Claudia Leitte se manifesta contra a homofobia e a misoginia Resposta

Claudia Leitte

Claudinha se manifestou contra a homofobia e a misoginia.

A cantora Claudia Leitte declarou na noite de sábado (29/9), durante show no centro de Brasília, ser contra o “ódio” e a “homofobia”.  Sem citar diretamente o nome de Jair Bolsonaro, a artista fez as declarações para os fãs brasilienses presentes no evento. Enquanto ela falava, o público entoava “ele não”, campanha criada na internet contra a candidatura do presidenciável.

Claudia não aderiu a campanha e nem respondeu a Anitta, após ser desafiada por ela, mas deu o seu recado no show.

Em nova entrevista Claudia Leitte reforça sua ignorância com relação aos gays 28

Imagem

Claudia Leitte reafirma que ‘adora gays, mas prefere que seu filho seja macho’. Com esse tipo de afirmação, a cantora gonçalense (Claudinha não é baiana, ela nasceu em São Gonçalo, no Rio de Janeiro) acredita que é “uma tigresa sem papas na língua”. Mas na verdade não passa de uma pessoa ignorante, afinal, Claudinha Milk deveria saber que ser gay nada mais é do que ser macho que sente afeto, amor, tesão por outro macho.

Claudia Leitte é capa da Revista Joyce Pascowitch de dezembro, na qual aparece com uma produção selvagem e não poupou declarações constrangedoras.

Fazendo caras e bocas, ela confirmou sua declaração controversa de que adorava gays mas preferia que seu filho fosse macho.

“Não acho que deva tomar cuidado com o que eu falo. Sou muito verdadeira.”

Na entrevista, ela também negou a rivalidade com Ivete Sangalo. (Esse assunto já deu o que tinha que dar, mas Claudinha não fala sobre nenhum assunto relevante, afinal, ela é isso: rasa, sem conteúdo).

Claudia Leitte teve a chance de se redimir com a comunidade LGBT, mas preferiu repetir a declaração.

A cantora tem todo o direito de pensar que não gostaria de ter um filho gay, mas não deveria sair falando o que pensa, ou melhor, deveria pensar antes de falar, já que se trata de uma grande celebridade brasileira e uma formadora de opinião.

Pensei muito antes de publicar este post, mas não poderia omitir a notícia. Infelizmente, é isso que a falsa baiana quer: ser notícia a qualquer preço, mesmo que seja de maneira preconceituosa.