Polícia identifica suspeito de matar por homofobia em Londrina, no Paraná Resposta

Imagem

A polícia de Londrina procura Wellington Coelho da Silva, suspeito de assassinato

A Polícia Civil da cidade paranaense de Londrina já identificou o suspeito de ter assassinado o jovem Lucas Ferraciolli, 18 anos, que levou um tiro na cabeça na madrugada da última sexta-feira, 30 de novembro, na Rua Quintino Bocaiúva. A Polícia Civil acredita que o motivo da morte foi a homofobia.

Wellington Coelho da Silva, de 23 anos, já foi identificado e teve a prisão decretada, mas continua foragido. Segundo testemunhas disseram à polícia, na madrugada do crime, o suspeito deixou o prédio onde mora muito nervoso e com algumas bolsas, e não retornou mais. O revólver apreendido vai ser periciado, mas a polícia diz acreditar que outra arma foi usada no crime.

Horas antes de ser morto, Lucas estava em uma boate gay na Avenida Bandeirantes. “Pelas informações transmitidas pela própria mãe do suposto autor [do assassinato], que ele seria uma pessoa bastante agressiva, com transtornos obsessivos compulsivos, e considerando também informações de que a vítima seria homossexual, pode ser que haja correlação nesse fato entre a conduta da vítima e o comportamento agressivo por parte do autor”, afirmou o delegado-chefe da 10ª Subdivisão Policial de Londrina, Márcio Amaro, em entrevista à RPC TV nesta segunda-feira (3).

A polícia ainda vai ouvir algumas pessoas que estavam com Lucas Ferraciolli naquela noite e também as que estavam com o principal suspeito do crime. Amigos da vítima organizam uma manifestação no centro da cidade, para o próximo sábado, 8 de dezembro, para pedir por Justiça.