Milhares cercam Arco do Triunfo de Paris contra casamento gay Resposta

Ativista contra o casamento gay entrega um folheto ao presidente francês / REUTERS

Ativista contra o casamento gay entrega um folheto ao presidente francês / REUTERS

“Uma família é um pai e uma mãe”. É esta a palavra de ordem que mais se ouve na manifestação contra o “casamento para todos” e a adoção de crianças por casais homossexuais que decorre desde o início desta tarde junto ao Arco do Triunfo, na capital francesa.

Os manifestantes foram impedidos pelas autoridades de ocupar a Avenida dos Campos Elísios mas dezenas de milhares de pessoas, talvez mesmo centenas de milhares, enchem completamente as largas avenidas de “la Grande Arméé” e “Foch”, que desembocam, ambas, na place Charles de Gaulle, onde se encontra o Arco do Triunfo.

A concentração junto ao célebre monumento prosseguiu até às 20h (hora local) e visa travar a aprovação definitiva da lei que abre a possibilidade de casamento e de adoção aos homossexuais.

A proposta de lei, defendida pela maioria parlamentar e o Governo socialista, vai ser discutida no Senado no início de abril e, se for aprovada, deverá regressar à Assembleia Nacional para aprovação definitiva.

Às 15h30 locais, a manifestação começava a transbordar das duas avenidas para outras vizinhas e também para os Campos Elísios, cujo acesso está protegido por um imponente dispositivo policial.

Algumas centenas de manifestantes tentaram forçar as barreiras da polícia para atravessar a praça e chegar aos Campos Elísios, mas foram expulsos à bastonada e com gás lacrimogéneo. Ao início da tarde vivia-se um clima de alguma tensão no local.

Fonte: Expresso

Milhares de partidários do casamento gay saem às ruas de Paris 1

Manifestante segura bonecas Barbie em marcha pelas ruas de Paris pelo casamento gay (Foto: Reuters)

Manifestante segura bonecas Barbie em marcha pelas ruas de Paris pelo casamento gay (Foto: Reuters)

Da France Presse

Milhares de partidários do ‘casamento para todos’ saíram às ruas de Paris neste domingo, dois dias antes da Assembleia Legislativa começar a debater um projeto de lei governamental legalizando o casamento gay e a adoção de crianças por homossexuais.

‘Anunciaram uma chuva para esta tarde, mas até o sol está conosco’, disse uma jovem, Chloé, de 28 anos, que participava da manifestação envolvida em uma bandeira com as cores do arco-íris. ‘Eu não sou gay, mas minhas melhores amigas são, e quero demonstrar minha solidariedade’, afirmou.

+ Pesquisa mostra que 63% dos franceses apoiam casamento entre homossexuais

No protesto, que começou na Praça Denfert Rochereau, ao sul da capital, e que se dirige à central Praça da Bastilha, os manifestantes agitavam cartazes onde se lia ‘Sou hetero, mas quero os mesmos direitos para os meus amigos’ e ‘Mais vale um casamento gay que um triste’.

Outro cartaz, bem-humorado e carregado por uma mulher, dizia: ‘Quero ter o direito de me casar com Jodie Foster’, em referência ao discurso da estrela de Hollywood no prêmio Golden Globe, que não deixou dúvidas de que ela é lésbica.

Franceses participam de manifestação à favor do casamento gay neste domingo (27) em Paris (Foto: Thomas Samson/AFP')

Franceses participam de manifestação à favor do casamento gay neste domingo (27) em Paris (Foto: Thomas Samson/AFP’)

‘Pela igualdade agora, contra a discriminação sempre’, afirmava um cartaz carregado por um jovem. ‘Eu não ia vir, mas ao ver a manifestação de duas semanas atrás e ouvir tantos comentários horríveis, cheios de preconceito, e até de ódio, senti que tinha que estar hoje aqui’, disse um jovem que se apresentou apenas como Joss.

O protesto deste domingo, realizado sob o slogan ‘igualdade para todos’, certamente será comparado à grande mobilização dos opositores ao casamento gay, que foi apoiada pelo principal partido da oposição de direita, a União por um Movimento Popular (UMP), pela Igreja Católica e pela comunidade muçulmana na França, que chega a 5 milhões de pessoas.

Os partidários do casamento e da adoção para todos tentaram esclarecer que o objetivo da manifestação deste domingo, realizada sob o slogan ‘igualdade para todos’, não é superar os números da mobilização dos opositores ao projeto, que reuniu 800 mil pessoas, segundo os organizadores, e 340 mil, de acordo com a polícia.

O que buscam, segundo os organizadores da marcha, é superar os números da manifestação em apoio ao projeto que ocorreu em meados de dezembro, e que reuniu cerca de 80 mil pessoas.

Franceses participam de manifestação à favor do casamento gay neste domingo (27) em Paris (Foto: Thomas Samson/AFP')

Mulheres posam como noivas em protesto à favor da legalização do casamento gay na França (Foto: Benjamin Girette/AP)

O governo do presidente socialista francês, François Hollande, também saiu na frente de qualquer polêmica sobre os números, indicando que o projeto do casamento entre pessoas do mesmo sexo e da adoção por homossexuais será decidido na Assembleia Nacional, e não nas ruas da França.

Enquanto isso, os organizadores já adiantavam o sucesso da manifestação deste domingo, dizendo que no meio da tarde, quando algumas pessoas ainda não tinham começado a andar na Denfert Rochereau, os primeiros manifestantes já estavam chegando à Bastilha.

Homem se veste de Estátua da Liberdade em protesto pelo casamento gay na França (Foto: Gonzalo Fuentes/Reuters)

Homem se veste de Estátua da Liberdade em protesto pelo casamento gay na França (Foto: Gonzalo Fuentes/Reuters)

‘O que querem? A igualdade! E quando querem? Agora!’, gritavam com mais força os manifestantes ao ouvir este anúncio de um dos organizadores da marcha.

Centenas de milhares protestam contra o casamento gay na França 1

Vista a partir da Torre Eiffel mostra milhares reunidos em Paris para protestar contra plano de presidente de legalizar casamento gay (Foto: AP)

Vista a partir da Torre Eiffel mostra milhares reunidos em Paris para protestar contra plano de presidente de legalizar casamento gay (Foto: AP)

Centenas de milhares de manifestantes se mobilizaram contra o plano do presidente da França de legalizar o casamento gay , chegando a Paris de ônibus, carros e em trens de alta velocidade especialmente reservado para a ocasião.

Três grandes marchas convergiram neste domingo para o Champs de Mars, um grande parque perto da torre Eiffel. Os organizadores disseram que o evento reuniu 800 mil pessoas – que chegaram a Paris em ônibus e trens. Já a polícia e um ministro do governo afirmaram que o número total de manifestantes não passou de 340 mil. Uma marcha similar realizada em novembro do ano passado reuniu 100 mil pessoas.

Primeira mesquita voltada para os LGBTs será aberta na França 

+ Papa quer unir Igreja Católica a outras religiões contra o casamento gay

+ Milhares de pessoas se manifestam a favor do casamento gay na França

+ Depois de pedido do papa, católicos franceses contra casamento gay agridem pessoas em manifestação

França: bispos católicos fazem oração contra gays

Câmara da França rejeita casamento gay

França proíbe o casamento entre homossexuais

O presidente François Hollande prometeu legalizar o casamento gay até junho, permitindo aos casais do mesmo sexo proteções que lhes permitiriam adotar crianças, entre outras coisas. Ele tem votos suficientes no Parlamento para aprovar a medida facilmente.

 

O presidente enfureceu muitos opositores ao tentar passar a reforma no Parlamento sem muito debate público e vacilou sobre alguns detalhes da reforma. O modo desajeitado como lidou com outras promessas, como o imposto de 75% sobre os ricos que foi considerado inconstitucional, ou sua luta vacilante contra o desemprego crescente, azedou o humor do público.

Sob liderança religiosa, a proposta tornou-se incrivelmente impopular na França. Cerca de 50% dos franceses são favoráveis à legalização do casamento gay, número que chegava a 65% em agosto.

Cinco trens de alta velocidade, 900 ônibus e inúmeros comboios de carros deixaram cidades na província, muitos antes do amanhecer, em direção aos três pontos da capital francesa para as marchas.

Fortemente apoiados pela hierarquia católica, ativistas mobilizaram uma coalizão híbrida de famílias religiosas, políticos conservadores, muçulmanos, evangélicos e até mesmo homossexuais que se opõem ao casamento gay para a demonstração de força.

“Queremos que esse projeto de lei seja derrubado”, disse Patricia Soullier, organizadora do protesto, à BFM-TV antes de entrar em um trem em Montpellier, no sul da França, que seguia para Paris.

Casamentos do mesmo sexo são legalizados em 11 países, incluindo Bélgica, Portugal, Holanda, Espanha, Suécia, Noruega e África do Sul, assim como em nove Estados americanos, além da capital dos EUA.

*Com Reuters e AP