Agressão a travesti Mel Freitas está sendo investigada pela Polícia Civil do Rio de Janeiro 2

Mel Freitas

Mel Freitas

Apesar da preocupação da Polícia Civil com um plano de policiamento preventivo e especializado para a comunidade LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e transsexuais) no carnaval, os casos de agressões a esse grupo da sociedade continuam ocorrendo na capital fluminense.

No dia 31 do mês passado, a travesti Melissa Freitas, eleita Princesa Gay do Carnaval de 2013 no Rio de Janeiro, foi espancada e jogada de uma passarela sobre a linha do trem em Padre Miguel, na zona oeste, depois de deixar, por volta das 2h,  a quadra da Escola de Samba Mocidade Independente de Padre Miguel.

Depois de conversar com dois homens de carro, Melissa foi agredida e jogada do alto da passarela da Estação de Padre Miguel na linha do trem. A vítima sofreu múltiplas fraturas, nas pernas e na bacia e está internada no Hospital Estadual Albert Schweitzer, aguardando melhora do seu estado de saúde para ser transferida para o Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into).  O secretário estadual de Saúde, Sérgio Côrtes, foi informado do crime e aguarda que a paciente melhore para tratar da transferência.

O caso foi denunciado nas rede sociais e está sendo tratado em uma investigação rigorosa pela Polícia Civil, que trabalha com quatro frentes de investigação: assalto, homofobia, programa com cliente ou crime passional. A chefe de Polícia Civil, delegada Martha Rocha, também foi informada do crime e está empenhada para que seja esclarecido o mais rápido possível.

O coordenador do Programa Estadual Rio Sem Homofobia, Claúdio Nascimento, disse que independente do que Melissa sofreu, o crime tem traço de homofobia porque o “autor mostrou que a violência foi com requintes de crueldade, rejeição, ódio e deve ser repudiada”.

Nascimento mostra-se indignado com a violência da ação que poderia resultar na morte da Melissa. “Esse nível de crueldade como ela sofreu era para estar morta. As violências ou assaltos contra gays e travestis são muito mais violentos. A finalidade do autor é exterminar a homossexualidade da face da Terra”, disse.

Travesti eleita Princesa Gay no Rio é espancada e jogada em linha de trem 4

Melissa postou sua foto no ensaio na Sapucaí com faixa de Princesa Gay (Foto: Reprodução / Facebook)

Melissa postou sua foto no ensaio na Sapucaí com faixa de Princesa Gay (Foto: Reprodução / Facebook)

A travesti Melissa (Mel) Freitas, nome social de Thiago Freitas, eleita princesa gay do carnaval de 2013, foi espancada e jogada de uma passarela sobre a linha do trem em Padre Miguel, Zona Oeste do Rio, na madrugada da última quinta-feira (31). Segundo policiais da 34º DP (Bangu), ela foi vítima da agressão após sair da quadra da escola de Samba Mocidade Independente de Padre Miguel por volta das 2h.

Em depoimento, Melissa contou que estava em um conhecido ponto de prostituição de travestis entre as estações Guilherme da Silveira e Padre Miguel, quando dois homens pararam em um carro e vieram até o meio da passarela, que fica entre as ruas Ubatuba e Coronel Tamarindo.

Eles propuseram um programa sexual com a travesti, que caminhou em direção aos homens. No meio do caminho, a vítima desconfiou da aparência deles e negou o programa. Logo depois, os homens iniciaram as agressões que culminaram no empurrão na linha do trem.

Retrato falado de um dos agressores(Foto: Divulgação / Polícia Civil)

Retrato falado de um dos agressores
(Foto: Divulgação / Polícia Civil)

Ainda segundo a polícia, há fortes indícios de que o crime de tentativa de homicídio tenha sido motivado por homofobia, e está em busca dos suspeitos. Os retratos falados indicaram que os agressores têm pele branca e altura na faixa de 1,85 m.

Um taxista que passava pelo local acionou os bombeiros e Melissa foi levada para o Hospital Albert Schweitzer, em Realengo. Ela teve os pés e a bacia fraturados e precisa de cirurgia. De acordo com amigos, deve ser transferida para o Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into), onde deve ser submetida a uma cirurgia.

Criminosos têm pele branca e altura na faixa de1,85 m (Foto: Divulgação / Polícia Civil)

Criminosos têm pele branca e altura na faixa de
1,85 m (Foto: Divulgação / Polícia Civil)

Bárbara Sheldon, amiga da vítima e Rainha Gay 2013, não acredita que o crime tenha sido premeditado e disse que Melissa seria uma das musas da Mocidade Independente de Padre Miguel e desfilaria também na escola de samba Unidos de Padre Miguel. Bárbara disse que esse tipo de crime foi uma surpresa. “O Rio de Janeiro é uma cidade muito tranqüila em relação a isso. Ficamos chocados com esse ato homofóbico.”

Fonte: G1