Foda-se o ódio Resposta

Uma campanha para acabar com o bullying contra os gays nos EUA está dando o que falar. Criada pelo publicitário Luke Montgomery e entitulada FCKH8 – Fuck Hate (Foda-se o ódio), a campanha divulgou um vídeo onde pode ser visto homens e mulheres de todas as idade, gays e héteros, promovendo a união entre as pessoas de diferentes orientações sexuais e se mostrando contra os ataques aos homossexuais.

Eles relatam importantes questões a serem abordadas pela sociedade: o bullying nas escolas, o preconceito nas igrejas, adolescentes rejeitados pelos pais por conta da homossexualidade e a rejeição ao casamento gay.


Leia também: Vídeo anti bullying traz mãe que perdeu filho de 13 anos após suicídio

Além disso, a ideia é captar recursos através da venda de camisetas, broches e pulseiras, que serão utilizados em campanhas preventivas contra o suicídio entre os jovens. Vários outros slogans são usados, como o STR8 Against H8 (Héteros contra o ódio), para motivar os heterossexuais a se abraçarem aos amigos gays e mostrarem ao mundo que todos merecem o respeito.

Personalidades americanas já aderiram a campanha, como a apresentadora Ellen DeGeneres, o cantor Adam Lambert, Jane Lynch do seriado Glee e o blogueiro Perez Hilton. Este, com certeza, é um exemplo a ser seguido por todos.

Assista o vídeo da campanha:

Ricky Martin espera casamento gay ser aprovado em Porto Rico Resposta

Ricky Martin afirmou em entrevista para o site ¨PopCrunch¨ que vai se casar apenas quando for reconhecido o casamento entre pessoas do mesmo sexo em Porto Rico. Segundo o cantor, que tem dois filhos gêmeos, ele quer ter o mesmo direito como qualquer outra pessoa do seu país e não gostaria de se sentir um cidadão de segunda classe. E completa: ¨eu gostaria de casar na ilha que eu nasci e aonde eu vou morrer¨.


Ricky, que recentemente assumiu ser gay, namora há 3 anos e diz o que é necessário para conquistá-lo:

– Tem que ser alguém inteligente e que não seja arrogante. Eu amo força mental. Com todas as coisas que vem junto, a pessoa tem que estar certa de si mesma. Isso me excita. Alguém que tenha uma carreira, que seja mente aberta. Isto é o que eu amo, aventureiro é a palavra.

Foto: Reprodução.

Vídeo anti Bullying traz mãe que perdeu filho de 13 anos após suicídio Resposta

Na tentativa de parar com atitudes de bullying nas escolas, Wendy Walsh fez um vídeo onde ela lê uma carta deixada por seu filho de 13 anos, Seth Walsh, que cometeu suicídio em setembro deste ano depois de sofrer bullying por conta de sua homossexualidade.

De acordo com as autoridades que investigaram o caso, nenhum membro da escola interferiu para que os ataques fossem cessados. A ONG ¨União da Liberdade Civil Americana¨, que trabalha para defender e preservar os direitos individuais e garantir a liberdade para todos os cidadãos americanos através da constituição e leis dos EUA, divulgou nesta quinta feira (17) um vídeo que mostra a mãe do adolescente lendo a carta que ele deixou antes de se pendurar e se enforcar em uma ávore. Na carta Seth diz que sabe quanto sofrimento a atitude dele iria trazer, mas que esperava ir para um lugar melhor do que essa merda de mundo¨.

Quantas mortes ainda teremos que assistir de camarote? Quantas mães enterrando seus filhos serão necessárias, para que a população perceba que uma educação a respeito da diferença sexual é importante? Quantos GAYS continuarão fazendo suas ¨festas¨ em paradas gays ao invés de realmente abraçarem a causa de forma séria e lutar pelos direitos?

O vídeo termina com a mãe de Seth narrando como o encontrou pendurado na árvore. Ele não morreu imediatamente, ainda ficou internado por oito dias até que os médicos declararam a morte cerebral. Wendy Walsh diz que quer levar ao mundo o que aconteceu com seu filho, dizer que existem milhares de jovens sofrendo os mesmos ataques e que isso precisa ter fim.

Assista ao vídeo da mãe de Seth lendo a carta:

Kevin Spacey compara rumores sobre sua homossexualidade com bullying Resposta


“Eu sinto que eles (os adolescentes) têm direitos como eu de não serem intimidados. Não entendo as pessoas que dizem: ‘Bem, isso é uma coisa terrível que está acontecendo com o jovem, cuja vida está sendo exposta’, e, em seguida, vira-se e faz isso com outra pessoa. – Kevin Spacey, ator estadunidense, comparando os rumores a respeito de sua orientação sexual com o bullying.

Eu acho que a pessoa tem o direito de não sair do armário, mas a comparação entre fofoca e bullying eu achei totalmente descabida. E você, o que acha disso?

Harvard: xixi em livros gays é acidente Resposta

A Universidade de Harvard, em Cambridge, Massachusetts, uma das mais tradicionais do mundo, decidiu não mais investigar o caso de 40 livros que foram estragados por urina em sua biblioteca como crime de ódio. A instituição classificou como incidente. Um funcionário teria esbarrado em uma garrafa que estava na prateleira, com urina e, sem querer atingido os livros.

A decana Evelynn M. Hammonds afirmou ao jornal universitário que o incidente não deve ser minimizado, mas a polícia de Harvard não classifica mais o ato como crime de ódio. Todos os livros serão repostos.

Marco Chan, co-presidente da Associação de Alunos Gays de Harvard e Aliados (HCQSA, sigla em inglês) diz que ainda há perguntas a serem respondidas: “Por que uma garrafa de urina estava na prateleira (da biblioteca)? Por que levou duas semanas para a polícia de Harvard concluir que foi apenas um acidente? Quem assumiu a culpa?” Perguntas que o blog também gostariam que fossem melhores esclarecidas.

Figuraça da Semana Resposta

O presidente da Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT), Toni Reis, esta semana, em encontro promovido pelo Palácio do Planalto com movimentos sociais, disse que o “Lula é muito gente boa. Tem até barba branca, é o Papau Noel dos gays”, elogiando as várias iniciativas que o governo federal tem tomado em favor das lésbicas, dos gays, dos bissexuais e dos transgêneros (LGBT).

O blog vai eleger, toda a semana, a figuraça da semana. E esta semana, o eleito é o presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Foi nesta semana que o governo federal anunciou que casais homossexuais, em uni˜åo estável, podem declarar o Imposto de Renda conjuntamente. Também nesta semana, o governo federal anunciou a criação de um conselho nacional voltado para o movimento LGBT, com a função de combater e promover os seus direitos.

Além disso, na sexta-feira passada, a portaria 513 do Ministério da Previdência, publicado no Diário Oficial da União (DO), determinou que os benefícios do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), como pensão por morte, devem incluir parceiros do mesmo sexo em união estável.

Outras medidas têm sido tomadas pelo governo federal, para combater a homofobia, inclusive alguns filmes com temática LGBT, para serem passados em escolas, com o intuito de conscientizar professores e alunos da importância de lidar com as diferenças.

Durante o governo Lula, tivemos a Primeira Conferência Nacional Para os de Gays, Lésbicas, Bissexuais e Transgêneros (GLBT, sigla usada na época), com a presença do presidente.

O programa Brasil Sem Homofobia, foi criado no governo Lula.

Ainda precisamos avançar, por exemplo, é importante que o governo da presidente Dilma Rousseff se empenhe em aprovar o PLC 122/06, que criminaliza a homofobia. Projeto que tem, entre um de seus maiores opositores, o senador da base aliada Marcelo Crivella. Mas Lula merece a homenagem do blog, afinal de contas, como bem escreveu Émerson Maranhão, em sua coluna “Cena G”, no jornal “O Povo”, do Ceará, “Lula deixa o poder com o título de presidente brasileiro mais simpatizante à causa gay”.

Winona Ryder detona Mel Gibson Resposta

A atriz estadunidense Winona Ryder, em entrevista à revista britânica “GQ” disse não estar surpresa com o comportamento racista do ator australiano Mel Gibson, gravado pela ex-namorada dele, Oksana Grigorieva, no começo deste ano.


“Há 15 anos, eu estava em uma daquelas grandes festas de Hollywood e ele estava muito bêbado. Eu estava com um amigo gay e Gibson fez uma piada homofóbica horrível.”

Winona continuou: “Em algum momento da conversa ele ficou sabendo que eu sou judia e falou uma coisa sobre ‘oven dodgers’ (termo pejorativo para falar dos judeus), mas eu não entendi o que ele quis dizer. Foi um momento muito estranho.”

Ex-gay em novo seriado da Globo Resposta

A direção da Rede Globo aprovou a série “Algo Errado”, de Fernanda Young e Alexandre Machado. A trama vai tratar de um ex-gay e uma ex-gorda, segundo a coluna “Controle Remoto”, da jornalsita Patrícia Kogut, do jornal “O Globo”.

A personagem gay estará em uma boate e, depois que uma bola de espelho cair sobre sua cabeça, ele se tornará heterossexual.

Segundo a coluna, os amigos e familiares ficarão chateados com a mudança de orientação sexual. O ator, dramaturgo, diretor, cineasta, escritor, ex-carnavalesco e ex-apresentador Miguel Falabella recusou o convite para protagonizar a trama, alegando estar sem tempo, escrevendo ums novela nova.

“Algo Errado” vai tratar de um tema que já vimos nos filmes “Se Eu Fosse Você”, “Shampoo” e no seriado “Drop dead Diva”.

O seriado será totalmente ambientado em um salão de cabelereiros, local de trabalho do ex-gay.

Presidente da Fifa se desculpa com gays Resposta

O presidente da Federação Internacional de Futebol Associado (Fifa), Joseph Blatter, pediu desculpas nesta sexta-feira aos gays, após sofrer pressão internacional de entidades ligadas aos direitos de lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros (LGBT), por ter dito que eles deveriam se abster de relações sexuais durante a Copa do Mundo do Qatar, em 2022.

A declaração do presidente foi uma resposta às criticas de ativistas pela infeliz escolha de um país onde a homossexualidade é considerada crime.

“Eu já disse aqui” se eu atingi um grupo de pessoas, eu voltaria atrás, porque não era a minha intenção fazer qualquer tipo de discriminação. Por isso eu volto atrás”, afirmou Blatter.

O Qatar é um país com tradições islâmicas, onde ingerir bebidas alcoólicas em público é proibido, bares e discotecas praticamente não existem e é proibido afeto em público, além da homossexualidade ser considerada crime.

Secretaria de Segurança do Ceará discute homofobia Resposta

Representantes de grupos de defesa dos direitos de lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros (LGBT) do Ceará se reuniram com o secretário de Segurança do estado Roberto Monteiro, para discutirem políticas que diminuam a violência homofóbica no estado.

A violência acontece de diversas maneiras, segundo Dediane Sousa, do Grupo Resistência Asa Branca (Grab): desde as maneiras de abordar até a apuração dos crimes homofóbicos. Nos últimos dois meses, pelo menos seis homossexuais foram assassinados no Ceará.

A prefeitura da capital cearense, Fortaleza, criou o Centro de Referência GLBT, que começará a funcionar em janeiro. Segundo a coordenadora do centro, Luana Marlem, dependendo da demanda, o acompanhamento poderá ser jurídico e psicológico.

Espero que funcione, pois Fortaleza é um dos lugares mais lindos do mundo e não merece ficar manchado com sangue LGBT!

Defensoria pede punição a acusados de homofobia em SP Resposta

A Defensoria Pública de São Paulo ofereceu, nesta quinta-feira (16/12), uma representação na Secretaria de Estado de Justiça e Defesa da Cidadania, contra os cinco jovens acusados de agressões e homofobia ocorridas na Avenida Paulista, no último 14 de novembro. O grupo agrediu um rapaz gay com uma lâmpada em seu rosto.

A Defensoria pede a aplicação de multas a cada um dos agressores por discriminação homofóbica, com fundamento na Lei Estadual 10.948/2001, que prevê punições administrativas para pessoas físicas e jurídicas por atos de preconceito por orientação sexual. O Brasil não dispõem de uma lei nacional sobre o assunto.

Na última terça-feira 14/12), a vítmia e o vigia que o socorreu prestaram depoimento à Secretaria de Estado de Justiça e Defesa da Cidadania, que encaminhou os depoismentos à Defensoria Púlbica de São Paulo. Existe um convênio entre os dois órgãos para combater a homofobia. Diante do teor das declarações, todas acusando agressões acompanhadas de insultos homofóbicos, a Defensoria pedia a abertura de processo administrativo contra os acusados.

A defensora pública Maíra Coraci Diniz pediu a aplicação de multa de 1.000 Ufesps (R$ 16.420) para cada um dos agressores. A multa cabe inclusive aos adolescentes, em razão da responsabilidade de seus pais. Vocês se lembram que uma das mães disse que o filho não havia feito nada demais?

A lei estadual 10.948/2001 prevê que “consideram-e atos atentatórios e discriminatórios dos direitos individuais e coletivos dos cidadãos homossexuais, bissexuais ou transgêneros para efeitos desta lei praticar qualquer tipo de ação violenta, constrangedora, intimidatória ou vexatória, de ordem moral, ética, filosófica ou psicológica”.

A lei ainda penaliza administrativamente a prática de discriminação por orientação sexual. Pode ser punido todo o cidadão, inclusive detentor de função pública, civil ou militar, e toda a oorganização social, empresa pública ou privada, como restaurantes, escolas, postos de saúde e motéis. Comprovada a ocorrência de discriminação, poderão ser aplicadas penas administrativas como advertência e multa monetária pela Comissão Processante Especial.

São Paulo instrui servidores sobre diversidade sexual Resposta

A Coordenação de Políticas para a Diversidade Sexual do Estado de São Paulo, em parceria com a Secretaria de Gestão, promoveu entre os dias 2 e 9 de dezembro uma série de videoconferências com temas ligados à diversidade sexual e a promoção dos direitos da população de lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros (LGBT).

Estiveram presentes 750 pessoas (jornalistas, escritores, pedagogos, médicos e advogados).

Dimitri Sales, coordenador de Políticas para a Diversidade Sexual do Estado de São Paulo se disse “satisfeito com o debate a com a participação das pessoas”. Ele disse que o plano estadual está sendo cumprido: “Estamos ampliando, por meios de iniciativas vitoriosas como essa, a nossa força mobilizadora para a promoção dos nossos direitos junto aos servidores públicos e revelando cada vez mais o compromisso do governo do estado com a promoção da cidadania LGBT”.

A videoconferência é parte do projeto “A Conquista da Cidadania LGBT: a Política da Diversidade Sexual em São Paulo”. Por meio da internet, foi possível, segundo os organizadores, capacitar os servidores públicos do estado de São Paulo, conforme determina o Plano Estadual, que define ações e metas a serem desenvolvidas por 11 secretarias do governo paulista no biênio 2010-2011.

Um vídeo será produzido e distribuído gratuitamente para órgão públicos e entidades da sociedade civil. Estarão disponíveis para acesso gratuito e download no site do órgão (clique aqui e conheça o site da secretaria de Justiça e da Defesa da Cidadania). A intenção é ampliar o acesso de servidores públicos estaduais e sociedade civil em geral aos debates promovidos, bem como oferecer um importante instrumento para novas capacitações.

Não é de hoje que o estado de São Paulo, assim como alguns outros, vem contribuindo para a inclusão social dos LGBT. Uma bela iniciativa. Agora, a Justiça precisa punir exemplarmente, pessoas que cometem atos homofóbicos, como os últimos noticiados.

*Com informações da Agência de Notícia da Aids.

Afinal, quem é dono do arco-íris? Resposta

Como não poderia deixar de ser, um ativista do grupo americano anti-gay ¨Organização Nacional do Casamento¨ (aqui exite grupo para tudo que voce possa imaginar), está dando declarações contro o uso do arco-íris como símbolo da liberdade homossexual. Segundo ele, os gays não são donos do arco-íris. Algumas dessas pessoas que, provavelmente, não tem muita coisa pra fazer, estão dizendo que o arco-íris é um sinal de Deus e que não tem nada a ver com homossexualismo.

Jennifer Morse, fundadora e presidente do ¨Projeto Ruth¨, descrito por ela como uma causa para promover o amor do casamento duradouro para estudantes (rs), diz que ¨as pessoas não podem simplesmente deixar os gays levarem o arco-íris, utilizado em escolas cristãs, na arca de Noé… todos esses são ótimos símbolos cristãos, judeus e o arco-íris ainda é nosso¨.

De fato, o símbolo esteve presente em diferentes momentos da história. Segundo algumas religiões, o arco-íris foi entitulado por Deus como arco-aliança, logo depois que ocorreu o grande dilúvio, quando Deus firmou um compromisso de nunca mais inundar o planeta, colocando assim, o arco-íris como um símbolo deste pacto.

No início dos anos 70, nos EUA, a bandeira do arco-íris era tida como um símbolo do internacionalismo e unidade entre os povos. Unidade. Foi utilizada pela primeira vez como símbolo das minorias sexuais e orgulho gay, na parada do dia da liberdade gay de São Francisco, no dia 25 de Junho de 1978. Mas antes, ela foi usada também no século XVI, durante a Guerra dos Camponeses da Alemanha, como um sinal de esperança da nova era. Esperança. O sacerdote Thomas Muentzer, que fez o apelo durante a revolta, é muitas vezes retratado segurando a bandeira do arco-íris.

Na Itália, foi utilizada como símbolo pacifista nos anos 60. Esta bandeira tem escrita a palavra pace, que significa paz em latim. Paz. Não podemos esquecer que o Greenpeace, organização de proteção ao meio ambiente, utiliza a bandeira do arco-íris em várias ações, como por exemplo a série de barcos Rainbow Warrior (guerreiro arco-íris).

O arco-íris também é usado na bandeira oficial do Oblast Autónomo Judaico, que tem as sete cores representando os sete braços do Menorá, que segundo as tradições judaicas, representam os sete dias que Deus utilizou para criar o mundo. O Peru, a Bolívia e o Equador utilizam a bandeira do arco-íris como símbolo do Tahuantinsuyu, índios andinos, porém algumas pessoas do movimento indígena de Cuzco, no Peru, tem demonstrado o desejo de abandonar o símbolo por conta de uma confusão junto ao movimento LGBT.

Portanto, de quem será o arco-íris? Quem seria o mais indicado a carregar esse símbolo secular? O fato é que de um lado ou de outro, o arco-íris sempre foi um símbolo de união e amor, acima de tudo, um símbolo que representa a paz. E por que querem tirar o direito de paz e amor dos gays? Alguns grupos são egoístas ao ponto de quererem o arco-íris só para eles. Mas para mim, se perguntássemos ao arco-íris para quem ele gostaria de brilhar, tenho certeza que ao invés de escolher aqueles que fazem a guerra, ele escolheria aqueles que apenas fazem o amor.

EUA: Campanha contra AIDS coloca gays como principais transmissores Resposta

O Departamento de saúde da cidade de Nova York produziu um vídeo que promove o uso da camisinha para prevenir a transmissão do HIV e advertir sobre as consequências decorrentes do contágio da doença. O vídeo vem causando desconforto em diferentes setores, principalmente na comunidade LGBT, pois segundo eles, a peça publicitária demoniza os homossexuais e as pessoas que vivem com a doença.

O vídeo tem como filosofia a seguinte frase: ¨Quando você contrai o HIV, nunca é só HIV. Você corre um risco maior para dezenas de doenças mesmo que tome medicamentos, como osteoporose, demência e câncer de ânus¨.

O que revolta alguns grupos de direitos homossexuais, é que o vídeo mostra apenas casais gays como portadores de HIV, dando a entender que somente quem tiver uma relação homossexual está sujeito a contrair o vírus e também a forma como são tratadas as pessoas com HIV+. Um leitor do site Miami Herald dá a sua opinião:

– Os criadores desta campanha estão tentando alienar as pessoas que têm AIDS e esse tipo de prevenção não vai ajudar ninguém a lembrar de usar camisinha, mas talvez fazer com que as pessoas olhem para baixo e vejam os portadores de HIV como um caso perdido.

De fato o vídeo estigmatiza o homossexual. Fazer uma propaganda de prevenção à AIDS e colocar apenas casais homossexuais chega a ser um risco para a população. E também a forma como a peça publicitária foi criada, com uma música dramática ao fundo e colocando um terror psicológico em cima daqueles que já têm a doença. Campanhas devem ser feitas, mas sem estigmas e estereótipos.

É sempre importante advertir as pessoas em relação ao uso da camisinha nas relações sexuais, não só entre os gays, mas também entre os héteros. Mas também não podemos fechar os olhos para aqueles que já contraíram a doença e estigmatizá-los.

Assista o vídeo da campanha:

Vocalista do Judas Priest acredita que mudou a forma do "metal" ver a homossexualidade Resposta

O vocalista da banda de metal Judas Priest, Rob Halford, acredita que o fato de ter se assumido publicamente gay contribuiu para mudar a forma que os roqueiros viam o homossexualismo.

Em entrevista ao site americano “San Diego & Lesbian News”, Halford diz que acredita ter destruído o mito de que as bandas de heavy metal não tem a capacidade de serem mais tolerantes e mais abertas como certas áreas da música. Segundo ele, o heavy metal agora é um mundo completamente diferente comparado com o que era há 30 anos atrás, e acredita que aos poucos a vida das pessoas está cada vez melhor.

O líder da banda Judas Priest, que hoje possui seu próprio selo musical e também possui outro grupo conhecido como Halford IV, assumiu publicamente sua homossexualidade em 1998, durante uma entrevista para a MTV americana.

Em uma parte da conversa que Rob Halford teve com o site, ele diz que as pessoas podem ser quem elas querem, sem ter que se esconder, mentir e que se assumir o fez sentir mais forte e mais completo como pessoa. E finaliza: “Foi um grande peso que tirei das costas. É realmente a melhor coisa a ser feita quando sabemos que estamos prontos para dar um passo a frente sem ter que ser uma coisa que não somos”.


Combate à homofobia nas escolas também é problema na Califórnia Resposta

A campanha educativa para levar às escolas o debate de como ensinar crianças e adolescentes a lidar com a diferença sexual, não é só um problema no Brasil. O senador estadual da Califórnia, Mark Leno, criou uma proposta para incluir a história LGBT no curriculo das escolas públicas. A idéia é implementar o ¨Ato Educacional de Inclusão e Educação¨ e mostrar aos alunos personagens gays históricos que contribuíram para formar assuntos sociais e políticos em toda a nação.

Para Leno, que é gay, a proposta seria de grande importância para diminuir os ataques de bullying que jovens homossexuais sofrem e também diminuir o número de homicídios entre adolescentes, decorrentes do preconceito da sociedade.

Como já era de se esperar, tal proposta foi recebida como um absurdo e tida, segundo a oposição, como um atentado criado por educadores liberais que querem levar um ensinamento pró-gay para as salas de aula. O presidente do ¨Instituto de Justiça Pacífica¨ (grupo conservador de defesa legal que deu suporte ao Prop.8 e ao cancelamento do casamento gay na Califórnia), Brad Dacus, disse que a orientação sexual de alguém não é relevante para a contribuição dela na história.

– Esta proposta é sem dúvida uma tentativa de converter a história em uma oportunidade para professores e educadores liberais de promover uma aceitação do estilo de vida homossexual.

Candi Cushman, analista educacional para políticas públicas com foco na família, que se baseia sempre no ministério cristão, completa:

– Eu me preocupo porque podemos estar enviando uma mensagem errada para as criancas. Benjamin Franklyn está na história dos livros porque descobriu a eletricidade e não por conta de suas escolhas sexuais.

Os defensores da proposta afirmam que estudos mostram que estudantes quando aprendem sobre os eventos LGBT nas salas de aula, passam por menos assédio na escola e tem um melhor sentimento de sociedade e igualdade. 

E voce, o que acha?

Campo Grande: vereador protesta contra "kit gay" Resposta

Será que o nobre vereador sabe o significado da palavra “respeito”?

Primeiro foi o deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ), veja o vídeo aqui, agora o presidente da Câmara dos Vereadores de Campo Grande, capital do Mato Grosso do Sul, Paulo Siufi (PMDB), resolve mostrar toda a sua homofobia e protestar contra filmes educativos que visam dissiminar a tolerância e o respeito às diferenças nas escolas, produzidos pelo govero federal e que serão distribuídos pelo Ministério da Educação (MEC) em 2011.

Sobre a iniciativa do governo federal, o deputado é taxativo: “Isso é um absurdo. Esse vídeo lida como se tudo isso fosse normal. É inadmissível, inaceitável”. Mas é normal, senhor vereador, a anormalidade está em sua cabeça.

Em março de 2009, após a Secretaria Estadual de Educação do Mato Grosso do Sul emitir comunidado às escolas, em fevereiro, orientando o uso de banheiros femininos por travestis, o vereador Siufi disse que travesti em banheiro feminino fere o direito da mulher.

Câmara dos EUA decide que soldados gays podem assumir sua homossexualdiade Resposta

A Câmara dos Representantes dos Estados Unidos (EUA) aprovou por 250 votos contra 175 a revogação de uma lei de 1993, que proíbe os homossexuais de prestarem serviço militar. Agora um soldado pode assumir-se homossexual. A antiga lei era conhecida como “Don’t ask, don’t tell” (Não pergunte, não conte).

Uma medida similar no Senado estadunidense foi apresentada pelo senador independente Joe Lieberman, mas ainda não tem data para votação.

A Câmara já havia aprovado a revogação da lei ultrapassada e absurda em maio, quando aprovou uma lei de despesas de defesa, mas essa medida fracassou duas vezes no Senado. Na ocasião, o presidente dos EUA, Barack Obama, lamentou a decisão.

O Departamento de Defesa divulgou pesquisa no fim de novembro em que 70% das pessoas ouvidas acham que o fim da proibição teria um efeito positivo, misto ou simplesmente nulo.

Atualmente no mundo, 22 países aceitam homossexuais assumidos no Exército: Canadá, Reino Unido, Irlanda, Holanda, Bélgica, Luxemburgo, França, Espanha, Suécia, Finlândia, Suíça, Estônia, Lituânia, Alemanha, República Tcheca, Áustria, Croácia, Israel, Uruguai, África do Sul, Austrália e Nova Zelândia.

Na Alemanha, gays e lésbicas podem servir livremente, desde 2001, quando o Exército publicou o código de conduta “Lidando com a sexualidade”, uma medida de antidiscriminação.

Na Irlanda, o Exército aplica o “Ato de Igualdade no Trabalho” desde 1998! Como estamos atrasados, por aqui, não?

Na República Tcheca a lei é clara e diz que “independente da orientação sexual” todos os cidadãos devem se alistar! Há um número de telefone para denúncia de discriminação!

Nossos vizinhos do Uruguai também estão mais avançados, a legislação uruguaia pune a discriminação de pessoas por sua orientação sexual.

No Brasil, o Código Penal Militar proíbe homossexualdiade! O artigo 235 estabelece pena de seis meses a um ano de prisão!

A lei de 1969 diz ser crime “praticar ou permitir o militar que com ele se pratique ato libidinoso, homossexual ou não, em lugar sujeito a administração”.

Em 2008, o sargento Laci Marinho foi preso por deserção, após revelar uma relação gay de 10 anos! Ser parceiro, Fernando Alcêntara de Figueiredo, foi preso uma semana depois, pr ocultar o companheiro.

"EUA estão prontos para receber o primeiro presidente Gay", diz Jimmy Carter Resposta

O Ex-Presidente dos Estados Unidos, Jimmy Carter, afirmou em uma entrevista para um site americano que acredita que os EUA estão prontos para receber o primeiro presidente gay do país. Carter disse que toda a população americana está extremamente evoluindo em relação aos homossexuais e que a cada dia as pessoas percebem que homossexualidade tem os mesmos elementos progressistas que o problema do racismo teve no passado.


Jimmy Carter é democrata e foi o presidente dos Estados Unidos no período de 1977 a 1981. No vídeo, ele cita o exemplo da eleição do primeiro presidente negro do país, Barack Obama, e diz que os EUA já estão preparados para, de repente, não nas próximas eleições mas em um futuro próximo, elegerem uma mulher e um gay como presidentes.

Levando em consideração os problemas atuais que os EUA estão passando em relação ao assunto, acho que seria mais prudente resolver os problemas de aceitação dos gays em todos os setores da sociedade do que afirmar que eles estão prontos para eleger um presidente homossexual. O voto no país não é obrigatório, mas imagine que as mesmas pessoas que votaram em 2008 no ¨Proposition 8¨ (eliminando assim a decisão do Tribunal Superior de Justiça da Califórnia de aceitar o casamento entre pessoas do mesmo sexo), serão as mesmas que votam para as eleições presidenciais.

De qualquer forma, a esperança é a última que morre.

Reynaldo Gianecchini não se importa em acharem que ele é gay Resposta

Garoto propaganda do Pintos Shopping


No ar como o vilão Fred, na novela “Passione” (Globo), de Silvio de Abreu, Reynaldo Gianecchini soltou o verbo em entrevista a revista “Quem” (Ed. Globo) que chega às bancas de todo o Brasil nesta quarta-feira (15). Ele respondeu perguntas dos leitores.



Sobre o duplo sentido da propagando que o galã fez para o “Pinto Shopping”, em Teresina (PI), o ator diz que deu gargalhadas quando caiu na real. Ele não havia percebido o duplo sentido do slogan” Pintos Shopping, tudo o que você mais gosta no lugar que sempre quis”.

Um leitora perguntou como ele “reage ou lida com os comentários de que é gay”? Gianecchini diz que procura não ler certas coisas que considera deprimentes. Mas que, quando chegam a ele essas informações, ele desenvolveu um mecanismo de não se estressar. “Meu lema é esse: não deixar que isso interfira na minha vida, não me estressar com isso”.

Sobre a repercussão da campanha que fez para o Pintos Shopping, Reynaldo diz que ficou impressionado como, “hoje em dia, com o Twitter, qualquer coisa toma uma proporção gigante”. Mas garante que foi o primeiro a rir com tudo isso. “Quando fiz essa campanha, nunca tinha visto a possibilidade de duplo sentido da piada, garante.

Estar solteiro é “uma opção” na vida do ator. “Estive sempre namorando ou casado”. “Estou qurendo realmente curtir o que está rolando.” “Estou solteiro feliz”.

Sobre ser papai, o galã afirma que é um “ótimo tio” dos filhos dos seus amigos”. E diz que, talvez, venha a se “dedicar a um serzinho” no futuro.

O galã afirmou que não se acha um exemplo de beleza e que pretende raspar a cabeça quando a novela acabar.