Alunos protestam contra ataque a lésbicas na UFRN Resposta

Protesto dos estudantes, foto Adriano Abreu
Alunos da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) protestaram contra atos homofóbicos registrados na instituição de ensino. O protesto aconteceu nesta quinta-feira. No dia 21/02 duas alunas foram agredidas por um homem após se beijarem durante uma festa de calouros.
Cerca de 30 mulheres e alguns homens ocuparam o centro de convivência da UFRN portando cartazes e exigindo respeito. Uma bandeira com ar cores do arco-íris foi estendida sobre o chão.
O protesto foi organizado pelo Coletivo de Mulheres do DCE da UFRN e contou com a colaboração do Grupo Universitário em Defesa da Diversidade e Expressão das Sexualidades (GUDDES), do Grupo Afirmativo de Mulheres Independentes (Gami) e da Marcha Mundial das Mulheres.
Agressão

No dia 21/02, durante festa para recepcionar novos alunos da UFRN, duas mulheres foram atacadas por um rapaz, após se beijarem. A agressão homofóbica gerou comentários em redes sociais e chamou atenção para o debate acerca do preconceito sofrido por lésbicas dentro da universidade.
Após tomar conhecimento da situação a UFRN prestou solidariedade às vítimas e repudiou a violência. Na época, o reitor Ivonildo Rêgo afirmou que esse tipo de atitude é incompatível com o espírito universitário, de respeito às diferenças e à pluralidade e solicitou à Divisão de Sergurança que procedesse investigações para identificar o agressor.