Secretaria de Estado do Maranhão participa de reunião de enfrentamento à homofobia Resposta

Representantes do poder público e movimentos sociais se reuniram, nesta segunda-feira (25/3), no Palácio Henrique De La Rocque, para articular a Rede de Enfrentamento à Homofobia no Maranhão. Segundo Lúcia Azevedo, supervisora de Intersetorialidade e Descentralização da Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Assistência Social e Cidadania (Sedihc), a formação da rede é apenas uma das ações de políticas públicas para o combate à homofobia no Estado.

Na ocasião, foi discutida e avaliada a logística da constituição de redes como forma de atuação política dos movimentos sociais. As experiências anteriores dos movimentos presentes foram apresentadas no sentido de fornecer subsídios para a organização estrutural da rede de enfrentamento à homofobia.

Para a secretária de Direitos Humanos, Assistência Social e Cidadania, Luiza Oliveira, a rede é um importante veículo para o diálogo entre a sociedade e o poder público. “Estamos fomentando o diálogo e a interação da população dentro da intersetorialidade dos direitos humanos. Desta maneira, estaremos em caráter estadual combatendo a homofobia”, declarou Luiza Oliveira.

A metodologia será possibilitar a liberação do fluxo de demandas recebidas pelos movimentos e ouvidorias aos devidos órgãos competentes. Dessa maneira, a participação de Secretarias de Estado de Saúde, Direitos Humanos, Educação, Esporte e Lazer, dentre outras, faz-se necessária.

Heberth Sousa, membro do Movimento Passe Livre, levanta a preocupação para a agilidade no processo de implantação da rede. “Enquanto discutimos, existem pessoas que estão sendo massacradas, violentadas e assassinadas. É preciso ter pressa para começarmos nossa atuação”, alertou Heberth Sousa.

Como encaminhamento para próxima reunião, que deve acontecer mensalmente, ficou acordado que haverá uma explanação sobre a atuação dos órgãos e movimentos presentes. Para os membros, esse esclarecimento é importante como forma de conhecer as competências dos órgãos para saber como encaminhar as possíveis vítimas de homofobia. A próxima reunião está marcada para o dia 18 de abril, às 15h, na Sala de Reunião da Vice-Governadoria.

Portaria determina que B.O. registre nome social e teor de crimes homofóbicos no Maranhão Resposta

Cristina Meneses assina portaria que definenomenclatura de crimes contra a homofobia

Cristina Meneses assina portaria que define
nomenclatura de crimes contra a homofobia

A delegada-geral de Polícia Civil do Maranhão, Cristina Meneses, assinou, nesta sexta-feira (15/2), portaria que disciplina o atendimento a ocorrências de crimes contra a comunidade LGBT. O documento determina que os boletins de ocorrência registrem o nome social da vítima e o teor do crime.

A ideia é que a nomenclarura específica direcione melhor as estratégias de segurança, com tratamento diferenciado desde o registro do B.O. “Estamos atendendo uma reivindicação do próprio segmento. Com a motivação de homofobia, as investigações podem chegar de uma maneira mais rápida à autoria desses crimes. Além disso, estamos efetivando uma política de Direitos Humanos”, ressaltou Maria Cristina.

Uma nova reunião ficou agendada para o primeiro semestre de março. O encontro pretende discutir as medidas com a Defensoria Pública e com a Secretaria de Estado de Direitos Humanos e Cidadania (Sedihc).

Reportagem: G1

Como eu saí do armário: Natália Soares 4

Me chamo Natália Soares, tenho 23 anos, sou estudante de administração de empresas, minha profissão é vigilante, moro em São Luis (MA). Bom, eu sai do armário… na verdade estas não são as palavras corretas, eu sempre dei na vista. Desde pequena nunca gostei de brincar com meninas, nunca gostei do jeito que minha mãe me vestia, só queria brincar com meninos desejava as roupas do meu irmão etc.

+ Como eu saí do armário: Rafael Zveiter (criador do Entre Nós)

Um dia estava jogando futebol na rua com garotos e meu pai gostava de ficar na janela olhando, ele chamou minha mãe e disse assim, “Tua filha parece um macho”, e minha irmã escutou e me falou. Nós riamos muito, porque na época eu estava flertando com o amigo do meu irmão, mais nada demais, apesar de outras pessoas já terem me perguntado na caruda e perguntado para amigos e eu e eles dizíamos sempre que não. Aí as pessoas diziam “ah, mas ela tem jeito”.

Bom troquei de escola entrei em um time de futsal. Foi aí que conheci uma garota que me me fez “descobrir” o que era aquilo que eu já sentia por garotas.

Nunca me questionei por que isso aconteceu comigo e tal. Têm pessoas que até querem se matar. Falar para si mesmo que não é assim, sendo que é. Depois de um tempo namorando, uns oito meses mais ou menos, eu com 17 anos cheguei em casa e me abrir para a minha mãe. Ela me abraçou e disse que me apoiaria sempre. Conversamos com meu pai. Eles disseram que me amavam, que eles tinham uma filha maravilhosa, que eles estavam ali para me apoiar.

Hoje sou casada há três anos com uma mulher maravilhosa, de 39 anos, Ela se chama Joyce, somos apoiadas pela nossas famílias, estamos felizes lutando pela vida.

E é isso quem tiver em duvida, não se jugue, pois os nossos pais são os nossos melhores amigos. SAIA DO ARMÁRIO.

O blog quer ouvir você

Conte para o blog como foi a sua experiência de sair do armário. Envie uma mensagem com o seu nome, a sua profissão, a sua cidade, o seu estado e uma foto (opcional) para o email oblogentrenos@gmail.com. A mensagem deve ter o seguinte título: Como eu saí do armário. Se quiser anonimato, basta pedir.

Carnaval: Abertas inscrições do concurso Rainha Gay 2013 da Favela do Samba no Maranhão Resposta

Rainha Gay

A direção da Favela do Samba, escola campeã do Carnaval 2012, no Maranhão, anunciou nesta quarta-feira (26) que estão abertas as inscrições para o concurso Rainha Gay Favela 2013. Os interessados podem se inscrever até o dia 10 de janeiro, na sede social da escola, no bairro do Sacavém, em São Luis, capital maranhense .

O concurso Rainha Gay Favela ocorrerá no dia 12 de janeiro, sábado, a partir das 21 horas, na sede da Favela do Samba.  O prêmio para o vencedor do concurso será um salário mínimo, o troféu Lira de Ouro e um lugar de destaque da rainha no projeto da Favela do Samba.

Outro concurso anunciado pela direção da Favela do Samba é o que vai escolher a Destaque Saraminda para o projeto carnavalesco 2013. O concurso, denominado de Rainha Saraminda, admite apenas candidatas do sexo feminino, mulatas ou negras.  O concurso Rainha Saraminda ocorrerá nos dias 13 (eliminatória) e 20 (final) de janeiro.