Após ser desafiada por Anitta, Preta Gil se manifesta sobre Bolsonaro Resposta

Preta e Anitta.jpg

Preta Gil, que já foi alvo do discurso ódio do Jair Bolsonaro, se manifestou a respeito do movimento #EleNão, após ser desafiada pela cantora Anitta a se pronunciar sobre as eleições. A reação de Preta surpreendeu pelo tom nada amigável.

View this post on Instagram

Não preciso ser desafiada para falar o que já é óbvio, público e notório há sete anos, parece até que se esqueceram desses vídeos, pode até ter edição, mas a intenção de me agredir não teve. Não tem como eu apoiar um candidato que fez agressões gratuitas, calúnias e difamações a mim, a minha família e a tantos outros. Eu já senti na pele a fúria do mesmo e de seus eleitores, e não me intimidei, nem entrei no jogo da violência, segui sendo quem eu sou, lutando pelos meus ideais com amor e respeito e defendendo o que considero certo sem precisar ofender ninguém. Não me sinto no direito de desafiar ninguém a declarar repúdio ou apoio a ninguém, cada pessoa se posiciona ou não, por livre e espontânea vontade e deve ser respeitada. #souelenãohá7anos e sei que está difícil, que estamos cansados, mas não podemos deixar o ódio dominar nossas vidas. Vote em quem quiser, mas não agrida ninguém, não ameace as pessoas, isso não está certo. Sigo aqui na paz lutando por mim e por todos e todas que são diariamente atacados por discursos e atitudes racistas, homofóbicas e machistas!!! PS: vocês que me cobraram posicionamento esses dias, que me xingaram e que me ameaçaram… vocês não me conhecem, já meus fãs conhecem meu caráter e minha índole, eles não me cobram e não me julgam, eles me apoiam!!! #meuambienteélindo

A post shared by Preta Gil 🎤 (@pretagil) on

 

Preta Gil pede apoio ao público contra a homofobia 1

Preta Gil (Foto: Fábio Cordeiro/Ed.Globo)

Preta Gil (Foto: Fábio Cordeiro/Ed.Globo)

Preta Gil subiu ao palco do Monte Líbano no último sábado (28/12) para comemorar o Réveillon e abrir os ensaios do seu bloco, o “Bloco da Preta”. Logo após cantar Sou como sou, a diva pediu ao público que se unisse a ela na luta contra a homofobia: “Gente, vamos dar o nosso recado! Vamos dizer não à homofobia!”.

O show contou com a presença de amigos da cantora, como a atriz Carolina Dieckmann, madrinha do bloco, o apresentador David Brasil e de Gominho, ex-participante do reality A Fazenda. Durante o show, Preta Gil convidou ao palco Pedro Lima, finalista da segunda edição do The Voice Brasil, com quem cantou Se eu não te amasse tanto assim, sucesso na voz de Ivete Sangalo. O ator Tiago Abravanel também fez um dueto com a cantora na música Fora da Lei, de Ed Motta.

O Bloco da Preta tem desfile marcado para o dia 23 de fevereiro pela Avenida Rio Branco, no Centro do Rio. Os ensaios do bloco acontecerão todas as quintas-feiras de janeiro, dias 9, 16, 23 e 30, no Monte Líbano.

*Com informações da Quem

Preta Gil comete gafe no programa #Esquenta! Resposta

Preta Gil comete gafe no “Esquenta!” (Foto: Esquenta! / TV Globo)

Preta Gil comete gafe no “Esquenta!” (Foto: Esquenta! / TV Globo)

A cantora Preta Gil cometeu uma gafe no programa Esquenta(Rede Globo) exibido no último domingo (18/08). A engajada filha de Gilberto Gil disse para Daniela Mercury que não se sentia mais só, se referindo ao fato de a baiana ter saído do armário recentemente, e assumido o relacionamento com a jornalista Malu Verçosa. Acontece que Preta se esqueceu de outros artistas que assumiram a homossexualidade ou a bissexualidade, alguns antes dela, inclusive, como Cazuza, Renato Russo, Ney Matogrosso, Edson Cordeiro e Ana Carolina, só para citar alguns da música brasileira.

“Eu não me sinto mais só”, disse Preta, como se fosse pioneira ao assumir a sua bissexualidade, o que não é verdade. Preta também falou do preconceito que sofreu:  “As pessoas não me conheciam, não sabiam quais eram os meus valores reais como ser humano, antes de julgar minha música, falavam: ‘Ih, aquela filha do Gil que é maluca falou que é gay…’”.

Diferente da colega, Daniela Mercury disse que não sofreu preconceito algum ao sair do armário: “Ninguém fez cara feia para mim, pelo contrário, as pessoas diziam: ‘Você deu uma sacudida no Brasil’”.

O programa Esquenta!, comandado pela apresentadora Regina Casé, discutiu a homofobia, com a participação da ministra dos Direitos Humanos, Maria do Rosário, das cantoras Daniela Mercury e Preta Gil,  e dos atores  Marcello Antony e Thiago Fragoso, que interpretam Eron (gay) e Niko (bissexual) na novela Amor à Vida (Rede Globo), de Walcyr Carrasco, com direção geral de Mauro Mendonça Filho.

Opinião

Tanto Preta, quanto Daniela sacudiram o Brasil em momentos distintos, em que o conservadorismo parecia predominar: a primeira, quando acusou o deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ) de racismo e a segunda, quando as atenções do Brasil estavam voltadas para o presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados, deputado Marco Feliciano (PSC-SP). Ponto para as duas!