Musa trans do carnaval carioca se posiciona contra a criminalização da homofobia Resposta

Priscila Reis, musa transexual da Acadêmicos do Sossego, escola de samba da série A do carnaval carioca, acredita que embora seja importante a militância pela igualdade e por direitos, toda a discussão em torno da criminalização da homofobia pode gerar mais apatia e criar uma segmentação na sociedade.

“Me preocupo muito com essa tentativa de criar leis direcionadas ao público LGBT. Estão criando diferenças e especialidades, e isso pode aumentar a rejeição e o preconceito. Leis contra preconceito já existem, o que acredito é que é necessário mais a conscientização do que a criação de novas leis. Enfatizar muito a diferença, segmentar a sociedade em gays, transexuais e héteros cria ainda diferença e isso é perigoso demais”, disse Priscilla.

A musa virá a frente de um carro alegórico da escola da Acadêmicos do Sossego, que justamente exalta a diversidade, a liberdade religiosa, e protesta contra a intolerância e o preconceito.

“Eu acredito que os grupos LGBTs podem estar sendo influenciados por partidos políticos, e o verdadeiro ideal e propósito da causa está sendo esquecido. O que tem que valer é a premissa de que todos nós, independente de ‘opção’ sexual, cor ou etnia, sejamos iguais perante à Lei. É preciso entender que interesses estão por trás de tanto discurso de ódio e das leis. Todos temos de ser iguais, e não segmentados. Luto pela igualdade, justiça social, e não por um tipo de apartheid LGBT”, afirma, se esquecendo de que opção sexual não existe e, sim, orientação sexual.

Bolsonaro e bolsominions concordam.


Criminalize já! Resposta

LGBT

Eu postei, em apenas um dia (04/12), quatro casos de homofobia! Isso só reforça a importância de blogs como esse, pelos direitos de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais (LGBT).

Apesar desses casos horrorosos, o Brasil está avançando, principalmente com a ajuda do Poder Judiciário, que tem sido favorável a nós, ou melhor dizendo, aos direitos IGUAIS entre todos os SERES HUMANOS, independente de orientação sexual ou identidade de gênero.

Agora, já passa da hora de o Poder Legislativo aprovar o PLC 122/06, que está parado no Senado. Quantos gays, travestis, lésbicas, transexuais e bissexuais precisarão ser assassinados, ou agredidos física e psicologicamente, para que os nossos políticos acordem?

É preciso dar um BASTA na homofobia. É urgente!