverem a sensação do Rio¨. 

Para Tufvesson, qualquer pessoa que queira ganhar dinheiro na cidade basta abrir um negócio voltado para os gays: 

– Há uma grande demanda para este mercado ainda. O Rio agora faz parte do calendário gay.

Phillips cita em seu artigo que em 2007, Buenos Aires foi responsável pelo primeiro hotel de luxo gay da América Latina, mas Carlos Tufvesson explica que os cariocas não precisam de lugares voltados para os gays, já que as pessoas podem se beijar em qualquer lugar, é lei, e caso contrário, ¨vamos lá fechá-los(os estabelecimentos que discriminam homossexuais). Nossas leis municipais são fortes.¨ 

Ainda nomes como o de Silas Malafaia e o fato ocorrido com Myrian Rios, ambos opositores da democracia e do respeito, são citados no artigo, que lembra o caso lastimável do pastor evangélico que espalhou pela cidade no ano passado cerca de 600 outdoors com a frase ¨Em defesa da família e da preservação da raça humana: Deus fez homens e mulheres.¨ 

O governo sem dúvida nenhuma está fazendo a sua parte, cabe agora a população abraçar a idéia e ver qye todos nós temos e merecemos os direitos iguais, o respeito. Na minha visão, ainda está longe de o Rio ser a capital gay do mundo, até porque a cidade não se resume à zona sul. Ainda existem crimes de homofobia, gente que desrespeita os gays e tudo o que nós já sabemos. Mas o governo deu os primeiros passos para educar as pessoas, agora só falta essas pessoas seguirem esses passos.

Parada Gay é o evento de maior impacto no turismo de SP Resposta

Parada gay de SP em 2010
(Foto: Reprodução)

A Parada do Orgulho LGBT (lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais), que acontece neste domingo (26) na Avenida Paulista, é o evento que mais atrai turistas para a cidade. Quem diz é Luiz Sales, diretor de ações estratégicas da SPTuris, empresa responsável pelo turismo e por eventos na capital.
“O evento que atrai o maior número de pessoas é a Parada LGBT, mas é um evento curto: o maior fluxo de pessoas vêm no sábado e no domingo e isso faz com que o impacto econômico não seja o maior.”
A expectativa da Associação da Parada do Orgulho GLBT é que mais de 3 milhões de pessoas participem do evento no domingo. A Parada do Orgulho LGBT acontece há 15 anos em São Paulo. Para comemorar a data, a organização do evento pretende fazer o público dançar uma valsa em plena Avenida Paulista, o que pode fazer o espetáculo entrar para o Guinness Book (Livro dos Recordes) por promover o maior número de casais dançando valsa ao ar livre. A dança deve ocorrer por volta das 13h30 deste domingo.
*Com informações do Consulado Social.

Hotéis voltados para gays terão que ser ¨hétero-friendly¨ Resposta

Os hotéis que só aceitam reservas de pessoas homossexuais estão sendo investigados por acusação de discriminação.

A Comissão de Direitos Humanos e Igualdade diz que ainda não receberam nenhuma reclamação por parte de heterossexuais, mas não descartou a possibilidade de uma acão legal contra a estes estabelecimentos.
Esta atuação se desenvolveu depois de, no mês passado, um casal gay ter sido proibido de ficarem em um mesmo quarto em uma pousada, por ser uma coisa que vai contra a religião dos proprietários religiosos. Os donos da pousada foram multados. 
Pelo visto, estes hotéis agora terão que ser ¨hétero-friendly¨.

Primeiro cruzeiro gay da Argentina Resposta

Sairá de Buenos Aires em meados de dezembro de 2011 o primeiro cruzeiro gay da Argentina, organizado pela THESYS e EUROVIPS, os operadores locais de renome nacional e internacional, juntamente com GNETWORK360, uma consultoria especializada neste segmento na América Latina.

Menos de uma semana depois que a companhia assinou um contrato com a MSC Cruzeiros, o grupo apresentou no Axel Hotel, nesta cidade: EGO, o primeiro cruzeiro gay da Argentina. Como disse José Maria Jaroslavsky, diretor da Thesys: “Este tipo de cruzeiros são muito comuns nos EUA e alguns países europeus, aqui na América Latina é algo que nós apenas estamos começando a perceber, e sabemos que será bem sucedido”.
Durante quatro noites, a máquina do EGO será implantada para entreter e surpreender os seus 2.000 convidados. O navio MSC Opera com 252 metros de comprimento, tem capacidade para 2.200 passageiros, e sairá em 12 dezembro de 2011 do porto de Buenos Aires para visitar os portos de Punta del Este e Montevidéu como parte do seu itinerário.
Sete bares, quatro restaurantes, áreas de spas, lojas, teatro, casino, discoteca, 92 pavimentos e grandes piscinas são apenas algumas das amenidades que beneficiam os mais de 2000 homens gays nesta primeira viagem.
De acordo com o cronograma serão os melhores DJs nacionais e internacionais e surpresas a cada noite, festas temáticas e espectáculos, que fará EGO, uma mega festa.
Pablo De Luca e Gustavo Noguera, da consultoria Gnetwork360, adiantam: “Desde a escolha dos DJ’s e dos artistas que irão se apresentar para nossos clientes, aos pequenos detalhes como a música nos elevadores não será nada deixado ao acaso, EGO vai ser uma experiência inesquecível de cinco dias”.
Muitos clientes vêm de outros países. Para estes os operadores organizaram programas de pré e pós-cruzeiro, recebendo em Buenos Aires antes da partida do navio, com organização de viagens pós-cruzeiro para destinos tradicionalmente escolhido por viajantes gays e lésbicas, como Salta, Iguaçu, El Calafate, Mendoza ou Bariloche.
Patrocinado pela Câmara de Comércio Gays e Lésbica da Argentina, e apoiado pelo Ministério do Turismo da Argentina, o Turismo de Buenos Aires, a Delta Air Lines, Aerolineas Argentinas, e Axel Hotels, parece que o EGO vai ser um sucesso e um projecto inovador na indústria do turismo regional que chegapara ficar.
Fonte e mais informações: http://www.ego54.com 
*Com informações da TV Magia

Argentina: Mar del Plata se posiciona como destino para público LGBT Resposta

Mar del Plata, Argentina
A oferta de serviços para a comunidade LGBT (Gays, Lésbicas, Bisexuais e Transgêneros) na cidade de Mar del Plata, na Argentina, cada vez mais se afirma como um destino voltado para este público.

De acordo com Pablo de León, presidente da Câmara de Comércio Gay e Lésbica da Argentina (CCGLAR), existe um grande interesse comercial em instalar-se na cidade. O executivo afirmou que a CCGLAR calcula que 15% do total de turistas integram a comunidade LGBT.

A cidade é uma das mais atrativas para estrangeiros, segundo levantamento da câmara. ¨Pedimos para que os entrevistados apontassem o destino preferido entre uma lista. Os brasileiros elegeram Mar del Plata como a terceira preferida, depois de Buenos Aires e Bariloche¨, explica León.

O perfil da comunidade LGBT permitiu o crescimento deste segmento de turismo no destino. Estes turistas normalmente têm alto poder aquisitivo, se interessam por moda, viajam em grupo ou em casal e não tem filhos.

*Com informações de Hôtelier News

Revista elege as 15 cidades mais gays dos EUA Resposta

A revista voltada para o público LGBT, ¨The Advocate¨, listou as 15 cidades mais gays da América e, curiosamente, a cidade de Nova York não está no ranking e São Francisco figura na décima primeira posição. Confira a lista:

1- Minneapolis
2- Santa Fé

3- Las Vegas
4- Orlando
5- Pittsburgh
6- Vancouver
7- Atlanta
8- Washington, D.C.
9- Seattle
10- St. Louis
11- São Francisco
12- Cleveland
13- Denver
14- Oakland
15- Miami

Leia também: Agências de turismo apontam os 5 melhores pontos turísticos para gays no mundo

Agências de turismo apontam os 5 melhores pontos turísticos para gays no mundo Resposta

Se você pensa em passar as férias em algum lugar do mundo em que possa ser livre, se jogar, ser feliz e não se preocupar se alguém vai te criticar porque você colocou aquela roupa mais brilhosa, qual lugar você iria? Se você disse São Francisco, Londres ou Nova York, esqueça! 


Líderes de agências de turismo mundiais apontam as cinco cidades mais ¨gay friendly¨ no mundo para todos os gostos e bolsos, longe de um olhar óbvio. Conheça a lista:

1. Buenos Aires, Argentina

A Argentina tornou-se recentemente o último país a legalizar casamentos do mesmo sexo e com uma comunidade muito vibrante de gays e lésbicas, a cena cultural e preços baixos é um dos melhores novos destinos no mundo.

Procure por uma das dezenas de novos hotéis boutique ¨gay-friendly¨ em Palermo Soho, um bairro repleto de lojas, restaurantes e clubes.

2. Curaçao, no Caribe

Nomeado o novo melhor destino turístico gay em 2009 pela agência de viagens TripOut Gay, a ilha caribenha holandesa é vista como uma versão reduzida do país europeu, com sua atitude relaxada, juntamente com praias paradisíacas e sol todo o ano.

3. Cape Town, África do Sul

A segunda maior cidade da África do Sul tem sido chamada de a segunda cidade mais ¨gay-friendly¨ do mundo em uma pesquisa realizada pelo site de viagens Expedia Austrália (Sydney é o número um).

Segundo agências de viagens, Cape Town combina deslumbrantes paisagens naturais com abundância de bares gays, clubes e acomodações para todos os orçamentos. Visite a cidade em fevereiro para as duas semanas de duração do Cape Town Pride.

4. Xangai, China

Recomendado pela revista Out Traveler e vice-campeã da TripOut Gay Award 2009, Shanghai é o lugar para certo para ir, se o que você está procurando é a vida na cidade com um cenário de crescimento gay. Embalado com arranha-céus, lojas, comida de rua e a chance de escapar para alguma das suas, pequenas mas bonitas, praias.

5. Istambul, Turquia

Onde o Oriente encontra o Ocidente, a história de Istambul, comida, arquitetura incrível e as pessoas amigas fazem dela um destino de viagem surpreendente. Adicione uma fantástica vida noturna e uma crescente comunidade gay e você tem o destino gay perfeito!

Agora é fazer as malas e se jogar!


Nepal quer atrair 200 mil turistas gays em 2011 Resposta

O Nepal quer atrair cerca de 200 mil turistas gays para o país em 2011. Segundo a Blue Diamond Society, uma organização que representa as minorias sexuais no país, o Nepal pretende que dos cerca de um milhão de turistas esperados neste ano, 20 por cento seja do público LGBT.

Membros da agência de viagens Pink Mountain, voltada para o turismo exclusivamente para homossexuais, disseram que os gays estão respondendo favoravelmente aos pacotes de viagens e férias oferecidos pela empresa, que oferece casamento, lua de mel e pacotes de aniversário para nepaleses e turistas homossexuais. Segundo o presidente da agência, Sunil Babu Panta, já foram confirmados mais dois casamentos gays.

A maioria dos turistas gays que chegam no Nepal vem principalmente de dois gigantes países da Ásia, Índia e China. Políticas liberais do Nepal em relação às minorias sexuais na sequência de uma decisão da Suprema Corte, tem atraído gays de muitos países. Em 2007, o Supremo Tribunal Federal do Nepal dirigiu o governo a conceder cidadania aos LGBT’s e formar uma comissão de casamento do mesmo sexo para garantir a igualdade das minorias sexuais.

A agência Pink Mountain oferece casamentos nos grande parques nacionais, safáris e meditação para o público LGBT que visitam o país. Globalmente, o turismo gay é estimado em mais de $100 bilhões de dólares por ano, e os empresários gays do Nepal estão interessados em ganhar dinheiro com isso.

Segundo Panta, só os EUA faturam $68 bilhões de dólares todos os anos através do turismo gay. ¨Nós somos um dos países de mais rápido crescimento da Ásia do Sul para aceitar as características naturais dos gays. Podemos aproveitar este benefício para impulsionar a economia do país¨, disse. 

Empresários do turismo gay estão coordenando com o governo, bem como outras organizações comerciais este ano, para atrair um grande número de homossexuais. Para Panta, o governo ampliou apenas o apoio moral ao setor de turismo gay, no entanto, ele se diz satisfeito que os grandes hotéis e resorts vieram para a frente com eventos focados na comunidade LGBT.

Novo resort voltado apenas para gays será inaugurado no México Resposta


Será inaugurado no mês que vem, o ¨Adonis Tulum Gay Resort & Spa¨, um hotel voltado exclusivamente para casais gays no México, onde mulheres, mesmo sendo lésbicas, não podem entrar.

¨O resort é exclusivamente para homens. O que significa que, apenas casais homossexuais serão aceitos. Não é para mulheres, embora dentre os nossos funcionários existam homens e mulheres heterossexuais, e todos irão receber treinamento para impedir que nossos hóspedes sintam-se inconfortáveis e discriminados¨, disse um dos responsáveis pelo hotel.


E a restrição não termina por aí. Menores de idade também não poderão entrar. O que significa que casais homossexuais não podem levar, por exemplo, os filhos para passar as férias no resort.

A inauguração será no mês que vem e já foi divulgado o preço de um pacote para o fim de semana entre os dias 14 – 16 de Janeiro, chamada de Partenon, que inclui uma cama king size ou duas camas de casal, uma varanda com piscina, praia ou vista para o jardim, banheira de hidromassagem, artigos de higiene com design diferenciado, cortinas black-out e internet gratuita. Tudo isso por $609.00 a diária.

Conheça as 10 melhores cidades para gays no mundo 1


O site ¨Radio Nederland Wereldomroep¨ exibiu uma lista com as 10 melhores cidades do mundo abertas para receber os gays. Confira a lista:

1. Sidney:

A homossexualidade era crime na Austrália até 1984, mas os tempos mudaram. Hoje, uma das maiores paradas gays do mundo acontece anualmente em Sidney, em Darlinghurst. 

2. São Francisco:

São Francisco, nos EUA, tem uma rica história de emancipação homossexual. No bairro The Castro as bandeiras do arco-íris balançam o ano inteiro propagando o orgulho gay. Quinze por cento dos moradores se dizem homossexuais – a maior percentagem nos Estados Unidos.

3. Berlim:

Uma cidade que está em alta entre os homossexuais. Berlim tem inúmeros cafés, clubes e teatros alternativos. Sua atmosfera aberta e criativa a torna muito agradável para gays e lésbicas. O prefeito Klaus Wowereit é homossexual. Certa vez ele disse: “Ich bin schwul – und das ist auch gut so” (Sou gay – e isso é bom). A capital alemã também tem um asilo para homossexuais idosos. O bairro gay é Schöneberg, próximo à Nollendorfplatz.

4. Nova York:

Sexualidade não é um problema em Nova York, diz o jornal britânico The Independent. A Grande Maçã é um lugar onde gays e lésbicas de todas as idades podem se integrar na vida empresarial e política. Sua sexualidade é a última coisa na qual alguém irá reparar”. A vida gay floresce principalmente em Chelsea e Greenwich Village.

5. Paris:

Principalmente o distrito Le Marais tem uma agitada vida gay em cafés, cabarés e clubes noturnos. O bairro tem uma rica cena gay ao redor das ruas Sainte-Croix de la Bretonnerie e Vieille du Temple. Ali fica também o maior clube gay da Europa, o Le Dépôt. Já para as lésbicas o endereço é Rue des Ecouffes, ao sul do Marais.

6. Mykonos:

A ilha grega no Mar Egeu, com suas praias de nudismo, é desde os anos 60 famosa por sua abertura a homossexuais – homens e mulheres – e sua exuberante vida noturna. “Todas as acomodações são ‘gay friendly’ porque se os gays não vêm, Mykonos fica vazia”, afirma uma agência de viagens.

7. Amsterdã:

A clássica ‘Capital Gay do Mundo’. Mas os homossexuais dizem que o clima na capital holandesa piorou muito nos últimos anos. Três quartos deles acham que a cidade não faz mais jus ao título de capital gay. Mas a cidade ainda tem o monumento homossexual, que o partido político D66 quer transformar em patrimônio europeu. O primeiro casamento homossexual aconteceu em Amsterdã no dia 1 de abril de 2001.

8. Tel Aviv

Muitos israelenses são abertos em relação a homossexuais, embora o casamento gay não seja permitido por motivos religiosos. Tel Aviv já era conhecida por sua vibrante vida noturna, mas isso se intensificou ainda mais desde que a indústria do turismo descobriu os homossexuais como público alvo. Muito está sendo feito para que praias e clubes noturnos sejam cada vez mais abertos a homossexuais.

9. Barcelona:

A abertura para homossexuais na cidade já data do tempo da ditadura de Franco. A homossexualidade era oficialmente ilegal, mas na capital catalã os homossexuais eram aceitos. Atualmente, homossexuais podem se casar na Espanha. O bairro gay de Barcelona se chama L’Eixample, popularmente conhecido como: Gayxample.

10. Cidade do Cabo:

A cidade sul-africana é considerada uma das mais abertas a homossexuais no Hemisfério Sul. Waterkant Village é a ‘gay village’. A praia Clifton 3 também é bastante popular. O ponto alto do ano é o Mother City Queer Project, em dezembro: uma grande festa a fantasia gay.

Agora, anote as dicas e arrume as malas!!!


*Com informações do Radio Nederland Wereldomroep.